quinta-feira, 24 de abril de 2008

Ansiedade


Comer um pedaço de torta de chocolate de vez em quando não é nenhum pecado. Ao contrário, pode até ajudar a relaxar depois de um dia estressante. Mas quando o desejo de devorar a torta inteira se torna freqüente é melhor ficar alerta: você pode estar buscando alívio dos momentos difíceis na comida!

Qualquer pessoa, em um ou outro momento da vida, passa por fases de preocupação e stress, que podem desencadear manifestações físicas (palpitações, tonturas, dores no peito, fadiga, etc) ou manifestações psicológicas (ansiedade, depressão, etc). Algumas pessoas buscam alívio destes momentos difíceis em comida ou vícios (bebidas, fumo). A compulsão alimentar, fato que é muito comum em nossa vida tão agitada, faz com que ganhemos peso, e nada mais é, do que uma fuga ou tentativa de diminuir a ansiedade e stress vivido.

Esse comportamento, porém, pode ocasionar um ganho de peso excessivo e interromper tratamentos para emagrecimento, resultando no conhecido efeito "sanfona".

Além disso, sabemos que a obesidade e os aspectos emocionais estão estreitamente ligados.

E, se existe um sentimento que interfere consideravelmente no progresso de uma reeducação alimentar é a ansiedade, provavelmente o maior inimigo. A ansiedade, no caso de pessoas com problemas de obesidade, pode estar indicando que alguma necessidade não está sendo satisfeita, que há um "vazio" que o comer nunca irá preencher. Uma das conseqüências freqüentes nesta maneira de funcionar é que a auto estima é atingida, dificultando ainda mais o processo de aceitar-se e de se sentir aceita (o) e amada (o) pelos outros. Além disso, vem se configurando como um dos grandes problemas de nossos tempos. Vida agitada, pressão, stress se somam gerando esta doença que tanto prejudica a qualidade de nossas vidas. (Dr. Isaac Efraim, médico psiquiatra).

De acordo com o Dr. Isaac, em seu site Ansiedade.com.br, a ansiedade é uma sensação ou sentimento decorrente da excessiva excitação do Sistema Nervoso Central conseqüente a interpretação de uma situação de perigo. Parente próximo do medo, (muitas vezes onde a diferenciação não é possível). É distinguida dele pelo fato de o medo ter um fator desencadeante real e palpável enquanto na ansiedade o fator de estimulo teria características mais subjetivas.

A principal característica psíquica do estado ansioso é uma excitação, uma aceleração do pensamento, como se estivéssemos elaborando, planejando uma maneira de nos livrar do perigo e da maneira mais rápida possível. Este movimento mental, na maioria das vezes acaba causando uma certa confusão mental, uma ineficiência da ação, um aumento da sensação de perigo e de incapacidade de se livrar do perigo o que configura um círculo vicioso, pois esta sensação só faz aumentar ainda mais o estado ansioso. “Mente acelerada é mente desequilibrada”.

O primeiro passo para tentar emagrecer os quilos extras, nestes casos, é aprender a administrar as dificuldades vividas e não procurar alívio no prato de comida. A compulsão alimentar pode ser comparada ao vício do alcoolismo ou do fumo: após comer em demasia, a pessoa sente-se mal e culpada, ficando ainda mais deprimida e comendo tudo o que "vê pela frente". Sentir prazer em comer, não é errado, uma vez que traz bem-estar. Basta não exagerarmos.

O ideal é evitar os pensamentos negativos. Quando queremos iniciar um programa de emagrecimento, a primeira regra a seguir é automotivar-se. Estabeleça suas metas para emagrecer e faça de tudo para consegui-las. Acredite em você e em seu poder. Verá que com propósitos positivos em sua vida, será muito mais fácil transformar seus pensamentos em ações concretas, emagrecendo de uma forma muito mais saudável. Afinal, "querer é poder"!

Para alcançar o máximo de sucesso em seu programa de emagrecimento, você precisa passar por algumas mudanças em seu comportamento.

Em breve estarei comentando sobre coisas simples que poderão ajudar muito.

Um grande abraço!



Nenhum comentário: