sexta-feira, 31 de julho de 2009

Unifesp aponta que mães não sabem alimentar os filhos no país

Estudo mostra que 67% das crianças de 2 anos já beberam refrigerante.
70% comeram biscoito recheado e 80% consumiram balas e chocolates.

Mães e pais – pessoas adultas, responsáveis e preocupadas com a saúde dos filhos. As três razoes deveriam ser suficientes para assegurar uma boa alimentação. Mas um estudo feito pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostrou que na maior parte das famílias entrevistadas o que as crianças comem em casa pode fazer mal.
Para o Ministério da Saúde, não se deve comer produtos industrializados antes dos 2 anos. A nutricionista Maysa Toloni entrevistou 270 famílias. Descobriu que 67% das crianças nessa idade já tomaram refrigerante e 70% comeram biscoito recheado. Já 80% tinham consumido balas e chocolates e 90% dos pais adicionam açúcar ao leite ou suco dos filhos.
“Isso pode ajudar a desenvolver cáries, leva à obesidade infantil. Corantes e conservantes presentes nos alimentos podem desencadear processos alérgicos e prejudicar o desenvolvimento e crescimento das crianças”, alerta a nutricionista.
A pesquisa concluiu que o problema é falta de informação. A auxiliar de serviços gerais Andreza Barbosa tem cinco filhas. “Elas tomam refrigerante, salgadinho, muita besteira. Sei que faz mal, mas, como mãe, tenho coração mole”.
A nutricionista Maysa Tolon corrige: o coração pode ser mole, mas em nome da saúde dos filhos, a atitude deve ser firme: “Deve dar preferência a alimentos naturais, frutas, sucos e para uma alimentação balanceada e equilibrada”, ressalta.
Outro problema na alimentação das crianças apontado pela pesquisa é o uso do mel. Muitos pais acham que é mais saudável. Mas especialistas alertam que o mel é totalmente contra-indicado até o primeiro ano de vida.

Fonte: http://g1.globo.com/Noticias/Brasil/0,,MUL1249798-5598,00-UNIFESP+APONTA+QUE+MAES+NAO+SABEM+ALIMENTAR+OS+FILHOS+NO+PAIS.html

Posso acrescentar aqui que o mal habito alimentar das crianças se deve mais aos hábitos dos pais do que simplesmente o “gosto pessoal” dos filhos. Os filhos durante a infância tem como referências seus responsáveis, se os mesmos são “coniventes” ou tem hábitos pouco saudáveis, seus filhos terão uma grande probabilidade de adquirir estes hábitos.

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Dicas Para Ter Sucesso na Sua REEDUCAÇÃO ALIMENTAR


Depois que você se adapta à sua reeducação alimentar é hora de comemorar e tomar conta do ponteiro da balança. Acho que a fase mais difícil é a manutenção do peso. Por isso, aí vão algumas dicas pra você não ver o ponteiro da balança subir.

Dica nº1: Não esqueça de colocar carboidratos no seu prato
Muitas pessoas acham que o melhor em uma dieta é cortar os carboidratos. Isso com certeza é um erro, porque o organismo precisa desses nutrientes e cortá-los repentinamente só vai mudar pra pior o seu metabolismo. E sabe o que vai acontecer? O organismo vai se acostumar só com os grelhados e o alface e vai começar a estocar gorduras, economizar energias e com isso, queimar lentamente as calorias. Por isso, tenha sempre no seu prato, as proteínas, carboidratos e gorduras. É só não exagerar.

Dica nº 2: Gaste mais do que você se alimenta
Resolveu iniciar sua reeducação alimentar? Ótimo! Agora você só precisa começar uma atividade física, para acelerar a sua queima de calorias e se sentir bem. A idéia é queimar mais calorias do que você ingere. Por exemplo, se você ingeriou em um dia 1800 kcal, a idéia é você queimar mais do que isso. Se você queimar menos ou o equivalente, das duas uma: ou você engorda ou mantem o seu peso.

Dica nº 3: Jejum nem pensar
Esqueça a idéia de que fazer jejum emagrece! Quanto menos tempo ficar sem comer, mais as próximas refeições serão calóricas. Evite pular as refeições ou ficar muito tempo se se alimentar. Se alimentando a cada 3 horas, o seu metabolismo estará ativado e vai evitar as beliscadinhas. Mas fique de olho na quantidade, viu?

Dica nº 4: Coloque barrinha de cereais na sua bolsa
Seu dia está uma correria? Então se previna e coloque na bolsa algumas barrinha de cereais, iogurtes, biscoitos integrais para não ficar sem se alimentar. Por serem alimentos integrais, eles ajudam a dar saciedade ao estômago e com isso, você vai querer menos comer aquelas besteirinhas.

Dica nº 5: Coloque um doce no seu cardápio
Sim, doce! Não corte os doces do seu dia a dia. É um erro fatal. O que a regrinha da reeducação alimentar diz é não exagerar na quantidade. E diga-se de passagem, é tão bom comer um docinho de vem enquando né?

sexta-feira, 17 de julho de 2009

ILUSÕES DO AMANHÃ


ILUSÕES DO AMANHÃ

'Por que eu vivo procurando um motivo de viver,

Se a vida às vezes parece de mim esquecer?

Procuro em todas, mas todas não são você.

Eu quero apenas viver, se não for para mim, que seja pra você..

Mas às vezes você parece me ignorar,
Sem nem ao menos me olhar,
Me machucando pra valer.

Atrás dos meus sonhos eu vou correr.
Eu vou me achar, pra mais tarde em você me perder..

Se a vida dá presente pra cada um, o meu, cadê?

Será que esse mundo tem jeito?
Esse mundo cheio de preconceito.

Quando estou só, preso na minha solidão,
Juntando pedaços de mim que caíam ao chão,
Juro que às vezes nem ao menos sei, quem sou.

Talvez eu seja um tolo, q ue acredita num sonho.

Na procura de te esquecer, eu fiz brotar a flor.

Para carregar junto ao peito,
E crer que esse mundo ainda tem jeito.

E como príncipe sonhador...
Sou um tolo que acredita, ainda, no amor.'


PRÍNCIPE POETA (Alexandre Lemos - APAE) Este poema foi escrito por um aluno da APAE, chamado, pela sociedade, de excepcional... Excepcional é a sua sensibilidade!

Ele tem 28 anos, com idade mental de 15 e peço que divulguem para prestigiá-lo. Se uma pessoa assim acredita tanto, porque as que se dizem normais não acreditam?

"Feliz aquele que transfere o que sabe e aprende."

terça-feira, 14 de julho de 2009

13 Mitos Sobre Dietas


Uma coisa que temos que botar na cabeça é que para uma dieta dar certo o principal fator é você.

1. Você não precisa de exercício para perder peso
Obviamente você pode perder peso sem exercício, no entanto a melhor maneira de perder peso e ficar em forma é combinar uma dieta saudável com exercícios regulares. O simples fato é que o exercício é importante, independentemente do seu peso atual.

2. Pular o café da manhã ajuda a perder peso
Na realidade, estudos indicam que quando você corta o café da manhã, você está mais susceptível a consumir mais calorias no final do dia para compensar. Além do mais, ficar sem café da manhã não é bom para o seu estado metabólico e de humor também.

3. Comer a noite dificulta o emagrecimento
Um estudo do Dunn Nutrition Centre, em Cambridge, os voluntários foram submetidos a um teste em que mede calorias queimadas e armazenadas. Eles receberam um pequeno almoço e uma grande janta por um período experimental. Em seguida, um grande almoço e um jantar pequeno durante um segundo período de ensaio. Os resultados revelaram que consumindo uma grande refeição a noite, não fez o corpo armazenar mais gordura.

Portanto, é evidente que não é importante a que horas você come, mas o valor total que você consume em um período de 24 horas.

4. Certos alimentos são “bons” outros não
É bastante evidente que alguns alimentos são melhores do que outros, tais como frutas, legumes, nozes e etc.. Mas, não tente me dizer que comer um pedaço de pão faz mal… isso é ridículo! Moderação é a resposta certa.

5. Alimentos com baixo teor de gordura são melhores para você
Se um produto que alega ser “fat free” (sem gordura ou diet), é mais do que provável que você encontrará um alto teor de açúcar. Lembre-se, “sem gordura” não significa necessariamente “baixas calorias” ou “sem calorias”. Para obter uma imagem mais clara do que está comendo, sempre verifique cuidadosamente os valores nutricionais.

Vale também salientar que uma dieta super restritiva isenta de gordura não é necessário, você precisa ter alguma gordura na sua dieta. Tente evitar gorduras trans sempre que possível, e substitua as gorduras saturadas por gorduras insaturadas que são encontradas nos óleos vegetais (canola, oliva, etc), abacates, nozes, etc.

6. O suco de fruta é tão bom quanto comer frutas
Meu lema é de sempre comer alimentos o mais próximo da sua forma natural e sucos realmente não se enquadram nesta linha facilmente. Embora não seja de todo mal, você poderia certamente se beneficiar muito mais comendo o fruto inteiro, e não adquirindo as calorias vazias do suco.

7. O ganho de peso é inevitável a medida em que você envelhece
Evidentemente a taxa metabólica cai com a idade, mas simplesmente comer um pouco menos pode consertar isso. O problema para a maioria das pessoas é que a atividade física diminui a medida que envelhecem. Portanto, se você quiser ter certeza de não ganhar aqueles quilinhos extras com cada passagem de aniversário, aumente o seu nível de atividade e observe a ingestão de calorias.

8. Perder peso rápido é a melhor solução
Na verdade, perder peso lentamente é muito melhor. Dessa forma você terá mais probabilidades de perder excesso de gordura, não músculo.. Além do mais, você terá uma maior chance de manter sua perda de peso por um longo prazo.

9. Ao parar de fumar você ganhará peso
Embora seja verdade que algumas pessoas ganham peso quando param de fumar, isso não é o caso de todos. A nicotina aumenta o metabolismo do corpo, no entanto, este efeito é pequeno, e não é uma razão suficiente para deixar de fumar.

10. Perder peso irá resolver seus problemas
Se você tem problemas antes de perder peso, infelizmente, eles continuaram a existir após os quilos sumirem. Então, o que devo fazer? É importante que você seja honesto com você mesmo sobre a fonte das suas dificuldades e em seguida, defina metas realistas para ajudá-lo a conseguir o que pretende na vida.

11. Todo mundo ganha peso durante as férias
É possível desfrutar das suas férias e ainda perder peso, ou pelo menos ficar com um peso constante. Como? Comer com moderação. Se você assumir que vai ganhar peso durante as férias, é um pouco como uma profecia de auto-preenchimento. Comece com uma atitude positiva e seja realista no que você pode alcançar.

12. O meu “metabolismo lento” é que me impede a perder peso
Infelizmente as pessoas estão se tornando cada vez mais sedentárias e provavelmente esse é um fator crucial para os problemas crescentes com o ganho de peso.

Um estudo publicado na BBC:

Os cientistas mediram a quantidade exata de calorias que pessoas com sobrepeso e peso saudável queimam enquanto estão sentados ou deitados em silêncio.. Isso foi feito através da medição da quantidade de oxigênio inalado e na quantidade de dióxido de carbono exalado.

Os resultados destes estudos têm mostrado que as pessoas com sobrepeso gastam mais energia para manter seu corpo funcionando. Isto é porque possuem corpos maiores com mais músculos e órgãos internos.

No entanto, após tomar em consideração as diferenças no tamanho do corpo, os magros e as pessoas obesas têm demonstrado que possuem taxas metabólicas similares.

13. Consumir alimentos gordurosos levam a um ganho de peso rápido
Na realidade ganhar peso é um processo bastante lento. Se você comer uma refeição muito gordurosa e a balança acusar que você ganhou uns quilos, é muito provável que este ganho é devido aos líquidos. Se você voltar a comer comidas saudáveis novamente os quilos extras vão desaparecer.

Pequenas Mudanças, Grandes Resultados.


10 dicas para ajudá-lo a perder peso e gordura corporal de uma maneira saudável

Quando o assunto é perda de peso e redução de gordura corporal, é comum vermos as mais variadas e às vezes absurdas “táticas” para alcançar o corpo desejado. Sem orientação adequada e com o bombardeio de informações disponíveis na internet, muitas pessoas recorrem a livros, vídeos, produtos milagrosos e dietas mirabolantes que, a curto prazo, podem até funcionar, mas além de não serem eficientes a longo prazo, podem ser prejudiciais à saúde. Apesar da busca por uma fórmula mágica ser tentadora, só há uma maneira realmente eficaz e saudável para a redução de peso e gordura corporal: mudar seus hábitos alimentares e se exercitar mais. A boa notícia é que apenas 3 semanas é o tempo suficiente para que qualquer mudança se torne um hábito. Além disso, essas mudanças no seu estilo de vida não precisam ser drásticas.

Aqui você encontra 10 dicas úteis para incorporar novos hábitos que irão auxiliá-lo a obter os resultados desejados.

• Coma menos, e mais vezes ao dia Essa é a regra número 1 para quem quer perder peso e manter essa perda. Muitas pessoas acreditam que devem se alimentar somente 1 ou 2 vezes ao dia. Com esse jejum prolongado, a princípio poderá ocorrer, sim, uma rápida perda de peso. Mas isso fará com que o organismo, na tentativa de se defender contra a privação de alimentos, comece a “poupar” energia, armazenando o máximo que puder na forma de gordura localizada e desacelerando o metabolismo. Ocorre também uma grande perda de massa muscular, pois o corpo passa a utilizar as proteínas dos músculos como fonte de energia, diminuindo ainda mais o metabolismo. Resultado: o emagrecimento torna-se cada vez mais difícil, e as chances de recuperar o peso perdido são grandes. Portanto, o ideal é fazer de 5 a 6 pequenas refeições diárias, com um intervalo de aproximadamente 3 horas entre elas. Dica: Barras Nutricionais com baixo índice glicêmico e Barras Protéicas são opções práticas e deliciosas para lanchinhos entre as refeições.

• Esqueça a balança de banheiro Pesar-se diariamente pode se tornar uma obsessão e desestimulá-lo. Guie-se mais por como você se sente, como estão suas roupas e sua aparência. Os números dados pelo ponteiro da balança não são um indicativo de composição corporal, ou seja, da quantidade de gordura corporal e de massa magra. Somente um profissional qualificado poderá fazer uma avaliação mais profunda, utilizando equipamentos específicos como adipômetros e aparelhos de bioimpedância. Aí sim é possível comparar o antes e o depois e verificar se houve real perda de gordura corporal.

• Mantenha-se hidratado Uma boa hidratação ajuda o organismo a evitar a retenção hídrica e eliminar toxinas, melhora o funcionamento intestinal, aumenta a resposta ao estímulo da atividade física e pode prevenir câimbras musculares, entre várias outras funções. Além disso, a água é fundamental em vários processos metabólicos. Tenha sempre em mãos uma garrafinha de água para ir bebendo ao longo do dia, e lembre-se que é fundamental hidratar-se antes, durante e depois da atividade física.

• Procure ingerir pouco carboidrato à noite Durante a noite, nosso organismo geralmente tem um menor gasto calórico, e todo o carboidrato ingerido em excesso será facilmente convertido e armazenado na forma de gordura. Isso não significa que você deva cortar completamente o carboidrato à noite, mas sim limitar as quantidades. Quando não for possível ingerir alimentos como, por exemplo, uma salada com legumes e um grelhado, uma boa opção é um shake protéico de Whey Protein, que pode ser batido com leite de soja ou leite desnatado e uma fruta.

• As gorduras não devem ser abolidas da alimentação Apesar de serem freqüentemente consideradas as “vilãs” das dietas, as gorduras desempenham papéis importantes no organismo, auxiliando na absorção de vários nutrientes, na regulação hormonal, na lubrificação do intestino, entre outras funções. Por isso, não devem ser totalmente excluídas da dieta quando o objetivo é o emagrecimento saudável. Dê preferência às gorduras insaturadas, que geralmente são de origem vegetal, com exceção dos óleos de peixe que também são ricos em ácidos graxos insaturados apesar de serem de origem animal. As gorduras insaturadas dividem-se em 2 tipos: monoinsaturadas e poliinsaturadas. Os ácidos graxos essenciais (ômega-3 e ômega-6) são um tipo de gordura poliinsaturada e são assim chamados porque nosso corpo não consegue produzi-los. Portanto, eles devem estar presentes na nossa dieta, seja através de alimentos (peixes como o salmão, sementes, óleos vegetais, etc.) ou pelo uso de suplementos. Para garantir uma boa ingestão desses ácidos graxos essenciais, uma dica é incluir na sua alimentação diária suplementos encontrados na forma líquida, em cápsulas ou ainda gomas mastigáveis: Óleo de Linhaça, Óleo de Prímula, Óleo de Coco, Óleo de Peixe ou compostos contendo 2 ou mais tipos de óleo.

• Lembre-se: seu estômago não possui dentes! Uma boa mastigação é fundamental para que os alimentos sejam digeridos corretamente e bem aproveitados pelo organismo. Além disso, você dará tempo para que a sensação de saciedade seja transmitida para seu cérebro, evitando a ingestão exagerada de alimentos. Mastigue lentamente e tenha consciência do que está comendo.

• Inclua frutas e verduras diariamente na sua alimentação Dietas com restrição de calorias podem estar acompanhadas de uma ingestão insuficiente de vitaminas e minerais. Para que isso não ocorra, é importante consumir 3 a 5 porções de frutas e 4 a 5 porções de vegetais, que são as maiores fontes desses micronutrientes.. Com a correria do dia-a-dia, muitas vezes fica difícil o consumo desses alimentos nas quantidades recomendadas. Nesses casos, uma boa saída é a suplementação com Multivitamínicos e Multiminerais para atingir as necessidades diárias desses micronutrientes.


• Antes do exercício: carboidratos, mas na medida certa Muitas pessoas que querem emagrecer fazem exercícios físicos em jejum, ou por acreditarem que essa é uma boa tática ou por pura falta de informação. O jejum antes do exercício é totalmente desaconselhável em qualquer caso. Seu corpo precisa de carboidratos antes da atividade física para garantir a energia durante o treino, evitar a fadiga muscular precoce e a depleção de massa muscular. Além disso, alimentar-se antes do exercício evita a hipoglicemia (baixos níveis de glicose no sangue), cujos sintomas são fraqueza, tonturas, tremores, suor frio, náuseas, etc. Frutas, sucos de frutas ou barras de cereais são boas opções.

• Durante o exercício, não coma nada Não consuma nenhum tipo de alimento durante o exercício físico, nem mesmo isotônicos, pois possuem carboidratos. Ingira somente água.

• Após o exercício, aguarde de 1 a 2 horas para se alimentar A alimentação pós-treino, para quem quer emagrecer, deve ser feita de preferência entre 1 e 2 horas após o término do treino. Isso porque, nas 2 horas após o exercício, o metabolismo está bastante aumentado. Fazendo esse intervalo entre o treino e a alimentação, seu organismo irá utilizar suas reservas, mobilizando a gordura corporal para servir como fonte de energia.

Essas são recomendações generalizadas que podem ajudá-lo alcançar seus objetivos, mas para obter melhores resultados o ideal é procurar um profissional nutricionista, para um acompanhamento nutricional e elaboração de um plano alimentar personalizado.

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Música no Elevador

Aposte as Suas Fichas nos Alimentos Inimigos da Gordura

Nutrientes do abacate, do ovo e das frutas vermelhas enxugam a silhueta.

De um lado da briga com o ponteiro da balança está a turma dos doces, bolos e pães calóricos e, do outro, um grupo de alimentos, que não são necessariamente magrinhos, como o ovo e o abacate, mas que contém nutrientes importantes para secar os quilinhos extras. O consumo deles aliado a uma prática regular de exercícios físicos secam o pneuzinho e, de quebra, faz você ganhar mais músculos.

"Nenhum alimento estimula a queima de gordura. Eles podem conter substâncias que participam da queima de gordura, o que não significa que o seu consumo aumente ou propicie a oxidação da gordura corporal", explica a nutricionista Paula de Crook, da PB Consultoria em Nutrição, de São Paulo.

Após a ingestão de qualquer comida, o que acontece é o estímulo da secreção da insulina. O aumento desse hormônio na corrente sanguínea vai elevar a captação de gordura pelo tecido adiposo e aumentar o seu estoque no organismo. "Diariamente, utilizamos cerca de 150 gramas de gordura desse depósito. Para que a utilização das reservas de gordura seja maior, o consumo de calorias pela alimentação precisa ser menor que o gasto energético diário ou o gasto energético diário ser aumentado através da prática de exercício físico", acrescenta Paula de Crook.

Se a ideia é perder peso, com uma dieta, e moldar o corpo, com a malhação, vale apostar em alimentos que jogam a favor da queima de gordura. Os especialistas em nutrição apontam alguns deles:

Frutas vermelhas: pode incrementar o iogurte, o cereal matinal ou comê-las fresquinhas mesmo. Aposte no morango, na fambroesa, na blueberry (Mirtilo) e na amora para ver a calça jeans afrouxar rapidinho. "As frutas vermelhas são ricas em antocianinas, substâncias antioxidantes e anti-inflamatórias. Dessa forma, elas podem auxiliar na perda de peso, pois uma das causas da obesidade está associada a inflamação do tecido adiposo", explica a nutricionista da PB Consultoria e Nutrição.

As vermelhinhas são ricas em vitaminas, minerais, e, principalmente, fibras. São elas as responsáveis por fazer o intestino funcionar direito e regular as taxas de açúcar no sangue, controlando assim os picos de liberação de insulina - processo que estimula o acúmulo de gordura. "As fibras também promovem maior saciedade, controlando o excesso alimentar durante uma refeição e melhorando a digestão dos alimentos", explica a nutricionista Karina Gallerani.

Abacate: ele leva a injusta fama de ser uma fruta gorda, e , de fato, é rico em gorduras, mas é gordura da boa, do tipo monoinsaturada, que regula as taxas de colesterol e afasta o risco de doenças cardiovasculares. Consumido na medida certa, suas calorias contam menos que seus benefícios. Experimente adicionar o abacate na salada ou preparar uma guacamole mexicana para comer com torradas ou pão integral. Rico em vitamina C, vitamina B6, magnésio e ferro, a fruta também aumenta a sensação de bem-estar, reduzindo a ansiedade e fazendo com que você evite beliscar guloseimas açucaradas. "Ele é rico em triptofano, um aminoácido precursor da serotonina e presente nas vitaminas do complexo B, principalmente, na vitamina B6", explica a nutricionista Juliet Marzalek, especialista em nutrição clínica.

Oleoginosas: nozes, castanha do Pará e amêndoas também integram a ala dos alimentos ricos em gordura monoinsaturadas, amigas do bom funcionamento do coração. "Elas promovem a diminuição do apetite, porque possuem nutrientes que agem no sistema nervoso, aumentando a sensação de saciedade", diz a nutricionista Vivian Goldberger, do Emagrecentro. "Consuma duas castanhas meia hora antes do almoço para não ficar com tanta fome na hora da refeição", recomenda.

Ovo: pode comer com a clara e, principalmente, a gema, onde se concentram a maior parte de nutrientes. O ovo é rico em albumina, proteína que é facilmente aproveitada pelo organismo e é de fácil digestão. A albumina possui os nove aminoácidos necessários para o processo de anabolismo - aumento de massa muscular. A substância está contida, principalmente, na clara. "A clara também dispõe de leucina, um aminoácido que ajuda a manter os músculos e diminui a massa gorda", afirma a nutricionista Lucyanna Kalluf, do Centro Brasileiro De Nutrição Funcional.

A gema, por sua vez, é rica em ômega 3, gordura excelente para o cérebro e que estimula o equilíbrio da insulina com a glicose, mais um fator para regular a compulsão alimentar e o acúmulo de gordura. Para contar com esses benefícios, o ideal é incluir, ao menos, um ovo (de galinha) por dia na sua alimentação.
Antes de se aventurar e fazer o consumo destes alimentos, procure um nutricionista e saiba quais as quantidades ideais destes alimentos você pode ingerir, uma vez que o consumo exagerado também oferece riscos à saúde.

sábado, 4 de julho de 2009

DIVERTICULITE - Diverticulose do Intestino Grosso


É a presença de pequenas bolsas que se projetam para fora da parede intestinal. No mundo ocidental 85% dos divertículos localizam-se no cólon sigmóide (parte final do intestino grosso, logo antes do reto). A diverticulite é a inflamação de um divertículo.

A diverticulose ocorre com freqüência semelhante em homens e mulheres, aumentando com a idade. Um terço das pessoas com mais de 50 anos e 2/3 daquelas com mais de 80 anos tem divertículos no cólon, porém a grande maioria é assintomática.

Apesar de não ser totalmente conhecida a origem, acredita-se que dois fatores estejam associados ao surgimento dos divertículos: o aumento da pressão no interior do intestino e um enfraquecimento de pontos da parede intestinal.

Apenas uma minoria dos indivíduos tem queixas relacionadas à diverticulose. A queixa mais comum é de desconforto doloroso na região inferior esquerda do abdome com variável tempo de duração e que alivia com a eliminação de gases ou fezes. Diarréia ou constipação (intestino trancado/prisão de ventre) também podem ocorrer.

Diverticulite é a complicação mais comum, ocorrendo em algum momento da vida de 10-20% dos indivíduos com diverticulose. Quanto maior o tempo de evolução e quanto mais extensa a área com divertículos, maior é o risco dessa complicação. A diverticulite manifesta-se por dor forte na parte inferior esquerda do abdome, acompanhada de febre e, geralmente, constipação. Podem estar associados também náusea, vômito e diarréia com muco, pus ou sangue.

Os divertículos inflamados podem formar pus, criando um abscesso em seu interior e, por conseqüência, perfurar. Com a perfuração, o pus pode se espalhar ou não no abdome levando, respectivamente, à peritonite (inflamação de todo o abdome) ou ao abscesso localizado.

Complicações menos freqüentes são o sangramento, a formação de fístulas (comunicação anormal de um órgão com outro ou com o exterior) e a obstrução intestinal. O sangramento é mais comum em divertículos do lado direito do intestino grosso e pode ocorrer sem diverticulite. Após o primeiro sangramento a chance de outro é de 25%; após um segundo episódio, a chance de novas hemorragias chega a 50%. As fístulas decorrem da drenagem espontânea de um abscesso, o que pode ocorrer para a bexiga ou vagina, por exemplo. Obstrução do intestino grosso geralmente deve-se a sucessivas inflamações e cicatrizações de diverticulites, resultando em fibrose (cicatrização deficiente) e fixação do intestino.

Qual é o tratamento?

A maioria dos casos de diverticulose tem suas queixas melhoradas com tratamento clínico. Dietas ricas em fibras e/ ou remédios que umedecem e aumentam o volume das fezes, diminuindo o esforço para evacuar, podem aliviar sintomas, prevenir novos divertículos e, principalmente, diminuir complicações como a diverticulite. Remédios anti-espasmódicos que diminuem as contrações excessivas do intestino, podem ser usados. O estresse emocional também tem sido relacionado com aumento dos espasmos do intestino e, assim, com aumento do risco de divertículos e suas complicações.

O tratamento da diverticulite depende da gravidade do caso, variando desde repouso, dieta sem resíduos e analgésicos, até uso de antibióticos, internação hospitalar com reposição de líquidos pela veia e cirurgia. A cirurgia de urgência pode ser necessária quando há piora do estado geral, obstrução intestinal, perfuração da parede do intestino e infecção generalizada. Cirurgias eletivas (planejadas com antecedência) podem ser indicadas em jovens com a doença, já que seu risco de um novo episódio ao longo da vida é grande, em pacientes com crises freqüentes de diverticulite, naqueles com sangramento importante ou repetido, na presença de fístulas ou se há suspeita de outra doença associada (câncer, por exemplo). A cirurgia consiste basicamente na retirada da parte do intestino onde se encontram os divertículos, geralmente todo o cólon sigmóide. Algumas vezes não é possível realizar a junção das partes que restaram do intestino, sendo necessária uma colostomia com uma bolsa externa para coletar as fezes, em geral, temporária.

Fonte: http://www.abcdasaude.com.br/artigo.php?146

sexta-feira, 3 de julho de 2009

Hipoglicemia

A hipoglicemia é o nome dado à diminuição do nível de glicose (açúcar) no sangue.
A hipoglicemia, por si só, não é uma doença, mas sim uma alteração secundária a outras doenças ou uso de medicamentos. A glicemia (nível de glicose no sangue) de jejum normal é de 60 a 99 mg/dl. Glicemias entre 50 e 60 mg/dl podem ser normais para muitas pessoas. Admite-se como hipoglicemia quando a glicose plasmática (no sangue) está abaixo de 55 mg/dl para homens e 45mg/dl para mulheres, independente do horário em que foi realizada.

Como é feita a confirmação da hipoglicemia?
São necessários três elementos importantes: (1) nível de glicemia abaixo do normal, (2) presença de sintomas compatíveis com hipoglicemia e (3) melhora dos sintomas após alimentação ou administração de glicose.

Como o nosso organismo mantém o controle da glicemia?
Quando uma pessoa se alimenta, durante o processo de digestão e absorção há um aumento da glicose no sangue. Diante disso, o organismo produz quantidades adequadas de insulina que permitem que esta glicose em excesso entre para dentro das células. Diante de um longo período de jejum, as células do corpo continuam consumindo a glicose no sangue e o organismo, para evitar que a glicose no sangue abaixe muito libera alguns hormônios que aumentam o nível de glicose como o glucagon, o hormônio de crescimento (GH), a adrenalina e o cortisol. Estes hormônios ativam a liberação do glicogênio (glicose estocada no fígado) e transformam outros nutrientes como proteínas e gordura em glicose. Assim, para haver hipoglicemia é necessário que haja um aumento de insulina ou uma diminuição dos hormônios hiperglicemiantes.

Quais são as causas da hipoglicemia?
Geralmente são ocasionadas por falta de refeições nos horários corretos, por exercícios físicos excessivos, ou por doses elevadas de insulina e/ou medicamentos (hipoglicemiantes orais).
Um grande número de doenças ou situações clínicas pode causar a hipoglicemia, que depende principalmente da idade do paciente e do momento em que ela aparece.
Entre as causas da hipoglicemia de jejum podemos encontrar o uso de medicamentos como insulina e anti-diabéticos, uso de álcool, tumores produtores de insulina, síndrome genética, insuficiência hepática ou renal, deficiência de hormônios contra-reguladores (GH, adrenalina, glucagon e cortisol), anorexia nervosa e doenças de armazenamento de glicogênio. Entre as hipoglicemias pós-prandiais (que aparecem depois das refeições) temos principalmente a hipoglicemia reativa e aquelas que aparecem após a pessoa ter sido submetida a uma cirurgia de estômago.

Quais são os sintomas da hipoglicemia?
Diante de uma hipoglicemia, a pessoa apresenta dois tipos de sintomas: (1) os relacionados à diminuição de glicose cerebral e (2) os decorrentes da produção de adrenalina na tentativa de elevar a glicose.
Entre os primeiros, os mais freqüentes são visão turva, tonturas, fraqueza, dor de cabeça, pensamento lento, formigamentos, sensação de fome, dificuldade de concentração, irritabilidade, alterações de comportamento e, em casos mais graves, convulsão e coma, decorrente do fornecimento inadequado de glicose como combustível ao cérebro, com prejuízo resultante em suas funções (neuroglicopenia).
Veja abaixo algumas manifestações possíveis:
  • Atividade mental anormal, prejuízo do julgamento
  • Indisposição não específica, ansiedade, alteração no humor, depressão, choro, medo de morrer
  • Negativismo, irritabilidade, agressividade, fúria
  • Mudança na personalidade, labilidade emocional
  • Cansaço, fraqueza, apatia, letargia, sono, sonho diurno
  • Confusão, amnésia, tontura, delírio
  • Olhar fixo, visão embaçada, visão dupla
  • Atos automáticos
  • Dificuldade de fala, engolir as palavras
  • Ataxia, descoordenação, às vezes confundido com embriaguez
  • Déficit motor, parálise, hemiparesia
  • Parestesia, dor de cabeça
  • Estupor, coma, respiração difícil
  • Convulsão focal ou generalizada

Já os sintomas causados pela liberação de adrenalina são mais freqüentes a sudorese, tremores e palpitações. Embora os sintomas possam variar de acordo com a pessoa, costumam ser os mesmos.

Diferenças entre hipoglicemia e hiperglicemia
Sintomas
Hiperglicemia
(alta de açúcar)
Hipoglicemia
(baixa de açúcar)
Início
Lento
Súbito (minutos)
Sede
Muita
Inalterada
Urina
Muita quantidade
Inalterada
FomeMuitaMuita ou normal
Perda de pesoFreqüenteNão
PeleSecaNormal ou úmida
Mucosa da BocaSecaNormal
SuoresAusentesFreqüentes e frios
TremoresAusentesFreqüentes
FraquezaPresenteSim ou não
CansaçoPresentePresente
Glicose no sangueSuperior a 200 mg%40 a 60 mg% ou menos
háálito cetônicoPresente ou ausenteAusente

Dicas para evitar hipoglicemia
1. O consumo de um lanche antes de dormir (ceia) pode auxiliar na prevenção de hipoglicemia noturna. Os alimentos mais recomendados para este lanche devem conter carboidratos e proteínas (leite ou pão com queijo e presunto, por exemplo);
2. A monitorização nesse horário é extremamente importante. A glicemia deve ser ajustada sempre para que fique em torno de 100 m/dl;
3. Ficar atento à alimentação se fizer exercício físico (especialmente se não programado). É necessário medir sua glicemia para ver se é necessário o consumo de carboidratos extras;
4. Evitar o uso do álcool, principalmente em jejum.

O Estresse Pode Alterar os Níveis de Colesterol?


Sim. Diversos estudos correlacionam o estresse emocional com o aumento do colesterol sanguíneo, embora este mecanismo não esteja elucidado.

O que se sabe é que o estresse pode provocar aumento do colesterol total pelo aumento de LDL (lipoproteína de baixa densidade) e diminuição de HDL (lipoproteína de alta densidade), favorecendo as doenças cardiovasculares. Os autores comentam que o estresse por si só não é considerado um fator de risco para as doenças cardiovasculares, mas sim quando associado a outros fatores como tabagismo, má qualidade da dieta, sedentarismo, entre outros.

O estresse também estimula o sistema nervoso simpático, liberando adrenalina na corrente sanguínea, resultando no aumento da frequência cardíaca, aumento da força contrátil dos batimentos cardíacos e aumento da resistência periférica, resultando no aumento da pressão arterial, o que também é fator de risco para as doenças cardiovasculares.

Um experimento com ratos de laboratório provou que o colesterol dos animais que sofriam de estresse a partir de choques elétricos era significativamente mais alto do que o do grupo que não recebia os choques, sendo que ambos os grupos se alimentavam de uma mesma ração rica em lipídios.

Já estudos com seres humanos demonstraram que homens executivos apresentam níveis de colesterol mais elevados em períodos de maior estresse, comparados com períodos mais calmos nas empresas onde trabalham, sem mudanças significativas na alimentação e atividade física. Estudantes de medicina também apresentaram maiores níveis de colesterol durante o período de exames, comparados aos períodos em que não estavam sob o estresse das provas. Em ambos os casos, não foi citada a relação com o risco para doença cardiovascular.

As 10 Dietas Mais Estranhas (e Engraçadas) da História

O que mais vemos nas televisões, nos anúncios, filmes, e em qualquer lugar, é que ser magro é sinônimo de saúde e beleza para a maioria das pessoas. E isso movimenta um capital extraordinario em diversas áreas como cosméticos, farmacéuticas, academias, cirurgias médicas, restaurantes com alimentação natural e “saudável” (porisso comida japonesa é tão cara, passam a ilusão de que é algo saudável e que te deixa magro) e outras diversas áreas.

Mas o fato é que antigamente já existia essa certa vontade de emagrecer, e para isto, o pessoal meio que exagerava e até enlouquecia. Confira a lista abaixo e conheça um pouco das 10 diestas mais estranhas do mundo.

1 - A dieta da mastigação:
Horace Fletcher, um americano do século XIX, perdeu 40 quilos em apenas quatro meses com a dieta que ele criou. Seu método consistia em mastigar os alimentos em cada mordida pelo menos 32 vezes. Depois dessa demorada mastigação, a pessoa inclina a sua cabeça para trás e deixa apenas o alimento líquido passar por sua garganta. Tudo o que for grande demais para engolir deve ser cuspido para fora. Ou seja, formar um caldo com a mastigação e engolir, apenas isto.

Possíveis efeitos secundários: ferir a mandíbula. Perda do apetite (ahhhhh, óbvio). Deixar irritado quem vai almoçar com você. Já imaginou? Você termina o seu almço e a pessoa ainda está lá, mastigando a salada dela…

2 - A dieta da tênia:
Isso mesmo que vc está pensando: Se você come muito, talvez é hora de arranjar uma segunda boca em sua barriga. E a tênia pode ajudar vc a conseguir isso. Na virada do século passado, estes pequenos parasitas foram vendidos em pílulas alegando ajudar a “diminuir sua cintura”. Não se sabe se essas pílulas realmente tinham os vermes vivos, ou se eles era apenas mais um “placebo”, mas o que é certo é que as pessoas realmente queriam utilizar as tênias como um método de emagrecimento. Já pensou? Um corozinho se alimento de sua comida, dentro de você?

Possíveis efeitos secundários: Com um verme dentro de seu estômago, pode-se causar náuseas, dores de cabeça, infecções e diarréia. Algumas pessoas ficam com intestino preso pelos ovos e isso pode resultar em morte. Não há provas de que as tênias realmente “ajudam” as pessoas a perder peso, por isso toda a experiência pode ser para nada.

3 - A dieta da Bela Adormecida:
Você não pode comer enquanto você dorme. Então, naturalmente, se você sedar a si mesmo durante alguns dias, você não comerá, e, realmente pode funcionar com você. Elvis Presley foi um defensor deste método de perda de peso no final de sua vida.

Possíveis efeitos secundários: Certamente, ficar esse tempo todo sem comer, vai te deixar com dor de cabeça, náuseas e fadiga ao acordar. Além disso, sedação por conta própria pode matar e causar outros problemas, conforme a pessoa.

4 - A dieta do Óculos:
Se a sua comida parecer nojenta, é provável que você não vá comê-la. E é apenas nisto que consiste este método. Johnny Depp é um grande fã de óculos azuis, muito embora, seja difícil de dizer se ele usa para mudar o visual, ou para aderir a esse método.

Possíveis efeitos secundários: Você parecer uma besta comendo com óculos coloridos.

5 - Lavando seu corpo da gordura:
Se você tomar banho várias vezes ao dia, e todos os dias. você poderá perder peso. Essa é a teoria por trás do sabão Aoqili (e é vendido até hoje….). Dizem que estes sabonetes contêm algas que penetram na sua pele e vão atacando as células de gordura, desintegrando-as. Só que, parece não haver provas de que esse produto funcione.

Possíveis efeitos secundários podem incluir: Algumas pessoas tiveram reações alérgicas aos ingredientes do sabão.

6 - Grampeamento da orelha:
Este grampeamento consiste em você furar a cartilagem da orelha interna e supostamente suprimir o seu apetite. Você só pode deixá-la no período de seis semanas a três meses, porque depois disto o seu corpo vai se acostumar com o grampo e irá perder a sua eficácia. Embora muitas pessoas afirmam que esse método de emagrecimento é altamente eficaz, ninguém sabe exatamente o porquê. A explicação mais comum é a da similaridade com a acupuntura.

Possíveis efeitos secundários: Bom, pode ser um pouco doloroso. Pode-se obter uma infecção. E você ainda pode ficar estressado se for perfurado incorretamente.

7 - A dieta da Bola de Algodão:
Resumindo, é você comer bolas de algodão (não, não é o algodão doce não…). Algumas pessoas comem eles secos e outras mergulham em gelatina antes. Obviamente, a idéia é que o algodão vai encher o seu estômago.

Possíveis efeitos secundários: Eca, é uma comida nojenta. Também tem a falta de vitaminas e outros nutrientes necessários para o corpo. E outros problemas digestivos e estomacais.

8 - A dieta do Tipo Sanguíneo:
A teoria da dieta do tipo sanguíneo é que cada tipo de sangue tem um conjunto de alimentos mais adequados para ele. E se você comer, de acordo com seu tipo de sangue, você vai perder peso. Supostamente, uma pessoa com sangue tipo A deve ser vegetariana e meditar, enquanto que aqueles com o tipo O devem eliminar os grãos de sua dieta e fazer aeróbica. E por aí vai.

Possíveis efeitos secundários: Esta dieta pode parecer inofensivo, mas dependendo do tipo de sangue que você tem, essa dieta alimentar é ruim para você. Por exemplo, muitas pessoas são intolerantes a lactose , mas qualquer pessoa com sangue tipo B é recomendada a ingestão de uma grande quantidade de produtos lácteos, e isso poderia causar uma série de problemas. Além disso, as pessoas com sangue tipo A são aconselhados a comer trigo, mas se alguém tem intolerância glúten, isto poderia ser perigoso.

9 - A Dieta Aleluia:
A dieta Aleluia recomenda comer alimentos especificamente mencionados no livro bíblico Gênesis capítulo 1, versículo 29. Estes alimentos são todos vegetarianos e alimentos crus. Claro que, em Gênesis capítulo 9, versículo 3, permite-se qualquer alimento, mas a dieta aleluia pula essa parte.

Na dieta, apenas 15% da ingestão diária de alimentos é autorizada a ser cozida. Além da dieta, o plano recomenda exercício, descanso, sol e eliminação do estresse. Só que, qualquer pessoa que se exercite, relaxe e seja vegetariana vai perder peso, independente de qualquer método.

Possíveis efeitos secundários: Como todas as dietas vegetarianas, uma pessoa deve ser muito cuidadosa para obter a sua ingestão diária de proteínas, vitaminas e minerais. Fora isso, esta dieta é muito saudável.

10 - A dieta do Homem-das-Cavernas:
Esta dieta, também chamada de Paleolítica, é baseada nos alimentos disponíveis cerca de 10.000 anos atrás. A maioria dos alimentos será limitado a carne magra, peixe, vegetais, frutos, raízes e frutos de casca rija. Grãos, produtos lácteos, sal, açúcar refinado, óleos e leguminosas são proibidos.

Possíveis efeitos secundários: O único problema é garantir uma ingestão diária de cálcio.

Bom, mas o fato é que, a única forma de alguem emagrecer, ou engordar, é através da alimentação associada com bons, ou maus hábitos (isso é relativo).

É importante também observar que qualquer atitude a ser tomada, com o nosso corpo, deve ser acompanhada por algum profissional da área, ser feita com bastante atenção e com os devidos cuidados necessários para manter o nosso bem-estar.

E, para terminar: conhece alguma dieta "maluca" ou tão esdrúxula quanto as dietas acima citadas? Então deixe seu comentário!

quinta-feira, 2 de julho de 2009

Faça Exercícios Físicos no Inverno


A prática de esporte no inverno é tão importante quanto em qualquer outra época da estação no ano, a diferença é que no inverno, o corpo vai gastar mais energia para ficar aquecido, alimentação saudável nesse período fornece a energia necessária para às atividades.
Nos exercícios durante o período de frio, teremos que aumentar o aquecimento antes do alongamento, para que não haja lesões musculares, independente da prática esportiva: futebol, tênis, corrida ou ciclismo. Aquecer é uma atividade que faz com seu organismo eleve a temperatura corporal, tanto interna como muscular. No caso o alongamento vem após para distender em níveis seguro as fibras musculares.
No inverno, o agasalho pode ser usado no período de aquecimento, após usar a roupa esportiva adequada a cada esporte, agora caso esteja frio usar um agasalho leve. Sendo que, após a atividade, tirar a roupa que eventualmente pode estar molhada de suor e colocar uma roupa seca para manter a temperatura corporal.
O alimento mais adequado para comer antes e durante os exercícios são os carboidratos, que rápidamente são absorvidos. Os alimentos quentes, facilitam o aquecimento do corpo, mas possuem um esvaziamento gástrico lento, a pessoa sente pesada na hora do exercício. O importante é estar em movimento, é saudável para mente e corpo.

Glutamina

Glutamina é o aminoácido não-essencial mais abundante no corpo humano. Ele pode ser encontrado principalmente no sangue e músculos. Glutamina tem uma estrutura única consistindo em 19% de nitrogênio que o torna o transportador primário de nitrogênio para a célula do músculo. É responsável por 35% do nitrogênio que chega às células de músculo onde é sintetizado para crescimento.

Segundo Judy Shabert e Nancy Ehrlich no livro The “Ultimate Nutrient: Glutamine/the Essential Nonessential Amino Acid” a suplementação com Glutamina produz os seguintes benefícios:

Aumenta a Síntese de Proteína (Construção de Músculo): Glutamina poupa o tecido muscular que é catabolizado para prover glutamina para outras células no corpo, assim permitindo que o tecido muscular use glutamina para sintetizar tecido muscular novo.

Diminui o Catabolismo (A Quebra de Tecido Muscular): Catabolismo acontece quando Glutamina deixa o músculo e leva as células a descarregar água e se tornarem desidratadas. Suplementação com Glutamina assegura que os altos níveis de Glutamina dentro das células sejam mantidos o que significa que não ocorre descarga de água ou catabolismo.

Impede o esvaziamento de Glutamina nos músculos depois de exercícios: Sob períodos de tensão, incluindo treinamentos duros e intensivos, seu corpo pode não conseguir fabricar toda Glutamina que requer. Estudos mostraram que a suplementação com Glutamina é eficaz na substituição destes níveis decaídos.

Eleva os Níveis de Hormônio do Crescimento: Num estudo conduzido por Thomas C. Welbourne da Louisiana State University College of Medicin em Shreveport, foi mostrado que uma pequena dose oral de 2 gramas de Glutamina causou um aumento do nível de hormônio do crescimento maior que 400% em relação ao grupo placebo.

Ajuda o Sistema Imunológico: Glutamina pode melhorar a função do sistema imunológico. Durante períodos de tensão ou doença, o metabolismo da glutamina é aumentado para promover um ótimo sistema imunológico funcionando.