quinta-feira, 8 de fevereiro de 2018

Água Saborizada

Uma recomendação comum entre nós profissionais de nutrição é a hidratação frequente. Mas tambem há um desafio que enfrentamos: algumas pessoas não gostam de beber água.

Para esse dilema, a culinária nos trouxe algo bem interessante, atraente e nutritivo.
Não que a água possa ser substituída, mas podemos, com as águas saborizadas (ou aromatizadas) hidratar o corpo com um gosto especial a mais na água.

Veja as receitas a seguir

Água Saborizada de Limão e Alecrim


Benefícios
O limão é fonte de compostos antioxidantes e vitamina C, um nutriente que potencializa a absorção do ferro.
O alecrim estimula o processo digestivo e possui ação anti-inflamatória natural.

Ingredientes
1 litro de água filtrada
1/2 (metade) limão siciliano com a casca cortado em rodelas
1/2 (metade) limão tahiti com a casca cortado em rodelas
1 ramo de alecrim

Preparo
Coloque a água em uma garrafa ou jarra e adicione as rodelas de limão e o ramo de alecrim;
Deixe na geladeira por 4 horas ou mais;
Sirva gelada.

Água Saborizada de Gengibre com Laranja Kinkan e Canela


Benefícios
Essa exótica receita de água aromatizada é elaborada com gengibre, um termogênico natural que aumenta a temperatura corporal e estimula a queima de gordura, além de contribuir para a imunidade.
A laranja kinkan é fonte de vitamina C e a canela atua como estimulante ao melhorar a ação do sistema imune e auxiliar na perda de peso.

Ingredientes
1 litro de água
4 rodelas de gengibre
2 pedaços de canela em pau
6 unidades de laranja kinkan

Preparo
Coloque a água em uma garrafa ou jarra de vidro e adicione os pedaços de gengibre, a canela e as laranjas cortadas ao meio;
Deixe na geladeira por cerca de 4 horas e sirva.

Água Saborizada de Limão, Erva-doce e Hortelã


Benefícios
Combina os benefícios do limão siciliano, fonte de vitamina C, com um toque especial da erva-doce, que possui ação calmante e alivia desconfortos intestinais, além da hortelã, que contém propriedade digestiva.

Ingredientes
1 litro de água filtrada
1 limão siciliano com a casca, cortado em rodelas
10 folhas de hortelã fresca
1 talo de erva-doce cortado em tiras finas

Preparo
Coloque a água em uma garrafa ou jarra e as rodelas de limão, a hortelã e a erva-doce;
Deixe na geladeira por 4 horas ou mais;
Depois de gelada, é só servir e se refrescar.

Água Saborizada de Limão Siciliano, Alecrim e Carambola


Benefícios
O limão siciliano, uma importante fonte de vitamina C, que ajuda o sistema imunológico, melhora a absorção de ferro dos alimentos e participa da produção de colágeno, além de atuar no combate aos danos causados pelos radicais livres.
O alecrim ajuda na digestão e tem ação anti-inflamatória, assim como a carambola, que ainda é fonte de vitaminas e sais minerais.

Ingredientes
Suco de 1/2 (metade) limão siciliano
1 ramo de alecrim
1/2 (metade) carambola cortada em fatias
1 litro de água mineral

Preparo
Coloque o as rodelas de limão, a carambola cortada em formato de estrelas e o alecrim na jarra, completando com água;
Deixe na geladeira gelar e adquirir sabor.

Água aromatizada com Abacaxi e Chá Verde

Benefícios
Esta receita combina o chá verde – rico em antioxidantes e cafeína, que ajuda a aumentar a disposição – com o abacaxi, fonte de enzimas com ação digestiva e anti-inflamatória.

Ingredientes
Casca de 1/2 (meio) abacaxi
1/2 (meio) abacaxi (cortado em cubos pequenos)
1,2 litro de água
1 sachê de chá verde
1 colher (chá) de mel

Preparo
A casca de abacaxi deve ser fervida em 1 litro de água, por aproximadamente 10 minutos, antes de ser cortada, batida e coada;
Prepare o chá verde em 200ml de água quente e espere esfriar;
Misture essas duas preparações somente quando ambas estiverem em temperatura ambiente;
Em seguida, acrescente o abacaxi cortado e o adoce com o mel.

Água aromatizada de Morango


Benefícios
O morango possui compostos antioxidantes que neutralizam a ação dos radicais livres e, também, é fonte de vitamina C, importante para fortalecer o sistema imune, retardar o envelhecimento e melhorar a saúde do coração.
Já a hortelã estimula a digestão e tem propriedade sedativa leve.

Ingredientes
1 litro de água
5 morangos frescos
Folhas de hortelã

Preparo
Coloque a água em uma jarra, adicione os morangos e a hortelã;
Deixe na geladeira algumas horas e sirva gelado.

Água aromatizada de Morango e Manjericão


Benefícios
O morango possui compostos antioxidantes que neutralizam a ação dos radicais livres e, também, é fonte de vitamina C, importante para fortalecer o sistema imune, retardar o envelhecimento e melhorar a saúde do coração.
Já o manjericão dá um toque especial e aromático à bebida.

Ingredientes
6 morangos cortados ao meio, na longitudinal
10 folhas de manjericão fresco
1 litro de água filtrada

Preparo
Acrescente os morangos e as folhas de manjericão no fundo de uma jarra e complete com água;
Deixe na geladeira por algumas horas antes de consumir;
Coe antes de beber e use a fruta em outras receitas.

Água aromatizada de Pêssego, Mirtilo e Limão


Benefícios
A hortelã é uma ótima opção para deixar esta água aromatizada refrescante, além de oferecer propriedade digestiva.
Ela ainda combina os sabores deliciosos do pêssego, limão e mirtilo, uma frutinha rica em antioxidantes, chamados antocianinas, que protegem as células contra os danos causados pelos radicais livres.

Ingredientes
1 xícara (chá) de mirtilo;
2 pêssegos médios sem a casca, cortados em gomos;
1 limão-taiti com a casca, cortado em rodelas finas;
20 folhas de hortelã fresca;
1 litro de água filtrada.

Preparo
Coloque as frutas e a hortelã no fundo de uma jarra e complete com água filtrada;
Deixe descansar na geladeira por algumas horas antes de consumir.

Água aromatizada com Goji Berry e Melancia


Benefícios
A goji berry é uma frutinha muito famosa por seus benefícios para a saúde, principalmente por ser ótima fonte de vitamina C.
A melancia apresenta ação diurética, que colabora para diminuir a retenção hídrica e a sensação de inchaço. Esta água é ideal para ajudar a hidratar o corpo nos dias mais quentes.

Ingredientes
1 colher (sopa) de goji berry;
1 colher (sopa) de raspas da casca de laranja;
1 litro de água filtrada gelada;
1 xícara (chá) de melancia em cubos congelados (junte na hora de servir).

Preparo
Misture todos os ingredientes no momento de servir.

Água aromatizada com capim cidreira


Benefícios
O capim cidreira possui propriedades calmantes e confere um sabor especial para essa receita de água aromatizada.
Entre os ingredientes da preparação também está o anis estrelado, uma especiaria aromática que ajuda a melhorar o processo digestivo.

Ingredientes
3 carambolas;
10 ramos de capim cidreira;
5 sementes de anis estrelado;
1 litro de água gelada.

Preparo
Ponha as carambolas cortadas em estrelas, o capim cidreira e as sementes de anis estrelado no fundo de uma jarra, acrescente água filtrada até completar a jarra;
Deixe a mistura descansar na geladeira no por algumas horas antes de servir.

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Dicas para sua Salada

Uma boa pedida no verão são as saladas, certo?
Que tal tirar uma vantagem extra? Tornar sua salada em uma salada DETOX!

Escolha Vegetais Verde Escuros: 
São Ricos em nutrientes e aceleram bastante o metabolismo. Além de combater os radicais livres, pois são antioxidantes. 
São bons exemplos: Rúcula; Espinafre; Couve; Brócolis.

Depois, escolha frutas e vegetais de cor amarela, laranja e vermelha: 
Regularizam o intestino, eliminam gordura sobressalentes. Limpam o organismo e também são antioxidantes. 
São exemplos: Cenoura; Tomate; Manga; Morango; Beterraba; Pimentão; Abóbora.

Salada detox com Repolho, alface, pepino e Chia

1 xícara de repolho fatiado em fatias finas
3 folhas de alface americana fatiadas em fatias finas
1/4 de cebola picadinha
1/2 pepino cortado em fatias finas
6 tomates cereja
1 colher de sopa de chia
1 colher de chá de orégano
1 colher de chá de alecrim
1 colher de chá de sálvia
Azeite de oliva extra virgem

Mix de folhas com cogumelos marinados

Para a salada você vai precisar de:
1 prato com folhas variadas rasgadas (alface-americana, alface roxa, rúcula, agrião e radicchio)
1/2 cenoura cortada em palitos
1 rabanete cortado em meia lua
1/2 abobrinha italiana cortada em lâminas finas
3 ervilhas-tortas cortadas em diagonais de 2 cm
Um punhado de brotos de alfafa
1 colher de sopa de sementes de abóbora cruas, sem sal

E, para o Molho de Cogumelos:
1/2 xícara (chá) de azeite de oliva extra virgem
2 colheres (sopa) de vinagre de maçã orgânico
1 colher (chá) de sementes de coentro
2 colheres de chá de melado de cana 
1/2 colher de sal marinho
1 xícara de shitake cortados em tiras

Preparo
Em uma tigela, misturar todos os ingredientes. 
Incorporar os cogumelos e deixar descansar por 10 minutos.
Arrume as folhas em um prato raso. 
Disponha harmoniosamente os vegetais em cima das folhas. 
Coloque um tufo de broto de alfafa no centro da salada. 
Para finalizar, polvilhe as sementes de abóbora e distribua por cima todo o molho de cogumelos.


E que tal variar os molhos da sua salada?

Molho de alecrim

2 colheres de sopa de azeite
Suco de 1 limão
1 dente de alho
1 colher de chá de orégano seco
1 colher de chá de alecrim fresco
1 colher de sobremesa de gergelim preto
Pimenta do reino e sal

Moto de fazer: Misturar todos os ingredientes em uma molheira.

Molho de acerola com linhaça

1 colher de sopa semente de linhaça marrom
1 colher de chá de suco de limão
1\2 colher de café rasa de sal marinho
1 polpa de acerola congelada(100g)

Preparo: Deixe a polpa descongelar. Coloque-a em uma cumbuca pequena e adicione as sementes de linhaça, o suco de limão e o sal. 
Misture e deixe descansar por 15 minutos antes de servir.

Gostou?
Visite e compartilhe a página no Facebook também.
Clique aqui para acessar agora a página.

PÃO INTEGRAL

Pão Integral Rápido

Ingredientes
  • 450 g de farinha de trigo integral para pão
  • 1 colher (chá) de sal
  • 2 colheres (chá) de fermento biológico seco instantâneo
  • 1 colher (chá) de açúcar mascavo ou mel claro
  • 450 ml de água morna
  • 1 colher (sopa) de farinha de trigo branca para polvilhar

Preparo
  • Unte levemente uma forma de pão com capacidade para 900 g ou forre-a com papel-manteiga. 
  • Reserve-a num local aquecido enquanto prepara a massa.
  • Numa tigela grande, peneire a farinha e o sal, incluindo o farelo que restar na peneira. 
  • Acrescente o fermento seco e faça um buraco no centro. 
  • Misture o açúcar ou mel à água morna e despeje-a no buraco feito na farinha.
  • Usando as mãos ou uma colher de pau, misture tudo e bata vigorosamente por cerca de 2 minutos ou até a massa desprender-se dos lados da tigela. Ela estará bem mole e pegajosa.
  • Transfira a massa para a forma já preparada, cubra com um pano de prato úmido e deixe fermentar num local aquecido por cerca de 30 minutos ou até a massa ter crescido até quase a borda da forma.
  • Próximo ao fim do tempo de crescimento, preaqueça o forno a 200°C. 
  • Descubra a massa e polvilhe uniformemente a superfície com um pouco de farinha. 
  • Asse por 30 a 40 minutos ou até o pão ter crescido bem e estar dourado. 
  • Ao tirá-lo da forma ele deve parecer leve e produzir um som oco quando você bater com os dedos na sua base.
  • Desenforme o pão e, se necessário, devolva-o ao forno por mais 5 minutos para endurecer as laterais e a base. 
  • Ponha-o numa grade metálica para esfriar. 

Dicas e sugestões
• Para preparar 2 pães pequenos, divida a massa em duas formas com capacidade para 450 g e asse por 30 a 35 minutos.

Conserva-se por até 5 dias.
Serve: 1 pão grande (14 porções)
Preparo: 40mins  ›  Cozimento: 40mins  ›  Pronto em:1hora20mins 
Cada fatia fornece

Comer faz bem!
• O pão integral fornece mais vitaminas do complexo B e fibras alimentares que o pão preparado com farinha de trigo branca. • O fermento é especialmente rico em folato e contém quantidades mínimas de várias outras vitaminas do complexo B.

Pão Integral Caseiro


Ingredientes
  • 400 ml de água morna
  • 25 g de fermento fresco para pão
  • 100 ml de óleo
  • 1 colher (sobremesa) de sal
  • 2 colheres (sopa) de açúcar mascavo
  • 1 xícara (chá) de aveia
  • 1/2 xícara (chá) de gérmen de trigo
  • 1 xícara (café) de semente de linhaça
  • 2 copos (requeijão) de farinha de trigo integral
  • farinha de trigo até dar o ponto

Preparo
  • Em uma vasilha, misture o fermento com o açúcar e acrescente os outros ingredientes
  • Em uma superfície lisa e enfarinhada, sove bem a massa e deixe crescer até dobrar de volume
  • Modele os pães e coloque em forma de bolo inglês forrada com papel manteiga
  • Deixe crescer novamente
  • Leve ao forno a 200º C, por aproximadamente 25 a 30 minutos (observe, já que o tempo pode ser alterado, dependendo do forno)


Pão Integral de Liquidificador


Ingredientes
  • 2 xícaras de farinha de trigo branca
  • 2 xícaras de farinha de trigo integral
  • 1 xícara de aveia
  • 2 ovos
  • 2 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 colher (sobremesa) rasa de sal
  • 1/2 xícara de óleo
  • 2 xícaras de leite morno
  • 1 envelope de fermento para pão (10 g)

Preparo

  • Bater no liquidificador: leite, ovos, açúcar, sal, óleo e o fermento
  • Despejar em um recipiente com as farinhas e a aveia, misturar bem (massa mole)
  • Colocar em assadeira retangular (35 cm) ou forma para pão (30 cm) untada e enfarinhada
  • Descansar por aproximadamente 1 hora, até dobrar de volume
  • Assar em forno preaquecido por cerca de 30 minutos

COOKIES INTEGRAIS

Cookies Integrais


Ingredientes
  • 1 ovo
  • 3/4 xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 1/2 xícara (chá) de margarina
  • 1 colher (chá) essência de baunilha
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo integral
  • 1 xícara (chá) de aveia em flocos grossos
  • 1/2 xícara (chá) de nozes picadas
  • 1/2 xícara (chá) de uvas passas
  • 1/4 xícara (chá) de linhaça
  • 1 pitada de sal
  • 1/2 colher (chá) de bicarbonato
  • 1/2 colher (chá) de fermento em pó
  • 1/4 colher (chá) de canela em pó


Preparo
  • Bater (em batedeira) os 5 primeiros ingredientes, ovo, açúcares, margarina e essência
  • Juntar os outros ingredientes e misturar bem com uma colher
  • Fazer bolinhas (mais ou menos do tamanho de um bombom) e colocar numa forma forrada com papel manteiga, separados um do outro cerca de uns 3 cm
  • Levar assar em forno quente, preaquecido, por cerca de 15 a 20 minutos
  • Quando começar a dourar as bordinhas de baixo, pode retirar para não queimar
  • Os cookies ainda vão estar meio molinhos, mas assim que esfriar eles endurecem.


Cookie Integral de Aveia e Mel


Ingredientes
  • 1 xícara (chá) de farinha de trigo integral
  • 1 xícara (chá) de aveia em flocos
  • 1 xícara (chá) de açúcar mascavo
  • 2 colheres de sopa de mel
  • 1 colher (chá) de fermento em pó (o de bolo)
  • 1 ovo
  • 1 colher (sopa) de manteiga

Preparo
  • Em uma tigela coloque todos os ingredientes secos.
  • Derreta a manteiga e depois acrescente à massa, juntamente com os demais ingredientes líquidos. Misture até soltar do recipiente.
  • Pegue porções da mistura com a ajuda de uma colher de sorvete. Faça bolinhas e acomode em uma assadeira forrada com papel manteiga. Se não tiver papel manteiga, pode untar e enfarinhar.
  • Leve ao forno, pré-aquecido a 180º, por + ou – 30 minutos ou até dourar.
  • Deixe os biscoitinhos descansarem por alguns minutos antes de removê-los da assadeira. Eles ficarão mais durinhos ao esfriarem.


Cookies Integrais com Banana


Ingredientes
  • 3 bananas maduras
  • 1 colher de sobremesa de açúcar mascavo
  • 1/4 copo de óleo
  • 2 xícaras de aveia em flocos
  • 1 xícara de coco ralado
  • 1/2 colher de sobremesa de canela em pó
  • 1 colher de sobremesa de fermento químico em pó

Preparo
  • Em uma vasilha, amasse as bananas e misture com o óleo. Reserve.
  • Em outra vasilha, misture os secos.
  • Adicione a banana aos secos e misture bem com um garfo.
  • Faça pequenas bolinhas com uma pequena colher, e disponhaas em um tabuleiro untado e forrado com papel manteiga.
  • Asse por 15 minutos, em forno préaquecido a 200°C.
  • Deixe esfriar antes de retirálos do tabuleiro com uma espátula.


Cookies Integrais de Aveia e Castanha


Ingredientes
  • 100g de manteiga em temperatura ambiente
  • 1 xícara de açúcar
  • 2 ovos
  • 1 xícara de farinha de trigo
  • 1/2 xícara de farinha integral
  • 1 colher (chá) de bicarbonato de sódio
  • 1 e 1/2 xícara de aveia em flocos
  • 1 xícara de castanhas quebradas
  • 1 colher (sopa) de canela em pó

Preparo
  • Misture manteiga com o açúcar e a canela até obter um creme leve.
  • Junte os ovos, um a um, batendo bem a cada adição.
  • Aos poucos, adicione a farinha com o bicarbonato, mexendo até ficar homogêneo. Por fim, acrescente a aveia e as castanhas.
  • Em uma assadeira untada com manteiga, faça bolinhas com 2 colheres, deixando um espaço de mais ou menos 4cm entre elas.
  • Asse em forno pré aquecido a 180ºC até ficarem dourados.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Alimentos Integrais

Na publicação de hoje, quero falar sobre os alimentos integrais.
Quem acompanha as dicas enviadas pelo WhatsApp já esta sabendo, mas para quem perdeu ou não recebe as dicas, segue agora a íntegra sobre o assunto.

Bem, um alimento para ser integral não deve ter passado por nenhum processo de refino. 
Ou seja, qualquer processo que altere suas características naturais.

Eles conservam todos seus componentes originais, incluindo cascas e películas protetoras.
Aí reside sua principal vantagem: não descartar partes ricas em nutrientes. Por exemplo, a concentração de minerais e vitaminas é normalmente maior nas cascas, onde estão também compostos importantes como as fibras.

Bem como, os alimentos integrais mantém a sua estrutura e integridade dos nutrientes, tanto em quantidade quanto em qualidade. 
Quando os alimentos, grãos e cereais, por exemplo, não passam pelo processo de refinamento, preservam vitaminas, minerais e fibras, que são fundamentais para o bom funcionamento do organismo. 
Se você consome integrais, logo consome menos processados e já diminui uma série de efeitos negativos que estes alimentos podem trazer para a saúde. 

Por que consumir alimentos integrais?

  • Torna a dieta mais rica em fibras, minerais e vitaminas;
  • Melhora o funcionamento intestinal;
  • Reduz os níveis de colesterol e glicose no sangue;
  • Proporciona mais sensação de saciedade;
  • Permite menor absorção de glicose e gordura no processo digestivo;
  • Aumenta a quantidade de lactobacilos no organismo;
  • Reduz o risco de diabetes;
  • Maior variedade de nutrientes na dieta;
  • Maior riqueza de sabores na alimentação;
  • Aumenta a imunidade do corpo;
  • Melhora a aparência da pele, reduz os efeitos do envelhecimento precoce;
  • Previne doenças gastrointestinais, ou seja: gastrite, inflamações do intestino, câncer etc.

Substitua os refinados por integrais

  • Arroz branco por arroz integral ou quinoa
  • Açúcar branco por açúcar mascavo (ou mel…)
  • Sal refinado por sal marinho
  • Farinha de trigo branca por farinha de arroz, fécula de batata, de mandioca ou de polvilho
  • Arroz com feijão é bom, mas podemos diversificar! Mais lentilhas, mais grão de bico, mais ervilhas (frescas), mais milho (da espiga!).
  • Use mais sementes na alimentação, como chia, sésamo, linhaça, gergelim…
  • Diversifique nos vegetais, há tanto mais além de tomate, alface, cenoura, cebola, batata e alho! 
  • E frutas então? Há muita coisa no nosso país, por que se contentar apenas com a banana, mação, pêra ou uva? 
  • Vamos explorar os sabores regionais e os sabores do mundo!


Uma pergunta que sempre é feita nos atendimentos, mas que no meu entendimento, esta muito além do conhecimento, mas sim, tem relação com honestidade de quem vende ou produz e, a falta de legislação a respeito é: os alimentos integrais vendidos nos mercados e lojas de produtos naturais são de fato integrais?

Infelizmente, existem aqueles alimentos, como pães, biscoitos e bolos, que se intitulam integrais, mas que quando avaliados de forma mais criteriosa, ou seja, quando nós consumidores nos atentamos e lemos os rótulos, vemos que não são.

A simples presença da palavra “integral” não significa que o alimento é 100% integral. 

É muito importante ficar atento aos ingredientes presentes nos rótulos quando comprar alimentos integrais, como os pães e biscoitos, por exemplo. 

Aqueles pães que anunciam no rótulo que são feitos de grãos integrais, podem ter sido feitos exclusivamente com farinha de trigo branca e os grãos integrais somente foram adicionados à massa, ou seja, este pão não é integral, mas sim, os grãos que estão presentes nele.

Assim, você consumidor, que estiver comprando um “pão integral” com 5% de farinha integral e o restante de farinha branca, certamente não estará consumindo pão integral e nem recebendo os benefícios que os produtos integrais oferecem.

Infelizmente, estamos tão habituados aos processados e ao sabor sintético e artificial da comida que não é de verdade, que já mal conseguimos realmente desfrutar o sabores da comida de verdade.

Então, quero lançar um desafio para 2018:
Não coma alimentos industrializados (ou processados), leia mais os rótulos e vamos à feira!

Visite também e, compartilhe a página do Facebook:
https://www.fb.com/nutrirodrigofontes

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Adoçantes

Muita gente sempre pergunta nos atendimentos qual o melhor adoçante?

Para ajudar na escolha, nesta postagem, vou falar sobre o assunto.

Adoçantes ou edulcorantes são substâncias de baixo ou inexistente valor energético que proporcionam, a um alimento, o gosto doce. Além da sacarose (açúcar natural mais difundido mundialmente), são largamente utilizados a sacarina, ciclamato e taumatina, que são moléculas bastantes distintas dos glicídios naturais.

Inicialmente, os adoçantes foram formulados para atender as necessidades de diabéticos em substituição ao açúcar. Nos dias atuais os adoçantes também são utilizados em planos alimentares para perda de peso por em geral possuírem baixo ou nenhum valor calórico.

Os adoçantes podem ser classificados em artificiais ou sintéticos como a sacarina sódica, ciclamatos etc., que não apresentam valores calóricos, e os naturais como a frutose, o sorbitol etc., que possuem menos caloria que a glicose presente na sacarose.

Estudos indicam que os adoçantes artificiais são, em muitos casos, nocivos à saúde mesmo em concentrações preconizadas por órgãos de saúde.

Classificação
Adoçantes de mesa: produto formulado para conferir sabor doce aos alimentos e bebidas, devendo ser constituído por edulcorantes previstos na legislação e açúcar. Não é indicado para diabéticos.

Adoçantes dietéticos: produto formulado para dietas com restrição de sacarose, frutose e ou glicose para atender às necessidades de pessoas sujeitas à restrição da ingestão desses carboidratos. As matérias-primas frutose, sacarose e glicose não podem ser utilizadas em sua fabricação.

Adoçantes Naturais

São os extraídos diretamente de plantas ou produzidos por via biotecnológica.
  • Glicose: Componente da sacarose e, basicamente, o glicídeo mais utilizado metabolicamente para a produção de energia.
  • Isomaltose ou E 953
  • Manitol ou E 421
  • Maltitol ou E 965
  • Sacarose ou açúcar de mesa: É obtida da beterraba (contendo 15%) ou da cana-de-açúcar (com 25% de sacarose).
  • Lactose: açúcar encontrado no leite, possui baixo potencial dulçor. É utilizada como insumo inerte (II) em preparações. homeopáticas
  • Flavonoides:
  • Frutose: É conhecido como o açúcar para diabéticos. É comumente encontrada em frutos. É utilizado para a fabricação de produtos para diabéticos, porém o seu consumo deve ser controlado, já que pode ser interconvertida em glicose. A frutose metaboliza-se mais lentamente.
  • Esteviosídeos: Extraído da Stevia rebaudiana. Um adoçante natural, rejeitado por muitos por ter sabor característico, mas que vem se popularizando no centros urbanos pelos seus benefícios para a saúde, em especial para as diabetes.
  • Taumatina ou E 957
  • Xilitol ou E 967: Adoçante parecido ao sorbitol, pouco utilizado devido ao seu custo de produção. É utilizado em gomas de mascar de valor mais elevado.

Sintéticos ou Artificiais

São os produzidos através de processos industriais específicos.
  • Acesulfame-k ou E 950: Não é metabolizado pelo organismo e tem poder adoçante 200 vezes maior que a sacarose;
  • Aspartame ou E 951: É um dos mais recentes, seu poder adoçante se aproxima a sacarina. É proibido o seu consumo àqueles com fenilcetonúria. Perde o sabor quando submetido a temperaturas superiores a 120 °C ou mais baixa de forma prolongada. Seu poder adoçante é 200 vezes superior ao da sacarose, ou seja, é necessário uma dose 200 vezes menor que a de açucar;
  • Ciclamato ou E 952: É 50 vezes mais doce que o açúcar. Os ciclamatos estão proibidos nos Estados Unidos e Japão.
  • Lactitol: Adoçante artificial pobre em calorias. É empregado para a confecção de doces de baixas calorias. É recomendável aos diabéticos. É menos doce que a sacarose porém mais estável que o aspartamo;
  • Lisozima ou E 1105;
  • Neo-hesperidina di-hidrocalcona ou E 959ː Elaborado da laranja amarga;
  • Neotame: O mais potente que existe;
  • Polidextrose ou E 1200: Adoçante utilizado por suas propriedades gelificadoras e espessantes, ideal para a produção de sobremesas;
  • Sacarina ou E 954: Acredita-se que doses inferiores a 2,5 gramas ao dia não são tóxicas.
  • Sorbitol ou álcool de açúcar: Tem as mesmas vantagens e inconveniências que a frutose, porém pode causar diarreia se for consumido em excesso. É o adoçante geralmente utilizado nas gomas de mascar "sem açúcar". No fígado, pode ser transformado em glicose e frutose;
  • Sucralose ou E 955: Açúcar modificado com átomos de cloro, é 600 vezes mais potente que o açúcar comum

Agora, aprenda um pouco sobre os mais conhecidos.

Sacarina

Foi descoberta em 1879. 
Está aprovada para utilização em produtos industrializados e como adoçante de uso geral. 
Uma pessoa com 70 kg pode consumir até 28 sachês por dia.

Prós: tem poder adoçante 300 vezes maior que o açúcar.
Contras: até hoje não existem comprovações quanto a sua toxicidade. 
Sacarina sódica possui sódio em sua composição, sendo um fator de risco para os hipertensos. Seu uso não é indicado em período gestacional, pois é permeável à placenta e de difícil excreção pelo feto, o que estaria associado à diminuição do crescimento do bebê e ao aparecimento de tumores malignos.
Calorias: não-calórico
Pode ser utilizada também em preparações assadas.

Aspartame

Foi aprovado em 1981. 
Atualmente seu uso está liberado como adoçante de uso geral, mas não deve ser utilizado para alimentos que necessitem ser assados. 
Não pode ser utilizado por pessoas que contenham fenilcetonúria, pois um de seus componentes é a fenilalanina e a ingestão dessa substância deve ser controlada por pacientes com essa doença.
É muito utilizado principalmente nas bebidas dietéticas. 

Prós: tem poder adoçante 200 vezes maior que o açúcar. 
Contras: existem dúvidas quanto aos malefícios desse adoçante, pois alguns estudos falam do seu potencial carcinogênico, enquanto outros relatam a segurança do uso. 
Calorias: aspartame líquido contém 1,3 cal/10 gotas e em pó 4 cal/g

Acessulfame de Potássio (Acessulfame – K)

Foi aprovado pela primeira vez em 1988. 
Geralmente aparece nos rótulos dos alimentos como: Acessulfame K, Acessulfame de potássio ou Ace-K. 
Em 2003 foi aprovado como adoçante de uso geral e intensificador de sabor em alimentos, sob algumas condições de uso. 
É um sal derivado do potássio. 
Para atingir a dose máxima permitida por dia, uma pessoa com 70 kg precisaria consumir diariamente seis litros de um refrigerante zero. 

Prós: possui poder adoçante 125 vezes maior que o açúcar. 
Contras: a única restrição ao consumo desse adoçante é para portadores de doenças renais ou outras patologias cujo tratamento deve restringir o consumo de potássio. 
Calorias: não-calórico
Pode ser utilizado como substituto do açúcar em produtos assados.

Estévia

Produzida com as folhas de uma planta conhecida como Stevia rebaudiana, encontrada em alguns lugares da América do Sul.
Seus testes foram realizados em 2008 e a Organização Mundial da Saúde (OMS) reconhece seu uso. 
Pode ser utilizada como adoçante de uso geral e como substituta do açúcar para produtos assados.
Sua dose diária recomendada de 5,5mg/kg, então uma pessoa de 70 kg poderia consumir 385 mg por dia de steviosídeo. 
Não tem contraindicação e é totalmente atóxico.

Prós: é natural e possui sabor 300 vezes mais doce que o açúcar. Tem boa estabilidade em altas e baixas temperaturas, podendo ser levado ao fogo e ao congelador.
Contras: possui forte sabor amargo residual.
Calorias: não-calórico

Ciclamato

Foi um dos primeiros adoçantes descobertos, sendo que a sua aprovação também contou com a análise de inúmeros estudos científicos. 
Hoje, seu consumo é permitido em mais de 50 países na Europa, Ásia, América do Sul, Norte e África . 
No final da década de 60 e começo da de 70, surgiu a hipótese de que o ciclamato poderia causar câncer de bexiga. 
Há aproximadamente 475 estudos científicos comprovando que o ciclamato não é carcinogênico. E, 24 estudos mostraram que, mesmo após ingestões elevadas de ciclamato durante toda a vida, não houve alteração ou formação de câncer em animais de laboratório. 
Inúmeros estudos também em humanos comprovaram esse mesmo resultado. 
Por isso, mantém se a aprovação e dosagem atribuídas ao ciclamato. 
No Brasil, é permitido também o uso de ciclamato. 

Se houvesse um adoçante comercial composto 100% por ciclamato, uma pessoa de 70 kg poderia consumir diariamente, no máximo, seis sachês. 
Mas não há marca comercial que utilize apenas o ciclamato na composição. 
Ele está sempre associado a outros adoçantes e, dessa forma, a quantidade presente nos produtos é muito pequena. 

Prós: adoça 50 vezes mais que o açúcar.
Contras: talvez seja o mais polêmico de todos. É amplamente utilizado em produtos alimentícios e farmacêuticos. 
O produto contém sódio em sua composição e, portanto, é um fator de risco para os hipertensos.
Calorias: não-calórico
Pode ser utilizado como substituto do açúcar e para utilização em produtos assados.

Frutose

Extraída das frutas maduras, de alguns vegetais e do mel, pode ser consumida por diabéticos, mas só com orientação médica ou de uma nutricionista. 
Produz 4 cal/g, o mesmo valor da sacarose (açúcar comum). 
Por essa razão, é desaconselhável para regimes de emagrecimento.

Prós: a frutose é uma vez e meia mais doce que o açúcar, reduzindo assim a quantidade usada, ou seja, precisa de menos frutose para dar o mesmo sabor doce do açúcar.
Contras: não possui limite de consumo, mas o excesso de frutose pode causar aumento nos triglicerídeos sanguíneos e provocar cáries.
Calorias: 4 cal/g

Manitol

É um edulcorante natural amplamente encontrado em vegetais como aipo, cebola e beterraba. 
Seu consumo diário é de 30g a 50g em doses parceladas por dia, embora algumas pessoas não tolerem quantidades superiores a 10g.

Prós: seu poder adoçante é de 70% em relação ao açúcar. Não provoca cáries.
Contras: há relatos de que provoca um significativo efeito laxante quando ingerido em doses elevadas.
Calorias: 2,4 cal/grama

Sucralose

Foi aprovada para utilização como adoçante de uso geral em 1999, sob algumas condições de uso. 
É encontrada em alimentos como: produtos de padaria, bebidas, chicletes, gelatinas e sobremesas congeladas à base de leite. 
É um substituto do açúcar para produtos assados.
Embora feita a partir de açúcar e com gosto de açúcar, não é reconhecida pelo organismo como um hidrato de carbono e, por isso, tem zero calorias. É uma alternativa útil para quem está tentando reduzir o açúcar ou a ingestão de calorias. Muitos produtos diet ou light, incluindo refrigerantes, bebidas gasosas e doces, são adoçados com sucralose.

Prós: é cerca de 600 vezes mais doce do que o açúcar e, portanto, pequenas quantidades são necessárias para adoçar bebidas e alimentos.
Contras: Possui cloro em sua composição, que compete com a absorção de iodo na glândula da tireoide, sendo contraindicado para pessoas que possuem distúrbios na tireoide.
Calorias: não-calórico

Neotame

A sua utilização foi aprovada em 2002, como adoçante de uso geral e intensificador de sabor de alimentos, mas possui condições para o seu uso. 
Pode ser utilizado como substituto do açúcar em produtos assados.

Sorbitol

Possui 50% menos doce que o açúcar, seu consumo diário é de 30g a 50g em doses parceladas por dia, embora algumas pessoas não tolerem quantidades superiores a 10g.

Prós: é uma substância natural de algumas frutas e de algas marinhas. Resiste a temperaturas elevadas.
Contras: contraindicado para obesos e diabéticos descontrolados. Doses muito altas são diuréticas e aumentam a perda de cálcio no organismo.
Calorias: 0,01 cal/gota

Xilitol

Tem sabor semelhante ao da sacarose (açúcar comum). Não é encontrado puro e, normalmente, é usado na composição de adoçante para atenuar o gosto amargo de outros edulcorantes. Seu consumo diário é de 30 g a 50g em doses parceladas por dia, embora algumas pessoas não tolerem quantidades superiores a 10g. Seu poder adoçante corresponde a 50% da sacarose.

Prós: tem o diferencial de causar uma sensação refrescante na saliva.
Contras: doses acima de 30 g/dia podem causar diarreia.
Calorias: 2 cal/g