terça-feira, 11 de março de 2008

Amigos

"Escolho meus amigos não pela pele ou outro arquétipo qualquer, mas pela pupila.

Tem que ter brilho questionador e tonalidade inquietante.
A mim não interessam os bons de espírito nem os maus de hábitos.
Fico com aqueles que fazem de mim louco e santo.
Deles não quero resposta, quero meu avesso.
Que me tragam dúvidas e angústias e agüentem o que há de pior em mim.
Para isso, só sendo louco.
Quero os santos, para que não duvidem das diferenças e peçam perdão pelas injustiças.
Escolho meus amigos pela alma lavada e pela cara exposta.
Não quero só o ombro e o colo, quero também sua maior alegria.
Amigo que não ri junto, não sabe sofrer junto.
Meus amigos são todos assim: metade bobeira, metade seriedade.
Não quero risos previsíveis, nem choros piedosos.
Quero amigos sérios, daqueles que fazem da realidade sua fonte de aprendizagem, mas lutam para que a fantasia não desapareça.
Não quero amigos adultos nem chatos.
Quero-os metade infância e outra metade velhice!
Crianças, para que não esqueçam o valor do vento no rosto; e velhos, para que nunca tenham pressa.
Tenho amigos para saber quem eu sou.
Pois os vendo loucos e santos, bobos e sérios, crianças e velhos, nunca me esquecerei de que "normalidade" é uma ilusão imbecil e estéril".

Oscar Wilde

Culpa


Talvez um dos sentimentos mais complicados de se lidar é a culpa. E na nutrição não é diferente.
Um exemplo: você já tentou fazer algum regime ou dieta para perder peso? E durante o período deu aquela "fugida" até a geladeira e comeu tudo que tinha e mais um pouco? Mas... depois ficou com aquele sentimento de culpa por ter exagerado?
Uma das coisas que sempre falo aos meus pacientes é que jamais "nutram" esse sentimento. Ele é terrível. Destrói qualquer progresso que se tenha alcançado.
Porque?
Normalmente a pessoa que sente culpa por ter exagerado numa refeição procura os caminhos mais fáceis: derrota ou compensação.
A derrota vem quando ela se entrega e diz a si mesma: "Não tenho jeito! Sou um glutão mesmo e não tem como eu conseguir" "Vou desistir"
E o pior, é que essas pessoas em sua maioria desistem mesmo. E eu fico triste por isso, porque um grupo desisti de tudo sem nunca ter procurado ajuda profissional e, outro grupo desisti porque não acredita em mais nenhum profissional, nem em si mesma.
É preciso ser perseverante, não desanimar, seguir em frente.
Já a compensação seja talvez a forma mais punitiva ao corpo. E sensível.
Quando você tenta compensar uma "orgia alimentar", você procura fazer o quê normalmente? Deixar de comer.
Isso é um perigo, porque não é isso que se deve ser feito, pelo contrario. Deve-se continuar se alimentando, porém dentro do sue padrão normal e ideal. Ou seja, dentro das suas necessidades.
Quando se deixa de comer com o intuito de se "auto-flagelar" e tentar perder as calorias que ganhou, você causa um desiquilibrio no organismo. Você sai de um extremo ao outro, do "calor intenso ou frio congelante".
É preciso ter cuidado, porque esse sentimento é típico dos pacientes com bulimia.
Um conselho.
Nunca tente sair de seu padrão quando você se encontrar numa situação de extremo. Se você comeu muito num dia, numa festa etc., não fique sem comer, continue mantendo seu padrão, dentro de suas necessidades. Também não desista. Um dia de "gula" não é o fim, é apenas um dia como outro qualquer, porém com uma pitada de exagero. Siga em frente, procure ajuda de um especialista, tenha uma orientação alimentar em mãos para não ficar sem referências.

Equilíbrio é uma das palavras chaves da boa alimentação.
Seja feliz, mesmo quando errar, corrija seu erro sem se machucar.
Um forte abraço!

segunda-feira, 3 de março de 2008

Hidratação


Estamos passando por um período de muito calor, um veranico como alguns dizem. Altas temperaturas... baixa umidade.. sede. Nosso corpo tem formas peculiares de se comunicar conosco. A sensação de sede é uma delas.
Nosso corpo tem em média 54% do seu peso composto de água.
É importante mantermos o corpo hidratado. Mesmo que você não goste da água pura e simples, não deixe de ingerir líquidos.
A água, pura ou presente em diversos alimentos, auxilia na digestão, deixando o bolo alimentar úmido e facilitando assim sua passagem pelo trato intestinal. Auxilia na formação do bolo fecal, deixando-o mais amolecido e consequentemente diminuindo os problemas com constipação. A água também esta presente no controle hidroeletrolítico, ou seja, ela atua de forma decisiva no equilíbrio dos sais minerais que ingerimos, evitando, por exemplo, o aumento de volume nos vasos sanguíneos que pode levar à hipertensão.
Favorece a elasticidade da pele, ajuda a reduzir a temperatura corporal (suor), mas também é um veículo "formidável" de contaminação, e por esta razão, deve-se ter cuidado com a qualidade da água que você consome.
Beba água, viva com saúde!