domingo, 6 de janeiro de 2008

Talassemia


A talassemia é uma doença do sangue de natureza hereditária.
Também denominada de Anemia do Mediterrâneo por ser mais comum nesta região em pessoas descendentes de Italianos, Gregos, Asiáticos e Africana. Também conhecida por Anemia de Cooley, nome dado em homenagem ao médico que primeiro a descreveu em 1925. Trata-se de um grupo de enfermidades genéticas do sangue que afeta a capacidade da pessoa de produzir hemoglobina (Hemoglobina é uma proteína que existe em nossas células vermelhas (hemácias) que transporta oxigênio para todas as partes do corpo).
O diagnóstico é feito através de estudo do sangue do paciente e de seus familiares. É necessário a realização de hemograma com estudo morfológico das hemácias, a realização de Eletroforese de Hemoglobina qualitativo e quantitativo com determinação de Hb fetal e A2 e dosagem de ferro e ferritina. Existem testes que podem ser feitos durante a gravidez para determinar se um feto é portador de talassemia.
A enfermidade só pode ser prevenida hoje através do aconselhamento genético pré natal de casais portadores.
Aparentemente saudáveis ao nascer, desenvolve-se ao longo do primeiro ano de vida os primeiros sinais da anemia que caracteriza a doença: palidez, desânimo, falta de apetite e hipodesenvolvimento. Com o tempo tornam-se ictérico (a pele e a esclerótica ocular tornam-se amarelos).
A anemia persistente leva a um aumento do baço, fígado e coração. Os problemas cardíacos e as infecções são as causa mais comuns de morte entre as crianças com Talassemia maior. A forma intermediária ou menor apresentam estes mesmos sintomas em grau que vão do moderado a quase nenhum.
Não há nenhum problema associado ao indivíduo portador do traço thalassemico. Algumas vezes pode existir pequena anemia levando a leve cansaço. A suspeita de traço thalassemico deve ser considerada nos indivíduos tratados para anemia por deficiência de ferro que não respondem a terapêutica. Estes indivíduos não são mais susceptíveis à infecções que os indivíduos normais e não apresentam qualquer outra complicação associada.

6 comentários:

michelle disse...

Muito bom!!!!!!!!!1
Tenho prova de hematologia na préxima semana!
O material me deu uma luz!!

Clara disse...

ola tudo bom? eu descobri que sou talassemica a quase 13 anos atras depois de um periodo anemico muito forte. hoje tomo de vez em quando alguns suplementos vitaminicos de ferro e b12. gosto muito da alimentacao vegetariana e nao sinto mais prazer em comer carne. voce acha que tem perigo eu virar vegetariana (ainda comendo peixes, ovos e leite) ? obrigada !

Dr. Rodrigo Fontes disse...

Olá Clara,
com acompanhamento nutricional adequado, é possível você ter uma dieta mais vegetariana.
Mas, procure um(a) nutricionista para poder fazer seu acompanhamento.
Abraços

Meiri disse...

Olá, gostei muito da sua explicação.
Estou com um aumento do baço e a Médica solicitou um exame de Talassemia, por ter descendência de espanhois e no exame normal não acusou anemia.
Grata um abraço.
Meiri

Camila E, Peres disse...

Olá estou terminando meu tcc sobre este tema... porém há pouco material de apoio, estou com dúvidas sobre a terapia nutricional da talassemia maior, que há casos de transfusão sanguínea , onde o ferro está presente em grande quantidade... por tanto conclui que deve ser feito um plano alimentar quelante de ferro, você concorda?

Manoela dos Santos Silva disse...

Gostei muito da sua explicação, gostaria da indicação de livros para o estudo da terapia nutricional da talassemia maior. Pois ocorre a transfusão sanguínea e mesmo assim me deparei com um caso da ferritina serica se encontrar 1,1 ng/ml.