sábado, 25 de outubro de 2008

Suspensa a Venda da Pílula "Anti-Barriga"

Parece "novidade", mas não é.
A BENÇÃO se tornou...MALDIÇÃO???
Mais uma droga tem suas vendas suspensas no país, claro, não antes de ser proibida a sua venda no resto do mundo.
Antes de entrar na questão nutricional em si, queria fazer um comentário sobre a "função" da ANVISA, nossa Agência Nacional de Vigilância Sanitária, que, entre suas diversas atribuições, esta a aprovação, controle e avaliação das drogas que são comercializadas no país.
Porém, a impressão que tenho é que a ANVISA só se manifesta quando um determinado fármaco tem suas vendas suspesas no exterior, primeiramente nos países europeus e nos EUA, porque do contrário, ela se mantém omissa, indiferente, como se a responsabilidade única e exclusiva de receitar ou não estes fosse dos profissionais de saúde e, claro, de se comprar ou não, dos pacientes e/ou usuários.
Na reportagem a seguir, o órgão que aprovou a comercialização do Acomplia não foi a ANVISA, mas ao meu entender, quem dá o parecer final é a Agência.
Enfim..fica a questão em aberto.
Quanto aos fatores nutricionais, bem... já estou cansado de "bater", mas esta eu não pdoeria perder a oportunidade.
Mais uma vez se mostra que tratamentos para redução de peso que se baseiam exclusivamente na utilização de fármacos, sem qualquer orientação nutricional, não trazem benefícios para o paciente, pelo contrário. Neste caso do Acomplia o que se observou foi o comprometimento psiquíco.

Até quando as pessoas vão buscar o meio mais fácil para terem uma boa aparência e não comprometerem sua saúde?

O laboratório Sanofi-Aventis decidiu suspender temporariamente a comercialização do medicamento Acomplia (rimonabanto) em todo o mundo. A medida foi tomada depois que a agência reguladora da Europa, a European Medicines Agency (EMEA), recomendou a retirada do medicamento nos países da União Européia . A agência concluiu que os benefícios do Acomplia não mais superavam seus riscos. Estudos demonstraram que pacientes que utilizaram o medicamento tiveram aproximadamente o dobro de risco de desenvolver problemas psiquiátricos, como ansiedade e depressão, comparado àqueles que não utilizaram o produto.
O Acomplia era comercializado em 18 países da Europa desde junho de 2006. No Brasil, o medicamento possuía registro desde abril de 2007 como auxiliar a dieta e aos exercícios para o tratamento de pacientes obesos ou com sobrepeso com fatores de risco associados. Porém, o medicamento só começou a ser comercializado no país em 2008, após aprovação do preço pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (Cmed).
Os pacientes tratados com o Acomplia deverão consultar seus médicos para rever o tratamento e os profissionais não devem mais receitar o medicamento a seus pacientes. A Anvisa orienta que os profissionais de saúde notifiquem à Agência sobre todos os possíveis casos de reação adversa causada pelo medicamento, por meio do Notivisa.
Mais informações estão disponíveis no site da Sanofi-Aventis: www.sanofiaventis.com

Fonte: O Globo

Um comentário:

Anônimo disse...

http://site.ru - [url=http://site.ru]site[/url] site
site