sábado, 29 de setembro de 2007

Anorexia


Engraçado eu tratar, novamente, de um assunto duas vezes na mesma semana. Não que eu quisesse, mas às vezes fatos acontecem que nos motivam a repetir determinadas ações. E esta postagem é o caso.

Queria tratar mais um pouco da anorexia. Incialmente apenas coloquei uma campanha que esta acontecendo na Europa. Acho que qualquer meio que sensibilize as pessoas a um fato relevante deve ser utilizado.
Mas, vamos lá, explicar um pouco da Anorexia.

Falar da Anorexia não é tão simples. “Por quê?”


A anorexia é uma doença que envolve muito mais o fator psicológico do que o fator nutricional em si. Mas antes, vou explicar o que é anorexia. Sei que muitos têm uma idéia ou já ouviu algum caso de pessoa próxima ou famosa que passou por esse transtorno, aliás, é isso mesmo, a anorexia é um transtorno alimentar.


O termo anorexia significa falta de apetite (vem do grego "orexis", prefixo que significa "apetite", precedido por "an", que significa falta de, privação). Trata-se de um distúrbio, uma perturbação da percepção do esquema corporal, ou seja, da auto-percepção da forma e/ou tamanho do corpo, o que leva a uma recusa alimentar. Essa recusa leva a uma diminuição significativa do peso corporal, apresentando em alguns casos aspecto corporal “cadavérico”. Ou seja, o paciente possui um peso muito inferior ao que deveria possuir para sua altura e idade.


Tem sintomas típicos de pacientes com semi-inanição, apesar da resposta adaptativa do organismo, há um custo a ser pago: prejuízo funcional em outros sistemas que limita a capacidade em desempenhar atividades físicas e mentais normais. Alguns sintomas são visíveis, como pele seca, cabelos ressecados, outros nem tanto, como intolerância ao frio, constipação intestinal, amenorréia, infertilidade e libido reduzida.


Não quero entrar na questão psicológica, até porque não é minha área, e sim na função da nutrição, em como a nutrição se torna um instrumento valioso no tratamento do paciente anorético.


O primeiro desafio do nutricionista é lidar com o paciente que na verdade também é uma “tabela nutricional ambulante”, literalmente. O paciente anorético sabe quantas calorias tem em cada alimento, pois para “controlar” sua perda de peso, este precisa saber o que deve ou não comer.


A idéia a ser discutida com o paciente é a importância de uma alimentação equilibrada e sem medos! Convencer o paciente anorético de que ele estará ingerindo uma quantidade de alimentos ideal, que o permitirá viver com qualidade de vida, é fundamental. Deve-se discutir sempre com o paciente os prejuízos que ele tem deixando de se alimentar e, enfatizar os benefícios de uma alimentação adequada. Um dos fatores mais importantes do tratamento é a confiança que o paciente deve ter no profissional.


A anorexia não é um transtorno fácil de ser tratado, porém com o acompanhamento correto é possível recuperar o paciente.

Nutricionista


Achei um texto bem interessante hoje quando vasculhava meu "pc" e, apesar de ser nutricionista, quero deixar claro que muitas das definições (*) abaixo não se aplicam ao "ôme" aqui, ok?

Nutricionista não se apaixona... alimenta sentimentos.
*Nutricionista não tem foguinho... tem fogão.
Nutricionista não faz exercício... queima calorias.
Nutricionista não bebe... lesa as células hepáticas.
Nutricionista não come doce... ingere CHO (carboidratos) de alto índice glicêmico.
Nutricionista não lava louça... higieniza utensílios.
Nutricionista não faz comida... ensina a comer.
Nutricionista não tem dor de estômago... tem desconforto gástrico.
*Nutricionista não menstrua... tem descamação endotelial.
Nutricionista não toma remédio... utiliza fármacos.
Nutricionista não tem IMC normal... é eutrófico.

Exemplo de...?


"Se Renan pode, nós também podemos"

Esta foto foi publicada na edição de sexta-feira (28-set-2007), na coluna do jornalista "Ancelmo Gois", do jornal "O Globo".

Num país com muitas leis e poucas penas, muita falação e pouca ação, muita política e pouquíssimo respeito à população, o sentimento que impera, parece ser mesmo o de que "se ele pode, eu também". E se pararmos para pensar, já estamos vivendo um momento assim.

Praticamente toda semana um novo escândalo, um novo (ou não tão novo assim) político corrupto, um funcionário público, policial, juiz etc com as mãos sujas, mas com a
"cara mais lavada" do mundo dizendo ser inocente.

O pior não é saber que há mais um escândalo, é ter certeza de que haverá mais um, cedo ou tarde. E que mais uma vez, a população vai se indignar.

Mas tem um ponto que gostaria de deixar para reflexão:
Será que diante de uma vantagem, não iríamos de encontro? Será que não nos corrompemos quando aceitamos favores políticos (rua asfaltada, emprego, vaga em hospital etc.) ou corrompemos alguém, dando "um jeitinho"?

Talvez precisamos adotar a "tolerância zero".

quinta-feira, 27 de setembro de 2007

"No Anorexia"


Campanha com modelo anoréxica rouba a cena na Semana de Milão
Uma campanha publicitária que usa uma modelo anoréxica está roubando a cena na abertura da Semana Internacional da Moda de Milão.
Os anúncios, expostos em jornais e outdoors italianos, mostram uma modelo nua sob os dizeres "No Anorexia" ("Não Anorexia"). A modelo é a jovem francesa Isabelle Caro, que pesa apenas 31 quilos.
A campanha é cria do italiano Oliviero Toscani, conhecido pelas polêmicas campanhas da Benetton nos anos 80 e 90 que usavam fotos abordando temas como Aids, guerra e racismo.
Em entrevista à BBC Brasil, Toscani defendeu a nova campanha, dizendo que, em contraste com o corrente no mundo da publicidade de moda, ela busca uma aproximação com a "condição humana".
"Toda a publicidade de moda e as revistas e os jornais de moda se afastaram dela, se tornaram abstratas, esvaziaram o ser humano. A gente olha essas campanhas e vemos o vazio, e dizemos a nos mesmo: essas pessoas são como garrafas vazias", diz Toscani.
A campanha, da griffe de moda Nolita, contou com o aval do Ministério da Saúde da Itália.
A luta contra a anorexia é uma das prioridades do governo do premiê Romano Prodi. Hoje, cerca de 2 milhões de italianos sofrem da doença e de bulimia.
A ministra da Saúde Lívia Turco afirmou, em nota oficial, que "uma iniciativa como esta é importante para abrir um canal de comunicação privilegiado com o público jovem, através de uma mensagem clara e capaz de chamar a responsabilidade para este drama".Oliviero Toscani criou a campanha tendo em vista um público muito mais amplo do que os consumidores de moda.
"A idéia não é uma campanha para o povo da moda, mas sim para quem olha para moda, para as meninas, as jovens, as estudantes, todos os públicos. O rei está nu", disse ele.
O fotógrafo, que já tinha abordado o tema em um filme que chegou a ser apresentado no festival de Locarno, acha que "a responsabilidade deste problema não é apenas do mundo da moda".
"Existem as mães, a família, a desilusão de quem não se identifica com a imagem projetada pela mídia. Uma garota vê uma foto de moda ou uma imagem da televisão e pensa consigo mesma: 'Eu não poderia nunca ser assim', e assim tenta desaparecer, se auto-destruir, é um drama", afirmou Toscani.
Ele conta que não foi difícil encontrar uma menina anoréxica. "Eu a procurei com um diretor de cinema busca uma atriz para um filme."
Mas vender roupa usando como imagem quem não tem como vesti-la não foi uma estratégia fácil de ser colocada no mercado. O principal jornal da Itália, o Corriere della Sera, se recusou a estampar a fotografia.
A campanha também ficou longe das ruas da França, sendo vetada nos outdoors. "A justificativa era de que a imagem era imoral. Não somos, ainda, civilizados", afirmou Toscani.
Toscani acredita que, mesmo com a polêmica em torno da campanha, ela deve ter bons resultados.
"Acho que isso pode ser o começo de um novo ciclo de publicidade, vamos ver o que acontece. Não são tantos os clientes que possuem a coragem de fazer uma campanha como esta. Todos pensam que a comunicação publicitária deve ser falsa ou artificial, mas eu acho que se pode fazer algo interessante e tirar vantagens econômicas ao mesmo tempo."
BBC Brasil
Fonte: O Globo

quarta-feira, 26 de setembro de 2007

Malhação com Saúde

Hoje serei breve... e meu alvo é a galera da “malhação pesada”.

Para quem acha que para ter um corpão sarado... malhadão... é preciso comer apenas alimentos ricos em proteínas, se engana.

As proteínas são de fato muito importantes, pois vão formar as células, os aminoácidos entram na formação do DNA e RNA...mas é importante também fazer a ingestão de carboidratos e gorduras.

Os carboidratos são tão essenciais, ou mais, que as proteínas, pois uma boa ingestão de carboidratos vai fornecer a quantidade de energia necessária para a atividade física sem comprometer as proteínas, pois, no momento que os níveis de energia caem, ou seja, a glicose disponível, seja do sangue, seja a muscular (glicogênio), o corpo passa a degradar proteína e gordura para fornecer energia.

Obs.: o nosso cérebro usa exclusivamente a glicose como fonte de energia, se falta glicose, o cérebro avisa (sensação de fome), se demora para comer, ele reclama (dor de cabeça), se enrolar demais ele dá um tranco (desmaio)...

Além disso, as gorduras estão presentes nos hormônios e são a fonte de energia do fígado, o “lixeiro” do nosso corpo, é ele quem faz a desintoxicação do organismo, seja de álcool, seja de drogas legais ou ilegais.

Pense bem quando for fazer uma dieta, sem orientação, mirabolante para ganhar a tal “massa muscular”, você pode trazer prejuízos enormes à sua saúde.

Evite usar suplementos sem orientação (um aviso: Balconista de farmácia não é farmacêutico, médico, nutricionista, dentista, veterinário etc). O uso indiscriminado pode trazer prejuízos hepáticos ou renais. Até mesmo os grandes atletas, os “Misters Universe” sabem que existem limites.

Bom fim-de-semana.

terça-feira, 25 de setembro de 2007

Substituir Refeições


Às vezes, alguns pacientes, durante o momento em que estou fazendo a anamnese alimentar (hábitos cotidianos, histórico) ou explicando a orientação, me falam que não costumam fazer uma ou outra refeição, ou que preferem substituir, geralmente o jantar. Alguns por crerem que ao jantar, ganham mais peso, outros por se sentirem desconfortáveis.
Mas sempre explico que uma orientação nutricional parte dos seguintes princípios:

- estado global
- necessidades energéticas
- necessidades específicas (vitaminas e minerais)
- restrições, nos casos em que o paciente apresenta alguma patologia
- e, principalmente, o hábito alimentar pessoal, a preferência.
Porém hoje vou me deter nas necessidades energéticas para explicar como devem ser feitas as "substituições".
Quando faço uma orientação, me baseio em todos os quesitos acima, e as necessidades energéticas eu obtenho através de fórmulas e, claro, do estilo de vida que cada paciente possui.
Por exemplo: se tenho dois indivíduos, com a mesma idade, sexo e estatura, mas um exerce uma atividade burocrática, de escritório, e outro uma atividade mais "braçal", como um operário, qual dos dois teria maior gasto energético no final do dia? O que exerce a atividade mais extenuante, o operário. E, se tivermos dois indivíduos, mesma idade, mesma atividade física, mesma estatura, porém de sexo opostos? O homem teria um gasto energético maior ao longo do dia, uma vez que sua taxa de metabolismo é maior.

Bem, tendo todos os dados e o valor energético da orientação, deixo claro que o mais importante é o indivíduo atingir o valor total de consumo, mas que dentro deste "crédito", ele valorize determinadas refeições para obter alguns nutrientes, como café-da-manhã e almoço.

Então, substituir um jantar por outra refeição, não é o problema, o problema esta na qualidade desta refeição.
Quando você opta por um sanduíche, você deve ter em mente que ao deixar ao jantar, você esta reduzindo as possibilidades de consumir mais fibras, minerais, vitaminas, presentes nas verduras, legumes e alguns cereais.
Ao fazer seu sanduíche, opte por alguns ingredientes que contenham esses itens, como pães integrais, legumes crus (cenoura, beterraba, etc), verduras (alface, rúcula etc), azeite, queijos brancos, carnes magras (frango, chester, peru etc). Assim, estará fornecendo ao seu organismo ingredientes importantes e fazendo uma refeição mais leve, que auxiliará na redução de peso, caso esteja fazendo algum programa para este fim
.

Mas lembre-se: o importante é atingir suas necessidades, ou seja, consumir a quantidade e qualidade ideal para a manutenção corporal.

Uma Verdade Inconveniente


"...That what we take for granted might not be here fou our children..."
"...Aquilo que damos por certo, pode não estar aqui para os nossos filhos..."
Al Gore

segunda-feira, 17 de setembro de 2007

O Tempo de Deus

Um pequeno texto para refelexão.

Um excelente nadador tinha o costume de correr até a água e de molhar somente o dedão do pé antes de qualquer mergulho. Algum intrigado com aquele comportamento, lhe perguntou qual a razão daquele hábito.

O nadador sorriu e respondeu:

Há alguns anos eu era um professor de natação. Eu os ensinava a nadar e a saltar do trampolim. Certa noite, eu não conseguia dormir, e fui até a piscina para nadar um pouco. Não acendi a luz, pois a lua brilhava.

Através do teto de vidro do clube. Quando eu estava no trampolim, vi minha sombra na parede da frente.

Com os braços abertos, minha imagem formava uma magnífica cruz.

Em vez de saltar, fiquei ali parado, contemplando minha imagem.

Nesse momento pensei na cruz de Jesus Cristo e em seu significado.

Eu não era um cristão, mas quando criança aprendi que Jesus tinha morrido na cruz para nos salvar pelo seu precioso sangue. Naquele momento as palavras daquele ensinamento me vieram à mente e me fizeram recordar do que eu havia aprendido sobre a morte de Jesus. Não sei quanto tempo fiquei ali parado com os braços estendidos.

Finalmente desci do trampolim e fui até a escada para mergulhar na água. Desci a escada e meus pés tocaram o piso duro e liso do fundo da piscina.

Haviam esvaziado a piscina e eu não tinha percebido.

Tremi todo, e senti um calafrio na espinha. Se eu tivesse saltado seria meu último salto. Naquela noite a imagem da cruz na parede salvou a minha vida. Fiquei tão agradecido a Deus, que ajoelhei na beira da piscina, confessei os meus pecados e me entreguei a Ele, consciente de que foi exatamente em uma cruz que Jesus morreu para me salvar.

Naquela noite fui salvo duas vezes.

Água...emagrece???


Um mito dos tempos modernos...
Tem muita gente que se pergunta se beber água emagrece.
A boa notícia: Sim..emagrece.
A má notícia: para emagrecer bebendo água você precisará beber muita, muita água. E se você não gosta de água gelada... hum, vai ter que beber muito mais.
Mas vamos avaliar esta questão. Se você bebe água gelada... seu xixi sai...
quente!
Bem esta variação de temperatura consome energia. É como um fogão... você coloca água para aquecer e gasta gás, eletricidade..enfim..energia. E nosso corpo não é diferente, para aquecer a água que entra, ele gasta energia, energia na forma de calorias.
Mas 1 milésimo de caloria aquece 1 grama de água... 1 caloria...1 litro! Hum...
Para funcionar, você precisaria beber muita água.

Mas não desanime, pelo contrário, se você tem o hábito de beber muita água, parabéns, mantenha assim, e se você não tem o hábito, adquira-o.
O consumo de água favorece a hidratação corporal. Melhora o tônus da pele. Umidece as fezes, tornando-as macias e diminuindo a constipação. Melhora a circulação...

Beba água!
Pratique exercícios!
Faça uma reeducação alimentar!
Viva com saúde!

Bonitinhos...Gostosinhos... Mas Ordinários!


Quer saber como são feitos os Nuggets?
Clique na Imagem.

sexta-feira, 14 de setembro de 2007

VERGONHA!

Charge publicada no "O GLOBO" em 13 de setembro de 2007.

Estética


Um dos maiores agentes motivadores que levam as pessoas à buscarem um nutricionista é ter o corpo perfeito. E muitas vezes, o que observo é que esta busca é um pouco cega. Esta “cegueira” acredito eu, se dá por algumas razões, mas eu considero a mais relevante, a falta de conhecimento da profissão. Muitos acreditam que o nutricionista é apenas um dietista, não um profissional de saúde. Tanto que alguns questionam sem passamos “medicamentos” para emagrecer.

E lamento quando vejo a decepção no rosto das pessoas. Mas felizmente, nós nutricionistas, somos profissionais que visam a promoção de saúde. Não somos profissionais que estimulam as pessoas a caírem nas “loucas aventuras” para atingir o corpo perfeito, pois infelizmente, muitas dessas aventuras são como drogas, dão prazer por algum tempo, mas depois “dão a conta”, com ganho excessivo de peso, ou perda excessiva (anorexia), e em todas, o estado psicológico é afetado.

Mas me alegro quando vejo que um paciente entende o tratamento de reeducação. E mais feliz quando ele atinge seus objetivos, apenas alimentando-se bem.

É inevitável que uma reeducação alimentar bem aplicada e exercida, assim como a prática de atividades físicas trarão ao indivíduo o tão sonhado “corpo perfeito”, condicionamento para as atividades cotidianas, mas acima de tudo, saúde.

E fazendo uso de uma frase milenar, espero que possam refletir:

“Mente sã em corpo são”

quarta-feira, 12 de setembro de 2007

Sempre à lançar...

Pois é...estão sempre à lançar uma nova moda... uma nova tendência e, claro, um novo conceito de “dieta”.

E hoje vou falar de um novo conceito, recentemente com reportagem publicada no “O Globo” (clique na figura). A princípio, ao longo da reportagem não observei grandes problemas neste conceito, aliás, quero deixar claro, não sou e nem aspiro ser “dono da verdade”, mas não posso negar meu olhar profissional sobre qualquer assunto que diga respeito á Nutrição.

A “Dieta dos Hábitos” parece pertencer à uma nova vertente das dietas gerais e atuais, ou seja, parte do princípio do “liberalismo”, do que “tudo pode...” desde que... Ainda não li muito a respeito, mas pelo que pude entender, a simples mudanças dos hábitos diários (não alimentares) favoreceria que o indivíduo atinja seu peso ideal.

E aqui faço uma observação.

Em minhas consultas, além de explicar e orientar meus pacientes quanto à adoção de novos hábitos alimentares, saliento que apenas a dieta não “faz milagres”, ajuda enormemente sim, mas não por completo. Dieta e atividade física devem caminhar juntas, e entendo por atividades físicas não somente a prática de esportes, mas a não-prática do sedentarismo. Ou seja, se você pode fazer um percurso de 1Km caminhando ou pedalando, porque fazê-lo de moto ou carro?

E quando me pergunto se determinada dieta (da lua, do sol, das estrelas,etc) fazem ou não efeito, deixo claro que sim, todas as dietas fazem efeito, mas em boa parte (e aí digo que a maioria) traz algum prejuízo, seja por deficiência de vitaminas, minerais, gordura (essenciais em diversas atividades fisiológicas do corpo), proteína ou carboidratos ou até mesmo pelo ganho de peso após o período de sacrifício.

O importante, sempre, é o equilíbrio. É buscar o ponto onde seu corpo recebe aquilo que precisa, a quantidade ideal para seu bom funcionamento.

Lembre-se da história: os extremismos nunca chegaram muito longe.

quarta-feira, 5 de setembro de 2007

O Homem Trocado

O homem acorda da anestesia e olha em volta. Ainda está na sala de recuperação. Há uma enfermeira do seu lado. Ele pergunta se foi tudo bem.
- Tudo perfeito - diz a enfermeira, sorrindo.
- Eu estava com medo desta operação...
- Por quê? Não havia risco nenhum.

- Comigo, sempre há risco. Minha vida tem sido uma série de enganos...

E conta que os enganos começaram com seu nascimento. Houve uma troca
de bebês no berçário e ele foi criado até os dez anos por um casal de orientais, que nunca entenderam o fato de terem um filho claro com olhos redondos. Descoberto o erro, ele fora viver com seus verdadeiros pais. Ou com sua verdadeira mãe, pois o pai abandonara a mulher depois que esta não soubera explicar o nascimento de um bebê chinês.
- E o meu nome? Outro engano.

- Seu nome não é Lírio?

- Era para ser Lauro. Se enganaram no cartório e...

Os enganos se sucediam. Na escola, vivia recebendo castigo pelo que não
fazia. Fizera o vestibular com sucesso, mas não conseguira entrar na universidade. O computador se enganara, seu nome não apareceu na lista.
- Há anos que a minha conta do telefone vem com cifras incríveis. No mês
passado tive que pagar mais de R$ 3 mil.
- O senhor não faz chamadas interurbanas?

- Eu não tenho telefone!

Conhecera sua mulher por engano. Ela o confundira com outro. Não foram
felizes.
- Por quê?

- Ela me enganava.

Fora preso por engano. Várias vezes. Recebia intimações para pagar dívidas
que não fazia. Até tivera uma breve, louca alegria, quando ouvira o médico dizer:
- O senhor está desenganado.
- Mas também fora um engano do médico. Não era tão grave assim. Uma simples apendicite.
- Se você diz que a operação foi bem...
A enfermeira parou de sorrir.

- Apendicite? - perguntou, hesitante.

- É. A operação era para tirar o apêndice.
- Não era para trocar de sexo?


Luís Fernando Veríssimo

Porque Precisamos Comer???

Será esta a grande questão da beleza? Para muitos, o simples ato de comer implica em sacrifício, porque precisam combater o prazer e a gula em prol da beleza corporal. Mas a pergunta que se faz é: "vale a pena?" Um fato que deve ser levado em conta é que comemos para viver. E vida não implica apenas em sobreviver, mas também interagir com o meio em que se vive. E esta interação também implica o prazer. Seja ele o gosto de um determinado alimento (bolo de chocolate, fruta, suco, pão, sopa etc.), seja ele o ato, o momento em que a refeição ocorre (reunião familiar, festa de aniversário etc.) Nosso organismo é como uma máquina, o motor de um carro, precisa de combustível. O combustível em questão seria a "glicose", um... açúcar! Mas também, esta máquina precisa de outros "combustíveis", ou melhor dizendo, componentes, as proteínas e as gorduras, os minerais e vitaminas. Cada um tem uma função, seja ela o fornecimento de energia, seja a formação de tecidos ou hormônios.

O alimento é fundamental para a manutenção de todos os processos vitais.
E uma dieta desequilibrada simplesmente desiquilibra a manutenção deste processo, seja pela falta ou excesso de nutrientes.

A EXPULSÃO DE DEUS

O Texto é longo, mas se tiver paciência, vale a pela.

Finalmente, a verdade é dita na TV Americana: A filha de Billy Graham estava sendo entrevistada no Early Show e a apresentadora Jane Clayson perguntou a ela:

- Como é que DEUS teria permitido algo horroroso assim acontecer como no dia 11 de setembro?

Anne Graham deu uma resposta extremamente profunda e sábia. Ela disse:

- Eu creio que DEUS ficou profundamente triste com o que aconteceu, tanto quanto nós. Por muitos anos nós temos dito para DEUS não interferir em nossas escolhas, sair do nosso governo e sair de nossas vidas. Sendo um cavalheiro como DEUS é, eu creio que Ele calmamente nos deixou. Como poderemos esperar que DEUS nos dê a Sua bênção e Sua proteção se nós exigimos que Ele não se envolva mais conosco? À vista dos acontecimentos recentes, ataque dos terroristas, tiroteio nas escolas, etc. Eu creio que tudo começou desde que Madeline Murray O'Hare (que foi assassinada e seu corpo encontrado recentemente), se queixou de que era impróprio se fazer oração nas escolas americanas como se fazia tradicionalmente, e nós concordamos com a sua opinião.

Depois disso, alguém disse que seria melhor também não ler mais a Bíblia nas escolas...

A Bíblia que nos ensina que não devemos matar, não devemos roubar, e devemos amar o nosso próximo como a nós próprios. E nós concordamos. Logo depois, o Dr. Benjamin Spock disse que não deveríamos bater em nossos filhos quando eles se comportassem mal, porque suas personalidades em formação ficariam distorcidas e poderíamos prejudicar sua auto estima (O filho do Dr. Spock cometeu suicídio).

E nós dissemos: "um perito nesse assunto deve saber o que está falando", e então concordamos com ele.

Depois alguém disse que os professores e os diretores das escolas não deveriam disciplinar os nossos filhos quando eles se comportassem mal.

Os administradores escolares então decidiram que nenhum professor em suas escolas deveria tocar em um aluno quando se comportasse mal, porque não queriam publicidade negativa, e não queriam ser processados. (Há uma grande diferença entre disciplinar e tocar, bater, dar socos, humilhar e chutar, etc.) E nós concordamos com tudo.

Aí alguém sugeriu que deveríamos deixar que nossas filhas fizessem aborto, se elas assim o quisessem, e que nem precisariam contar aos pais. E nós aceitamos essa sugestão sem ao menos questioná-la.

Em seguida algum membro da mesa administrativa escolar muito sabido disse que, como rapazes serão sempre rapazes, e que como homens iriam acabar fazendo o inevitável, que então deveríamos dar aos nossos filhos tantas camisinhas quantas eles quisessem, para que eles pudessem se divertir à vontade, e que nem precisaríamos dizer aos seus pais que eles as tivessem obtido na escola. E nós dissemos, "está bem".

Depois alguns dos nossos oficiais eleitos mais importantes disseram que não teria importância alguma o que nós fizéssemos em nossa privacidade, desde que estivéssemos cumprindo com os nossos deveres.

Concordando com eles, dissemos que para nós não faria qualquer diferença o que uma pessoa fizesse em particular, incluindo o nosso presidente da República, desde que o nosso emprego fosse mantido e a nossa economia ficasse equilibrada.

Então alguém sugeriu que imprimíssemos revistas com fotografias de mulheres nuas, e disséssemos que isto é uma coisa sadia, e uma apreciação natural da beleza do corpo feminino. E nós também concordamos.

Depois uma outra pessoa levou isto a um passo mais adiante e publicou fotos de crianças nuas e foi mais além ainda, colocando-as à disposição na Internet. E nós dissemos, "está bem, isto é democracia, e eles têm direito de ter a liberdade de se expressar e fazer isso".

A indústria de entretenimento então disse: "Vamos fazer shows de TV e filmes que promovam profanação, violência e sexo ilícito. Vamos gravar música que estimule o estupro, drogas, assassínio, suicídio e temas satânicos." E nós dissemos: "Isto é apenas diversão, e não produz qualquer efeito prejudicial. Ninguém leva isso a sério mesmo, então que façam isso!"

Agora nós estamos nos perguntando por que nossos filhos não têm consciência, e por que não sabem distinguir entre o bem e o mal, o certo e errado, por que não lhes incomoda matar pessoas estranhas ou seus próprios colegas de classe ou a si próprios...

Provavelmente, se nós analisarmos tudo isto seriamente, iremos facilmente compreender que nós colhemos exatamente aquilo que semeamos!

Se uma menina escrevesse um bilhetinho para DEUS, dizendo: "Senhor, por que não salvaste aquela criança na escola?"

A resposta Dele seria: "Querida criança, não me deixam entrar nas escolas!

Assinado: Do Seu DEUS."

É triste como as pessoas simplesmente culpam DEUS e não entendem por que o mundo está indo a passos largos para o inferno. É triste como cremos em tudo que os jornais e a TV dizem, mas duvidamos do que a Bíblia nos diz.

É triste como todo o mundo quer ir para o céu, desde que não precise crer, nem pensar ou dizer qualquer coisa que a Bíblia ensina.

É triste como alguém diz: "Eu creio em DEUS", mas ainda assim segue a satanás, que por sinal, também "crê" em DEUS. É engraçado como somos rápidos para julgar mas não queremos ser julgados! Como podemos enviar centenas de piadas pelo e-mail, e elas se espalham como fogo, mas quando tentamos enviar algum e-mail a respeito de DEUS, as pessoas têm medo de compartilhar e reenviá-lo a outros!

É triste ver como o material imoral, obsceno e vulgar corre livremente na Internet, mas uma discussão pública a respeito de DEUS é suprimida rapidamente na escola e no trabalho.

É triste ver como as pessoas ficam inflamadas a respeito de Cristo no Sábado ou Domingo, mas depois se transformam em cristãos invisíveis pelo resto da semana.

Você está achando graça? Você mesmo pode não querer reenviar esta mensagem a muitos da sua lista de endereços porque você não tem certeza a respeito de como a receberão, ou do que pensarão a seu respeito, por lhes ter enviado.

Não é verdade?

Gozado que nós nos preocupamos mais com o que as outras pessoas pensam a nosso respeito do que com o que DEUS pensa.

Veritatis simplex oratio

terça-feira, 4 de setembro de 2007

Pão e Água


Existem pessoas que acreditam que apenas reduzindo drasticamente o consumo perderá peso. Bem, a boa notícia é que isso é verdade! Mas... e como dizem... é no mas que reside a verdade... ou a fatia maior dela. Não é recomendável manter um regime, porque é este o nome e não dieta, por um período muito longo você depreciará alguns nutrientes e poderá a promover algum tipo de deficiência em vitaminas e minerais, ou até mesmo comprometendo seu rendimento, seu dia-a-dia. "Como assim comprometer meu rendimento?"
Redução de energia implica redução de eficiência...força..disposição!
Sem falar que do momento em que você retorna os velhos hábitos, o corpo recuperá a velha forma.
Por isso, o importante é uma dieta, uma reeducação alimentar.
A reeducação tem a finalidade de equilibrar seu consumo, "encaixar" dentro das suas necessidades a quantidade calórica para tal.
Um exemplo:
Duas pessoas, com a mesma idade, mesmo tamanho e mesmo sexo, a principio terão o mesmo gasto energético. Mas se uma delas pratica esporte e trabalha e a outra apenas estuda, obviamente, a primeira terá um gasto maior, o que implica em um consumo maior de calorias.
Mas a reeducação também avalia o estado fisiológico da pessoa, possíveis doenças (dislipidemias - colesterol e triglicerideos alterados - diabetes, hipertensão), o estado psiquico, o estado cultural e economico.
A reeducação só é possível quando se avalia globalmente o indivíduo. E é por esta razão que toda dieta é individual.

UM ESTÍMULO ESPECIAL


Conta-se que uma família do leste europeu foi forçada a sair de sua casa, quando tropas inimigas invadiram a localidade onde viviam.

Para fugir aos horrores da guerra, perceberam que sua única chance seria atravessar as montanhas que circundavam a cidade.

Se conseguissem ter êxito na escalada, alcançariam o país vizinho e estariam a salvo. A família compunha-se de umas dez pessoas, de diversas idades. Reuniram-se e planejaram os detalhes: a saída de casa, por onde tentariam a difícil travessia. O problema era o avô. Com muitos anos aos ombros, ele não estava muito bem. A viagem seria dura.

– “Deixem-me”, falou ele.

– “Serei um empecilho para o êxito de vocês. Somente atrapalharei. Afinal, os soldados não irão se importar com um homem velho como eu”.

Entretanto, os filhos insistiram para que ele fosse. Chegaram a afirmar que se ele não fosse, eles também ali permaneceriam.

Vencido pelas argumentações, o idoso cedeu. A família partiu em direção à cadeia de montanhas. A caminhada era feita em silêncio. Todo esforço desnecessário deveria ser poupado. Como entre eles havia uma menina de apenas um ano, combinaram que, a fim de que ninguém ficasse exausto, ela seria carregada por todos os componentes da família, em sistema de revezamento.

Depois de várias horas de subida difícil, o avô se sentou em uma rocha. Deixou pender a cabeça e quase em desespero, suplicou: – “Deixem-me para trás. Não vou conseguir. Continuem sozinhos”.

– “De forma alguma o deixaremos. Você tem de conseguir. Vai conseguir”, falou com entusiasmo o filho.

– “Não”, insistiu o avô, “deixem-me aqui”. O filho não se deu por vencido.

Aproximou-se do pai e energicamente lhe disse: – “Vamos, pai. Precisamos do senhor. É a sua vez de carregar o bebê”.

O homem levantou o rosto. Viu as fisionomias cansadas de todos. Olhou para o bebê enrolado em um cobertor, no colo do seu neto de treze anos.

O garoto era tão magrinho e parecia estar realizando um esforço sobre-humano para segurar o pesado fardo. O avô se levantou.

– “Claro”, falou, “é a minha vez. Passem-me o bebê”.

Ajeitou a menina no colo. Olhou para o seu rostinho inocente e sentiu uma força renovada. Um enorme desejo de ver sua família a salvo, numa terra neutra, em que a guerra seria somente uma memória distante tomou conta dele.

– “Vamos”, disse, com determinação.

– “Já estou bem. Só precisava descansar um pouco. Vamos andando”.

O grupo prosseguiu, com o avô carregando a netinha.

Naquela noite, a família conseguiu cruzar a fronteira a salvo.

Todos os que iniciaram o longo percurso pelas montanhas conseguiram terminá-lo. Inclusive o avô.

Se alguém a seu lado, está prestes a desistir das lutas que lhe compete, ofereça-lhe um incentivo. Recorde da importância que ele tem para a pequena ou grande comunidade em que se movimenta. Lembre-o que, no círculo familiar, na roda de amigos ou no trabalho voluntário, ele é alguém que faz a diferença. Ninguém é substituível. Cada criatura é única e tem seu próprio valor. Uma tarefa pode ser desempenhada por qualquer pessoa, mas uma pessoa jamais substituirá a outra. Não permita que ninguém fique à margem do caminho, somente porque não recebeu um incentivo, um estímulo, um motivo para prosseguir, até a vitória final.

Aquila non captat muscas

MUDE!!!


Um dia, quando os funcionários chegaram para trabalhar encontraram na portaria um cartaz enorme no qual estava escrito: "Faleceu ontem a pessoa que impedia seu crescimento na Empresa. Você está convidado para o velório na quadra de esportes".

No início, todos se entristeceram com a morte de alguém, mas depois de algum tempo, ficaram curiosos para saber quem estava bloqueando seu crescimento na empresa. A agitação na quadra de esportes era tão grande que foi preciso chamar os seguranças para organizar a fila do velório.

Conforme as pessoas iam se aproximando do caixão, a excitação aumentava:

- Quem será que estava atrapalhando o meu progresso?

- Ainda bem que esse infeliz morreu!

Um a um, os funcionários, agitados, aproximavam-se do caixão, olhavam o defunto e engoliam em seco.

Ficavam no mais absoluto silêncio, como se tivessem sido atingidos no fundo da alma. Pois bem, no visor do caixão havia um espelho... e cada um via a si mesmo...

Só existe uma pessoa capaz de limitar seu crescimento: Você mesmo! Você é a única pessoa que pode fazer a revolução de sua vida. Você é a única pessoa que pode prejudicar a sua vida e você é a única pessoa que pode ajudar a si mesmo.


"Sua vida não muda quando seu chefe muda, quando sua empresa muda, quando seus pais mudam, quando seu namorado(a) muda. A sua vida quando você muda! Você é o único responsável por ela”.

Porque a Dieta do “Dr. (Robert) Atkins” é questionável?

De vez em quando recebo alguns pacientes que me perguntam sobre determinadas dietas da moda e uma destas dietas é a famosa dieta do “Dr. Atkins”, ou a dieta das “proteínas e gorduras”.
Mas ao invés de expor passo-a-passo, vou “colar” um pequeno artigo que encontrei há alguns dias sobre o assunto:

Pesquisa de alunos de Nutrição contesta a dieta que incentiva o consumo de gordura e proteína

Em 1972, o cardiologista norte-americano Dr. Robert Atkins lançou uma nova forma de dieta, afirmando que o que fazia as pessoas engordarem não eram gorduras e proteínas, mas os carboidratos (pães, arroz, massa).

Essa novidade foi chamada de dieta hiperlipídica e hiperprotéica (muita gordura e muita proteína). Atualmente, é um dos mais populares e discutidos métodos de emagrecimento seguidos nos Estados Unidos e conquistou grande número de adeptos no Brasil. Ao contrário de todas as outras dietas, nesta é liberado o consumo de carnes, ovos, bacon, queijo e alguns poucos vegetais. Os carboidratos ficam restritos a uma quantidade entre 20 a 40 gramas por dia.

Para verificar a eficácia deste procedimento, o curso de Nutrição da Uniube iniciou, no ano de 2001, um projeto de pesquisa chamado Efeitos Anatômicos, Histológicos e Bioquímicos da Dieta Hiperlipídica e Hiperprotéica em ratos do tipo Wista. Baseadas nesta dieta, as alunas Lidiane Bernardes Faria e Daniela Braga Tarquínio, hoje no 6° período de Nutrição, deram início aos experimentos, que envolveram análises histológica, anatômica, patológica, bioquímica e comportamental, sob a orientação geral do professor Geraldo Thedei Júnior.

Inicialmente, foi realizada pesquisa, através de um questionário, com pessoas que diziam fazer a dieta. O professor Luís Cláudio Benavenuto, nutricionista, concluiu que havia altos índices de proteína e lipídio e baixos índices de carboidrato, mas não era a dieta do Dr. Atkins. Segundo Lidiane, "as pessoas seguiam uma folhinha lançada no mercado com explicações da dieta, mas não faziam acompanhamento da quantidade de carboidrato ingerido, nem da quantidade de corpos cetônicos eliminados na urina".

Uma ração especial foi montada e dada aos ratos de um grupo experimental durante doze semanas. Os resultados eram sempre comparados com os níveis dos ratos do grupo de controle (ratos que não se alimentavam com a dieta especial).

Ao final do experimento, "foi verificada esteatose hepática (acúmulo de gordura no fígado) no grupo experimental. A esteatose faz com que o órgão aumente de volume, peso e tamanho, e ficam bem evidentes gotículas de gordura no citoplasma das células".

Um dos pontos mais questionados na dieta do Dr. Atkins é que o cérebro precisa de energia rápida, na forma de glicose, para poder funcionar com eficiência, e acontece que é demorado o processo de produção de energia a partir de proteínas e gorduras. De acordo com Lidiane, quando isso acontece, "você quebra todo o seu ciclo bioquímico, que é a degradação dos alimentos. Isso leva à tontura e a pessoa fica com a memória mais lenta, de acordo com o estudo da nutrição. E estudando nutrição, eu te digo que essa dieta não faz bem".

A estudante ainda explica que não pode extrapolar o que se encontra em ratos para os seres humanos. "O objetivo do projeto era provar que a dieta não fazia bem para os ratos e provamos. A partir do momento em que foi encontrada esteatose, as análises bio-químicas mostraram que houve diferença entre os ratos-controle e os ratos experimentais, e que foram encontradas diferenças entre o início e o final do experimento. A gente não quer extrapolar para o ser humano, a gente só quer mostrar que essa dieta pode fazer mal", afirma Lidiane.

De acordo com o método de emagrecimento do Dr. Atkins, o corpo humano, privado de carboidratos, passaria a queimar a gordura acumulada, transformando estas em cetonas, o que o cardiologista chama de "cetose benigna". O indivíduo elimina muitos desses corpos cetônicos pela urina e também pelo ar expirado, o que causa um grande mau hálito. De acordo com Lidiane, "foi visto que os ratos experimentais urinavam dez vezes mais que os ratos de controle".

Fonte: http://www.revelacaoonline.uniube.br/saude03/dieta.html

Desnutrição Intrauterina Pode Favorecer Obesidade na Infância e Vida Adulta

A Desnutrição Intrauterina pode predispor a criança à obesidade.
De acordo com estudos apresentados no Consenso Latino Americano para Obesidade, quando existe desnutrição intrauterina, sobretudo a partir da 30ª semana de gestação, e até que a criança cumpra um ano de idade, se produz um aumento da sensibilidade para a proliferação de adipositos.
Se estas crianças recebem um aporte maior que o necessário da etapa pós-natal e principalmente durante os dois primeiros anos de vida, desenvolvem obesidade com maior facilidade, diz o estudo, aparentemente devido a modificações dos centros reguladores do apetite, situados no sistema nervoso central. Outras pesquisas projetam que estas crianças, ao crescer, apresentarão maior incidência de resistência à insulina, diabetes mellitus tipo II, hipertensão arterial e enfermidade coronária. Estas condições se evitam se não for favorecida a dita sobrenutrição pós-natal.

segunda-feira, 3 de setembro de 2007

SUPER SIZE ME


Clique na figura ao lado e veja o vídeo fantástico no Youtube!

Obesidade

Hoje vou explicar um pouco o que é obesidade...
Seria simples dizer: obesidade é "estar" gordo. Bem... de forma simples, é isso, mas a obesidade é mais do que isso. "É uma enfermidade crônica que se acompanha de múltiplas complicações, caracterizada pela acumulação excessiva de gordura ("estar" gordo, e não "ser" gordo) em uma magnitude tal que compromete a saúde" (Consenso Latino Americano em Obesidade).

Mas... quais complicações?
As mais comuns são diabetes mellitus, hipertensão arterial, dislipidemias, alterações osteomusculares e até mesmo alguns tipos de carcinomas.

Então... a obesidade mata? Sim.. a obesidade pode matar.
A obesidade é ainda o resultado de ingerir mais energia que a necessária. Não há dúvidas que este consumo excessivo pode iniciar-se em fases muito remotas da vida, nas quais as influências culturais e os hábitos familiares possuem um papel fundamental.

A obesidade possui fatores de caráter múltiplo, tais como os genéticos, psicosociais, cultural-nutricionais, metabólicos e endócrinos. A obesidade, portanto, é gerada pela interação entre fatores genéticos e culturais, assim como familiares.

Hoje fico por aqui, mas logo voltarei com mais informações.
Um grande abraço!

domingo, 2 de setembro de 2007

Obesidade é maior risco à saúde na União Européia


A obesidade é a maior ameaça à saúde na União Européia, disse na sexta-feira a autoridade de saúde do bloco, Markos Kyprianou, numa entrevista à Reuters. Números da Comissão Européia mostram que até 27 por cento dos homens europeus e 38 por cento das mulheres são obesos. A prevalência da obesidade mais que triplicou em muitos países europeus desde a década de 1980, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). "A obesidade é a maior ameaça à saúde que a UE enfrenta no século 21. É uma pandemia que vai continuar afetando nossa economia se os países-membros não tomarem providências já," disse o comissário de saúde da UE. As doenças relacionadas à obesidade respondem, segundo estimativas, por até 7 por cento dos custos de saúde no bloco, que possui 27 países. "As crianças obesas de hoje são os adultos obesos de amanhã, o que será um fardo enorme sobre os serviços de saúde de nossos países e vai prejudicar a competitividade de nossa indústria, já que as pessoas não vão poder trabalhar direito, e haverá o custo dos dias sem trabalho", disse Kyprianou. A Comissão Européia e a Uefa, entidade que comanda o futebol na Europa, anunciaram na quinta-feira uma campanha publicitária que visa incentivar as pessoas, principalmente crianças, a fazer exercício. A campanha será transmitida durante os jogos da Copa dos Campeões. A UE estima que 3 milhões de crianças européias sejam obesas, e que 85 mil mais fiquem obesas por ano.
(Fonte: http://cienciaesaude.uol.com.br/ultnot/reuters/2007/08/31/ult4296u373.jhtm)

Composto do Brócolis pode Melhorar o Sistema Imunológico

Um composto encontrado no brócolis e em vegetais do mesmo gênero pode ter mais benefícios para a saúde do que se imaginava, melhorando significativamente o sistema imunológico, segundo pesquisa da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Diversas pesquisas já vêm demonstrando as propriedades anticâncer do composto chamado de diindolylmethane (DIM), produzido quando vegetais como o brócolis, o repolho e a couve são mastigados e digeridos. O novo estudo, com ratos e cultura de células, mostrou que esse composto pode impulsionar o sistema imunológico, com o aumento nos níveis de linfócitos e de quatro tipos de citoquinas, proteínas que ajudam a regular o sistema, oferecendo proteção contra diversos tipos de infecção e câncer.
(reportagem: clique na figura ao lado)

O Nutricionista


O nutricionista é um profissional com formação generalista, humanista e crítica, capacitado a atuar visando à segurança alimentar e à atenção dietética, em todas as áreas do conhecimento em que a alimentação e nutrição se apresentem fundamentais para a promoção, manutenção e recuperação da saúde e prevenção de doenças de indivíduos ou grupos populacionais, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida, pautado em princípios éticos, com reflexões sobre a realidade econômica, política, social e cultural. Em resumo, é um profissional que visa a promoção de saúde.

A profissão foi regulamentada em 1967, pela lei federal no. 5.276 e hoje substituída pela lei no. 8234, de 1991 e, é representada por órgãos como o CFN (Conselho Federal de Nutricionistas) e CRN (Conselho Regional de Nutricionistas).

O nutricionista é um parceiro, um parceiro em várias áreas, e posso citar aqui algumas: medicina, educação, empresas do ramo alimentício e governo. As áreas de atuação do nutricionista são classificadas da seguinte forma: Alimentação Coletiva; Nutrição Clínica; Saúde Coletiva; Docência; Nutrição Esportiva; Indústria de Alimentos e; Marketing em Alimentação e Nutrição. Atualmente um novo campo se abre para os nutricionista, a área técnica, de assessoria à empresas.

Ao longo vou detalhando cada área, para que tenham mais conhecimento do vasto campo de atuação do nutricionista.