quarta-feira, 30 de abril de 2008

Circuitos Cerebrais Podem Explicar Efeito Sanfona


Quem me conhece e conhece um pouco da minha história acadêmica, sabe que durante algum tempo trabalhei com pesquisa científica na UFRJ e, mesmo estando afastado, ainda tenho grande carinho e interesse por alguns temas. E acredito que este artigo que estou "repetindo" aqui é um deles.

Fonte: Nutritotal
Autor: Chico Damaso

Erradicado há dois anos e meio nos Estados Unidos, o brasileiro Ivan de Araújo, juntamente com outros pesquisadores, concluiu na Universidade de Duke, na Carolina do Norte, Estados Unidos, que, mesmo na ausência de qualquer estímulo gustativo, o cérebro é capaz de preferir alimentos mais calóricos.

O cientista, desconfiado do paladar como mecanismo único, passou a estudar os mecanismos biológicos que fazem as pessoas engordarem, por meio de camundongos em laboratório.

Embora o paladar desempenhe importante papel na busca dos animais por nutrientes, mecanismos cerebrais estimulam a procura por alimentos mais calóricos. A conclusão veio a partir da modificação destes camundongos, fazendo com que perdessem a capacidade de sentir sabores doces.

Mesmo assim, os animais continuaram preferindo os alimentos mais calóricos, contrariando o que até então se sabia sobre o consumo exagerado de calorias.

Embora as bases neurobiológicas não estejam totalmente compreendidas, o estudo avaliou os circuitos cerebrais ligados à recompensa e aos valores metabólicos. Segundo os autores, foi possível comprovar que camundongos sem maquinaria celular para doce e sabor desenvolveram forte preferência por soluções de sacarose, com base exclusivamente no teor calórico. Também foi observado que a indução de ingestão da sacarose acarretou em liberação de dopamina, geralmente associado à recompensa.

Neurônios localizados nesta mesma região mostraram aumento da sensibilidade à ingestão calórica, mesmo na ausência de insumos gustativos. Os resultados sugerem que nutrientes ricos em calorias podem influenciar diretamente a recompensa de circuitos cerebrais que controlam a ingestão alimentar, independentemente de palatabilidade.

Os resultados do trabalho, que poderá auxiliar na compreensão de causas da obesidade, foram publicados na última edição da revista Neuron, no artigo Food reward in the absence of taste receptor signaling, de Ivan E. de Araújo e outros.

O CÉREBRO E AS VERSÕES LIGHT

Com base no estudo, o autor sugere que diminuir o consumo de calorias por meio da substituição de alimentos por versões light talvez seja ineficaz. Mesmo que o gosto e a aparência sejam semelhantes, os mecanismos cerebrais podem interferir, preferindo a versão mais calórica.

A recompensa, portanto, não está no sabor, mas nas calorias. Além desse mecanismo, independentemente da palatabilidade, influenciar para o consumo de alimentos mais calóricos, os estímulos de recompensa, que respondem ao que é palatável, também respondem ao valor nutritivo, ainda que na ausência da gustação.

O ESTUDO

Foram analisados dois grupos de camundongos. No primeiro, animais geneticamente modificados para não sentir sabores doces. O outro grupo era formado por camundongos normais.

No estudo controlado envolvendo os dois grupos, foram oferecidas soluções de água com altas concentrações de açúcares (sacarose), água pura e água com um adoçante comercial (sucarose). Tanto os animais normais, quanto os impedidos de detectar sabores, preferiram a água com sacarose. O comportamento se manteve mesmo com a mudança de lugar dos reservatórios de água.

A clara preferência pela caloria, mesmo na ausência de prazer ligado ao paladar, foi comprovada ao substituir a sacarose pelo adoçante artificial sucarose. Enquanto o animal normal também gostava do adoçante, o camundongo transgênico manteve-se indiferente.

Em análise aos padrões cerebrais dos camundongos mutantes, o sistema de recompensa permaneceu ativo quando havia calorias, mesmo sem o componente sensorial. Na ausência de calorias, os níveis de emissão não eram detectáveis. Nos animais normais, os níveis aumentavam em ambos os casos.

Para o primeiro autor do estudo, Ivan de Araújo, embora o “sexto sentido” dos animais para alimentos calóricos não tenha sido desvendado, uma explicação plausível é que hormônios presentes no cérebro sejam capazes de detectar receptores para insulina. Outra possibilidade apontada pelo cientista é que o cérebro seja capaz de detectar alterações nos níveis sangüíneos de glicose por meio de hormônios específicos.

Referência(s)

Araújo IE, Oliveira-Maia AJ, Sotnikova TD, Gainetdinov RR, Caron MG, Nicolelis MAL. Neuron 2008;57:930-941. Food Reward in the Absence of taste Receptor Signaling. Disponível em: http://www.neuron.org/content/article/abstract?uid=PIIS0896627308001190. Acessado em 22.04.2008

sábado, 26 de abril de 2008

Para Descontrair: A Origem do Nome da Bahia

Gestantes - Consumo de Bebidas Alcoólicas


Um problema grave e que traz consequências graves é o consumo de álcool durante a gestação. Assim como o hábito de fumar, o consumo de bebibas alcoólicas em excesso pode promover a má formação fetal. As sequelas podem ser não aparentes até o retardo do crescimento intra-uterino e lactentes com danos graves. Por exemplo, o consumo de bebidas alcoólicas no final da gestação resulta em supressão, impedimento da respiração fetal. E, entre os efeitos da exposição incluem retardo mental, prejuízo do sistema imunológico e anormalidade dos ossos craniofaciais e dos membros.
Outro grave problema é a má formação do Tubo Neural.
Uma explicação possível para tantos danos é o fato de que as bebidas alcoólicas fornecem calorias que são mais dificeis de ser metabolizadas pela mãe e pelo feto, desprovidas de proteínas, minerais e vitaminas. Uma ingestão de 1500 Kcal/dia de etanol não alcançará as necessidades dos outros nutrientes essenciais a partir do terço remanescente das calorias que pode ingerir, resultando numa menor absorção, metabolismo e uso de nutrientes. A síntese de proteína materna é diminuída, a transferência placentária de aminoácidos é restringida e a disponibilidade de Zinco e Vitamina A, ácido fólico e tiamina torna-se reduzida.
Mas é importante salientar que é o consumo excessivo que traz prejuízos. O consumo, por exemplo de uma taça de vinho ocasionalmente, pode trazer benefícios.
Faça o pré-natal, vá ao seu médico regularmente e procure um nutricionista para saber quais os possíveis erros alimentares que esteja comentendo.

Até a próxima!

sexta-feira, 25 de abril de 2008

Sugestões Para "Combater" a ANSIEDADE


Na coluna anterior falei sobre a ansiedade, os prejuízos que ela traz, principalmente para quem esta querendo emagrecer.

Eu sempre procuro passar a meus pacientes e amigos que é importante sempre se manter "ocupado". Não uma ocupação trabalhosa, mas também prazerosa. É importante ter durante seu dia momentos de lazer, descontração, momentos seus. Ler, passear, caminhar, correr, viajar, nadar, ir à praia, ao cinema, ao parque, à casa de um amigo, escrever uma carta, um livro, um poema! Por que não? Faça algo novo na sua vida, saia do cotidiano, ele aprisiona! Conheça novas pessoas, novos lugares, visite museus, leia novos autores. Aprenda um novo idioma, tocar um instrumento.
Namore...ame alguém...compartilhe!

Faça uma boa ação!

Levante mais cedo...saia e respire profundamente o ar da manhã.

Agora vou deixar algumas sugestões para você começar a mudar.

  • Procure dormir bem. Desligue-se de tudo na hora de deitar. Em silêncio, pense somente em atividades agradáveis. Uma noite mais tranqüila, garante repouso profundo e, consequentemente, mais disposição para enfrentar o dia seguinte;
  • Acorde mentalizando boas realizações. Acredite que tudo dará certo e que você conseguirá atingir o seu objetivo;
  • Faça suas refeições e lanches em horários regulares todos os dias. Dessa forma, você estará no controle dos horários e evitará comer a qualquer momento;
  • Evite fazer outra atividade enquanto come, como: assistir televisão, ler uma revista, falar ao telefone, entre outras. Isso poderá distraí-la(o) e você não perceberá o quanto está comendo. Além do mais, toda vez que se sentar para ver televisão, por exemplo, você se lembrará da comida;
  • Procure fazer atividades que proporcionam prazer. Pode ser aquela visita ao cabeleireiro, um cinema, uma viagem;
  • Quando sentir impulso de comer fora dos horários das refeições e dos lanches, experimente escovar os dentes para distrair-se;
  • Não faça compras com o estômago vazio. É mais fácil comprar compulsivamente quando está com fome;
  • Antes de ir ao supermercado, faça uma lista do que precisa e compre somente o que estiver nela!
  • Mantenha-se ocupado. Você pode ler, costurar, limpar a casa, molhar as plantas, escrever cartas e e-mails, arrumar gavetas, ir às compras ou tomar um banho demorado para evitar comer a cada minuto;
  • Mantenha-se longe de alimentos "tentadores". Não compre, ou esconda, alimentos que sejam ricos em calorias. Lembre-se: longe dos olhos, longe da boca!
  • Planeje uma "recompensa semanal" para estimular a si próprio, como por exemplo, compre uma roupa nova sempre que você tiver conseguido boas mudanças em seus hábitos alimentares e nos exercícios físicos.


Uma excelente vida para você.

Para fechar, vou colocar um versículo que para mim é mais do que um milagre de Jesus, é um convite.


"Ora, para que saibais que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados (disse então ao paralítico): Levanta-te, toma a tua cama, e vai para tua casa"

Mateu 9.6

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Ansiedade


Comer um pedaço de torta de chocolate de vez em quando não é nenhum pecado. Ao contrário, pode até ajudar a relaxar depois de um dia estressante. Mas quando o desejo de devorar a torta inteira se torna freqüente é melhor ficar alerta: você pode estar buscando alívio dos momentos difíceis na comida!

Qualquer pessoa, em um ou outro momento da vida, passa por fases de preocupação e stress, que podem desencadear manifestações físicas (palpitações, tonturas, dores no peito, fadiga, etc) ou manifestações psicológicas (ansiedade, depressão, etc). Algumas pessoas buscam alívio destes momentos difíceis em comida ou vícios (bebidas, fumo). A compulsão alimentar, fato que é muito comum em nossa vida tão agitada, faz com que ganhemos peso, e nada mais é, do que uma fuga ou tentativa de diminuir a ansiedade e stress vivido.

Esse comportamento, porém, pode ocasionar um ganho de peso excessivo e interromper tratamentos para emagrecimento, resultando no conhecido efeito "sanfona".

Além disso, sabemos que a obesidade e os aspectos emocionais estão estreitamente ligados.

E, se existe um sentimento que interfere consideravelmente no progresso de uma reeducação alimentar é a ansiedade, provavelmente o maior inimigo. A ansiedade, no caso de pessoas com problemas de obesidade, pode estar indicando que alguma necessidade não está sendo satisfeita, que há um "vazio" que o comer nunca irá preencher. Uma das conseqüências freqüentes nesta maneira de funcionar é que a auto estima é atingida, dificultando ainda mais o processo de aceitar-se e de se sentir aceita (o) e amada (o) pelos outros. Além disso, vem se configurando como um dos grandes problemas de nossos tempos. Vida agitada, pressão, stress se somam gerando esta doença que tanto prejudica a qualidade de nossas vidas. (Dr. Isaac Efraim, médico psiquiatra).

De acordo com o Dr. Isaac, em seu site Ansiedade.com.br, a ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central conseqüente a interpretação de uma situação de perigo. Parente próximo do medo, (muitas vezes onde a diferenciação não é possível). É distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas.

A principal característica psíquica do estado ansioso é uma excitação, uma aceleração do pensamento, como se estivéssemos elaborando, planejando uma maneira de nos livrar do perigo e da maneira mais rápida possível. Este movimento mental, na maioria das vezes acaba causando uma certa confusão mental, uma ineficiência da ação, um aumento da sensação de perigo e de incapacidade de se livrar do perigo o que configura um círculo vicioso, pois esta sensação só faz aumentar ainda mais o estado ansioso. “Mente acelerada é mente desequilibrada”.

O primeiro passo para tentar emagrecer os quilos extras, nestes casos, é aprender a administrar as dificuldades vividas e não procurar alívio no prato de comida. A compulsão alimentar pode ser comparada ao vício do alcoolismo ou do fumo: após comer em demasia, a pessoa sente-se mal e culpada, ficando ainda mais deprimida e comendo tudo o que "vê pela frente". Sentir prazer em comer, não é errado, uma vez que traz bem-estar. Basta não exagerarmos.

O ideal é evitar os pensamentos negativos. Quando queremos iniciar um programa de emagrecimento, a primeira regra a seguir é automotivar-se. Estabeleça suas metas para emagrecer e faça de tudo para consegui-las. Acredite em você e em seu poder. Verá que com propósitos positivos em sua vida, será muito mais fácil transformar seus pensamentos em ações concretas, emagrecendo de uma forma muito mais saudável. Afinal, "querer é poder"!

Para alcançar o máximo de sucesso em seu programa de emagrecimento, você precisa passar por algumas mudanças em seu comportamento.

Em breve estarei comentando sobre coisas simples que poderão ajudar muito.

Um grande abraço!



Gestantes - Ganho de Peso


Um dos pontos mais preocupantes hoje para uma gestante é o ganho de peso. Nas últimas décadas, com o aumento do número de indivíduos com obesidade, o número de mulheres que iniciam uma gestação com sobrepeso ou até mesmo obesidade também aumentou muito.
Para uma gestação iniciar de forma segura, sem grandes sustos durante a gestação, o ideal é a gestante estar com IMC (Índice de Massa Corporal - clique aqui para ler a coluna sobre IMC) dentro da faixa de normalidade, ou seja, entre 20 e 25Kg/m².
O ganho de peso de uma gestante incluem o feto, a placenta, o líquido aminiótico, o útero e o tecido mamário. Além desses itens, o acúmulo de liquídos também favorece o ganho de peso.
Um ganho de peso adequado, para uma gestante que iniciou a gestação com IMC normal é em torno de 7,5Kg (mínimo) e 12Kg (máximo). Obviamente que em alguns casos é possível um ganho maior ou menor, mas ista varia para cada caso.
Em breve estarei abordando mais sobre o ganho de peso para mulheres com sobrepeso e obesidade e os riscos da gravidez.

terça-feira, 22 de abril de 2008

National Geographic




CLIQUE PARA AMPLIAR

Para Refletir


Um dia, uma pequena abertura apareceu no casulo. Um homem sentou e observou a borboleta por várias horas, conforme ela se esforçava para fazer com que seu corpo passasse através daquele pequeno buraco...

Então, pareceu que ela havia parado de fazer qualquer progresso. Parecia que ela tinha ido o mais longe que podia, e não conseguia ir mais. Então o homem decidiu ajudar a borboleta: ele pegou uma tesoura e cortou o restante do casulo. A borboleta, então, saiu facilmente. Mas seu corpo estava murcho e era pequeno e tinha as asas amassadas.

O homem continuou a observá-la porque ele esperava que, a qualquer momento,as asas dela se abrissem e esticassem para serem capazes de suportar o corpo que iria se afirmar a tempo. Nada aconteceu! Na verdade, a borboleta passou o resto de sua vida rastejando com um corpo murcho e asas encolhidas. Ela nunca foi capaz de voar.

O que o homem, em sua gentileza e vontade de ajudar, não compreendia era que o casulo apertado e o esforço necessário à borboleta para passar através da pequena abertura era o modo pelo qual Deus fazia com que o fluido do corpo da borboleta fosse para as asas, de forma que ela estaria pronta para voar uma vez que estivesse livre do casulo.

Algumas vezes, o esforço, é justamente o que precisamos em nossas vidas. Se Deus nos permitisse passar através de nossas vidas sem quaisquer obstáculos, Ele nos deixaria aleijados. Não iríamos ser tão fortes como poderíamos ter sido. Nós nunca poderíamos voar.

Estudos científicos descobrem relação entre o cálcio e a perda de peso


Ingestão diária do mineral em quantidade recomendada produz importante

diminuição da gordura corporal e ajuda no combate à obesidade

Cada vez mais a obesidade tem sido reconhecida como um problema de origem multifatorial, onde estão envolvidos fatores ambientais, nutricionais, fisiológicos e genéticos. Dentro dessa complexidade, inúmeros estudos científicos atuais apontam para fatores cada vez mais específicos, na tentativa de encontrar saídas para esse grande problema de saúde pública. Foi durante um desses estudos que um efeito “antiobesidade” do cálcio proveniente nos laticínios foi observado. Essa investigação demonstrou que uma maior ingestão de cálcio (entre 400-1000mg/dia), através da ingestão de duas porções de leite ou derivados por dia, produzia uma importante diminuição da gordura corporal.

A explicação está na atuação dos hormônios do metabolismo do cálcio, que devido a menor ingestão deste mineral exercem efeitos no metabolismo, aumentando o depósito de gordura e diminuindo sua queima. No entanto, quando há aumento da ingestão de cálcio, a ação desses hormônios é suprimida, e assim, o acúmulo de gordura é inibido e a queima estimulada. Após tais descobertas, foram feitos estudos observacionais, relacionando a ingestão de cálcio e laticínios com a gordura corporal. Esses estudos foram realizados em diferentes populações (mulheres jovens, idosas, crianças, intolerantes a lactose e obesos). De forma geral, as pesquisas mostraram que os grupos que ingeriam pouco cálcio sofreram ganho de peso e gordura corporal, enquanto que os grupos que ingeriram mais cálcio ou laticínios apresentaram perda de massa corporal em 26-40%. Notou-se ainda, que a queima de gordura foi ainda mais estimulada nos que ingeriram laticínios como fonte de cálcio, comparado com os que obtinham cálcio através de suplementos.

A presença de cálcio na dieta, principalmente através da ingestão de laticínios (3-4 porções diárias), gera um efeito “antiobesidade” através de diversas reações, inibindo ou estimulando o metabolismo de gordura. Esse novo dado reforça a importância do cálcio na nossa dieta, através da ingestão de leite e derivados, que são importantes fontes desse mineral.

Seu Verdadeiro Valor


Um famoso palestrante começou um seminário segurando uma nota de 100 reais. Numa sala, com 200 pessoas, ele perguntou:

"Quem quer esta nota de 100 reais?" Mãos começaram a se erguer.

Ele disse: "Eu darei esta nota a um de vocês, mas, primeiro, deixem-me fazer isto!" Então ele amassou a nota. E perguntou outra vez: "Quem ainda quer esta nota?" As mãos continuaram erguidas.

"Bom", ele disse, "e se eu fizer isto?" E ele deixou a nota cair no chão e começou a pisá-la e esfregá-la. Depois pegou a nota, agora imunda e amassada, e perguntou: "E agora? Quem ainda quer esta nota?" As mãos continuaram erguidas.

"Meus amigos, vocês todos devem aprender esta lição. Não importa o que eu faça com o dinheiro, vocês ainda irão querer esta cédula, porque ela não perde o valor. Ela ainda valerá 100 reais. Essa situação também se dá conosco.”

Muitas vezes, em nossas vidas, somos amassados, pisoteados e ficamos sujos, por decisões que tomamos e/ou pelas circunstâncias que vêm em nossos caminhos. E assim, ficamos nos sentindo desvalorizados, sem importância.

Porém, creiam, não importa o que aconteceu ou acontecerá, jamais perderemos o nosso valor diante de Deus e do Universo. Quer estejamos sujos, quer estejamos limpos, quer amassados ou inteiros, nada disso altera a importância que temos. A nossa valia.

O preço de nossas vidas não é pelo que temos, fazemos ou sabemos, mas pelo somos!

Somos especiais! Você é especial. Muito especial. Jamais se esqueça disso!"

Justiça???

domingo, 20 de abril de 2008

Fome, Consumo Excessivo de Carboidratos...


Nosso corpo é provavelmente uma das máquinas mais perfeitas que existem. Pode apresentar pequenos defeitos, mas seu funcionamento é fantástico. Mas essa máquina, como qualquer outra, precisa de energia para funcionar. Sem energia é impossível a máquina humana fazer atividades simples, como até mesmo respirar. Por exemplo, quando um nutricionista faz uma orientação nutricional, o primeiro cálculo passa pela TMB (Taxa Metabólica Basal - valor mínimo que um indivíduo utiliza de energia para manutenção das atividades vitais).
E o nutriente fonte de energia são os carboidratos.
Mas qual a relação da fome com os carboidratos?
Bem, quando ficamos muito tempo sem fazermos alguma refeição, por mais simples que seja, os níveis de glicose no sangue caem. E a glicose é um dos nutrientes usados pelo cérebro para manutenção. O outro nutriente é a água, que fornece energia na forma de energia hidroeletrolítica, mas este é um assunto para mais tarde.
Você já deve ter reparado o que acontece quando fica muito tempo sem se alimentar: dor de cabeça, cansaço, desmaios... em casos mais graves, coma e morte.
São sinais típicos de "socorro" emitidos pelo cérebro.
Normalmente, após uma refeição, estes efeitos passam, mas o perigo esta aí, na qualidade da refeição. Em casos de extremos, um pedaço de doce muitas vezes ajuda, mas algumas pessoas acabam comendo mais que um simples pedaço.
É um risco muito grande, porque nosso corpo de fato pede por carboidratos e a forma mais rápida é o consumo de açúcares simples e quanto mais fazemos a ingestão destes, maiores são os riscos de termos aumentado os níveis de glicose no sangue. Se conseguimos fazer um intervalo bom entre as refeições, ok, mas o problema é que quanto mais simples os carboidratos, mais rápidos são absorvidos, mais rápidos são "guardados" nas células do fígado e musculares na forma de glicogênio e, consequentemente, mais rápido os níveis de glicose caem novamente. O fígado até irá disponibilizar esta glicose novamente, mas a tendência é voltarmos a comer.
veja bem, quanto mais tempo os níveis de glicose ficam altos no sangue, maiores as chances de aumentarmos os níveis de triglicerídeos, que são gorduras formadas a partir da glicose.
Mas, mais grave é que as células podem iniciar um processo de resistência à insulina, pois quando há glicose no sangue, o pâncreas libera insulina e esta, por sua vez, "abre as portas" das células para a absorção da glicose.
Quando as células criam resistência à insulina, a glicose não entra e se mantém no sangue. Isso é a diabetes do tipo II.
Quando estiver com fome, procure fazer uma refeição "normal", com carboidratos, tanto simples, como complexos e na forma de fibras, com gorduras e proteínas. Além, claro, de vitaminas, minerais... assim você evita problemas mais graves.
Um grande abraço e até a próxima!

sábado, 12 de abril de 2008

Parte II - Endorfina


Outro hormônio "show".

Quem malha sabe do que to falando. Quem sofre com dores crônicas também.

Parece um assunto até chato, porque quem lê este Blog já deve ter raparado que sempre falo em "boa alimentação" e "atividade física". Sempre falo na importância de ambos, da necessidade de fazer os dois em conjunto.

Mas hoje vai mais uma justificativa para a importância das atividades físicas.

A endorfina é um neurotransmissor, produzida em resposta à atividade física, visando relaxar e dar prazer, despertando uma sensação de euforia e bem estar. Não estranhe se estas sensações se assemelharem com as mesmas do orgasmo, porque a endorfina também é liberada após o ato sexual, provocando uma intensa sensação de relaxamento no casal e alguns, até adormecem após a relação. Mulheres, tendo em vista tal informação, não culpem seu companheiro por “roncar” após a relação, culpem a “endorfina”, ok?

Efeitos principais das endorfinas:

  • Melhoram a memória;
  • Melhoram o estado de espírito (bom humor);
  • Aumentam a resistência;
  • Aumentam a disposição física e mental;
  • Melhoram o nosso sistema imunológico;
  • Bloqueiam as lesões dos vasos sanguíneos;
  • Têm efeito antienvelhecimento, pois removem superóxidos (radicais livres);
  • Aliviam as dores.

Agora imaginem que há pessoas que para terem esses benefícios abdicam da prática das atividades físicas e otam pelo uso de medicamentos.

Quer prejuízo maior.

Outro dia, numa brincadeira, fiz o seguinte "esquema" com uma amiga:
Se você faz atividade física, você aumenta a liberação de endorfina, melhorando seu bom-humor. Uma pessoa bem humorada normalmente é mais "jovem", sofre menos com os efeitos do envelhecimento (aí você vai ler sobre radicais livres, que favorecem o envelhecimento e depois lerá que a endorfina...remove os radicais livres), assim gasta menos com produtos "anti-rugas" "anti-envelhecimento" etc... primeira economia!
Se você faz atividade física, você aumenta a liberação de endorfina, melhorando seu sistema imunológico. Acrescente á isso uma alimentação equilibrada, com quantidades boas e excelentes de vitamaninas e minerais! Importantes para o... sistema imunológico! Bem, com sistema imunológico fortalecido, diminuem as chances de infecções oportunistas, assim, diminuem os gastos com medicamentos, com ausências no trabalho ("Alô empresários! Se liguem!"), assim... segunda economia!

Bem, diante de tantos benefícios... deixo as seguintes perguntas:

Gosta de viajar?

Já pensou no presente para o dia 12 de junho?

Não sabe de onde tirar dinheiro para fazer uma poupança???

Hum... se você quiser, acrescente as suas indagações e avalie se você tem feito algo bom de fato para "favorecer" suas conquistas financeiras... sem falar na sua saúde!

Um grande abraço!

terça-feira, 1 de abril de 2008

Parte I - Serotonina

É um dos maiores parceiros no sucesso de uma reeducação alimentar. Em minhas consultas tento sempre mostrar aos meus pacientes que mais importante que alcançar um objetivo é ser feliz.
Claro, quando alcançamos nossos objetivos, nossa felicidade se completa, mas de que adiantaria passar semanas, meses numa dedicação infeliz para se alegrar apenas no final?
Acredito que devemos ser felizes durante todo o caminho, não apenas num momento.
Mas qual a relação da serotonina com tudo isso?
Bem, não acho que numa única coluna eu possa dizer tudo o que desejo, mas vou dar o pontapé.
Para o sucesso de uma reeducação, aconselho a todos os meus pacientes que faça alguma atividade física. Porque?
· A atividade física aumenta a sensibilidade à insulina e a capacidade de absorver os nutrientes;
· Atividade física, principalmente pela manhã, garante a permanência da massa muscular e a boa sensibilidade à insulina, fato que melhora a nutrição celular com menos ingestão;
· A atividade física produz colesterol de alta densidade (HDL), facilitando a produção de hormônios como serotonina e dopamina.
A serotonina é um neurotransmissor importante no equilíbrio do humor. Na falta desse neurotransmissor, ou diminuição dos seus níveis, podem aparecer sintomas como depressão, apatia, mau humor ou patologias muito sérias como TOC -Transtorno Obsessivo Compulsivo.
Então, quando você faz alguma atividade física, você coopera para sua felicidade. Mas olha que coisa boa também, quando você faz atividade física e faz uma boa alimentação junto, esta formação aumenta, porque alguns alimentos favorecem a produção deste hormônio, carnes magras e peixes por exemplo.
Quando você esta feliz, sua auto-estima melhora. Você passa a se enxergar melhor.
Há um provérbio que diz:
O coração alegre aformoseia o rosto, mas pela dor do coração o espírito se abate
Pv 15.13
Em breve trago mais informações.
Até logo!