terça-feira, 9 de outubro de 2007

Ômega 3 e ômega 6

Talvez este seja um daqueles assuntos que eu gosto de tratar para desmistificar a turma que diz "Comer gordura Dr.? Pode?"
Há um grande número de pessoas que acreditam que comer gordura seja o problema de seus males, sejam eles colesterol alto, triglicerídeos (depois explico porque e como eles aumentam) ou aquele pnezinho irritante (excesso de peso).
De fato, as gorduras podem ser grandes vilões mas somente em determindas condições: qualidade e quantidade.
Mas nesta coluna ficarei restrito à uma determinada qualidade de gordura.
Os ácidos graxos (gorduras) ômega 3 e ômega 6 são dois óleos considerados essenciais, ou seja, o ser humano não tem a capacidade de sintetizá-los e por isso devem ser adquiridos na alimentação.
"E porque são essenciais?"
Porque são necessários, entre outras funções, na manutenção, sob condições normais, das membranas celulares, das funções cerebrais e da transmissão de impulsos nervosos. Esses ácidos graxos também participam da transferência do oxigênio atmosférico para o plasma sangüíneo, da síntese da hemoglobina e da divisão celular.
O ômega 3 auxilia na redução dos níveis de triglicerídeos e colesterol, assim como o ômega 6.

Suas principais fontes são as nozes, castanhas, peixes e óleos vegetais.

Mas cuidado, nunca exagere no consumo, além de possibilitar a redução do colesterol ruim (LDL), também pode reduzir o colesterol bom (HDL). Num primeiro momento ele aumenta o HDL, mas o excesso faz reduzir. Sem contar que há o ganho de peso, pois mesmo sendo muito bom para saúde, não deixa de ser um óleo, gordura, oferecendo muitas calorias.

Nenhum comentário: