sábado, 24 de maio de 2008

Hipertensão na Gravidez


A hipertensão arterial sistêmica é a mais freqüente complicação e a principal causa de morbi-mortalidade na gestação. Aproximadamente 6% das mulheres grávidas desenvolvem hipertensão. Porém, tendo em vista o crescente aumento no número de indivíduos com sobrepeso e obesidade, a tendência é que aumente a incidência de mulheres a desenvolverem hipertensão na gestação.

Durante o período gestacional, cinco formas de hipertensão arterial são causa de morbi-mortalidade na gestação: hipertensão arterial crônica, hipertensão gestacional, pré-eclâmpsia, pré-eclâmpsia superimposta e eclâmpsia.

Hipertensão gestacional - Consiste na pressão elevada detectada pela primeira vez na segunda metade da gestação e se diferencia da pré-eclâmpsia pela ausência de proteinúria.

Hipertensão crônica - Ocorre quando a elevada pressão sangüínea já existia antes da gestação.

Pré-eclâmpsia - É definida como uma síndrome específica da gravidez, observada após a 20ª semana de gestação com pressões iguais ou maiores que 140 x 90mmHg, acompanhada de edema e importante proteinúria (maior que 300mg nas 24 horas).

Eclâmpsia - É o aparecimento de convulsões na mulher com pré-eclâmpsia. Pode ocorrer na metade da gestação ou no pós-parto.

Pré-eclâmpsia superimposta - É uma condição mais temível face ao aumento do percentual de morbi-mortalidade tanto para o feto como para a mãe. Deslocamento prematuro de placenta, restrição ao crescimento fetal ou morte, insuficiência cardíaca congestiva e insuficiência renal são quadros que freqüentemente encontramos quando a pré-eclâmpsia superimposta se agrava.

Os fatores de risco para uma mulher desenvolver a pré-eclâmpsia são:

primeira gravidez

história de familiares com pré-eclâmpsia ou eclampsia

ter apresentado pré-eclâmpsia em gestação anterior

ser a gestação gemelar

ter hipertensão arterial crônica, nefropatia, lupus ou diabetes

gestação com parceiro diferente

Procure seu médico, faça o pré-natal corretamente.

Faça uma avaliação nutricional e procure se alimentar bem.

Uma gestação tranqüila é sinônimo de criança saudável e pais felizes.

quinta-feira, 1 de maio de 2008

O Horizonte


Certa vez alguém chegou ao céu e pediu pra falar com Deus. Segundo o seu ponto de vista, havia uma coisa na criação que não tinha nenhum sentido...

Deus o atendeu de imediato, curioso por saber qual era a falha que havia na Criação.

- Senhor Deus, sua criação é muito bonita, muito funcional, cada coisa tem sua razão de ser... Mas no meu ponto de vista, tem uma coisa que não serve para nada, disse aquela pessoa para Deus.

- E que coisa é essa que não serve para nada? Perguntou Deus.

- É o horizonte. Para que serve o horizonte? Se eu caminho um passo em direção ao horizonte, ele se afasta um passo de mim. Se caminho dez passos, ele se afasta outros dez passos. Se caminho quilômetros em direção ao horizonte, ele se afasta os mesmos quilômetros de mim... Isso não faz sentido! O horizonte não serve pra nada.

Deus olhou para aquela pessoa, sorriu e disse:

- Mas é justamente para isso que serve o horizonte... "Para fazê-lo caminhar".

National Geographic