quarta-feira, 7 de outubro de 2009

Rio 2016 e as polêmicas já começaram

Bem, os jogos nem bem começaram... estamos a 7 anos da realização dos mesmos e as polêmicas já começaram.
Não bastassem as críticas constantes do Comitê Olimpico Espanhol (clique aqui), agora começam a surgir notícias depreciativas sobre a cidade do Rio e suas reais condições para realização dos Jogos de 2016. Bem, que temos problemas, nós já sabemos, mas por que somente agora surgem algumas notícias sobre a cidade?

Globoesporte.com

Maratonista aquática diz ter contraído doença durante disputa do Pan do Rio
Medalha de bronze em 2007, americana Kalyn Keller criticou o fato de a cidade carioca ter sido escolhida para ser sede dos Jogos de 2016

Medalha de bronze no Pan-Americano de 2007, Kalyn Keller não guarda boas lembranças do Rio de Janeiro. A maratonista aquática afirma que contraiu a Síndrome de Crohn, uma doença crônica gastrointestinal, durante a disputa na Praia de Copacabana. Por isso, em entrevista ao site “CNSNews”, a americana protestou contra a vitória da cidade para ser sede dos Jogos Olímpicos de 2016.

- É como se tudo estivesse acontecendo novamente. Eu não quero que isso aconteça com mais ninguém. Quem está lá falando sobre a segurança dos atletas na América do Sul? Eu não teria problema nenhum com isso se eu soubesse que o Rio de Janeiro é seguro, mas não é.

Apontada como forte candidata a uma medalha nos Jogos de Pequim, Keller não chegou a se classificar para a competição. Segundo ela, após voltar do Rio de Janeiro, passou a apresentar sintomas da doença, não conseguiu atingir o índice olímpico e logo foi diagnosticada. Como não há cura definitiva atualmente para a Síndrome de Crohn (ou Doença de Crohn), ela precisou largar as competições.

- Isso tirou meu chão. Eu tinha um grande plano de ir para as Olimpíadas e, de repente, eu passei de uma atleta para uma inválida.

Apesar dos protestos, Keller não pode provar que foram as águas da praia de Copacabana que causaram sua doença. Porém, de acordo com Lindsay Mintenko, diretora da USA Swimming, que cuida dos esportes aquáticos nos EUA, não há atualmente um controle da qualidade da água onde são disputadas competições de maratonas.

Segundo o Dr. Jeffrey A. Katz, gastroenterologista americano, é muito difícil afirmar que Keller tenha contraído a doença devido à qualidade da água carioca.

- Acredito que é uma associação interessante, mas provavelmente não faz justiça ao que nós pensamos sobre a doença e sobre suas causas. Ao meu ver, para ter a doença, a pessoa precisa ter determinados genes. A pessoa precisa ter uma predisposição genética para contrair a doença - afirmou Katz.


Doença de Crohn

É uma doença crónica inflamatória intestinal, que atinge geralmente o íleo e o cólon (mas pode afectar qualquer parte do tracto gastrointestinal). Muitos danos são causados por células imunológicas que atacam uma ou mais partes dos tecidos do tubo digestivo, mas não há certeza de etiologia autoimune. Os sintomas e tratamentos dependem do doente, mas é comum haver dor abdominal, diarreia, perda de peso e febre. Actualmente não há cura para esta doença, no entanto os tratamentos permitem alívio dos sintomas e melhoria de qualidade de vida.

A doença de Crohn é uma das principais doenças inflamatórias intestinais. A outra é a colite ulcerosa, que difere em vários detalhes. Muitos acreditam que a doença de Crohn e a Colite ulcerosa são duas manifestações extremas de um mesma patologia intestinal subjacente.

Epidemiologia

A doença existe no mundo todo, porem com grandes variações regionais de prevalência. É mais comum em caucasianos, sendo mais frequente na Inglaterra, EUA e países escandinavos. Nos EUA, é mais comum nos judeus do que nos não-judeus. Ocorre em qualquer idade, sendo mais prevalente de 20 a 40 anos e ligeiramente mais comum no sexo feminino. A prevalência da doença nos EUA é de 7 casos por 100.000 indivíduos, na Europa, na África do Sul e na Austrália a prevalência encontra-se em torno de 0,9-3,1 casos por 100.000 indivíduos, e na América do Sul e na Ásia a prevalência encontra-se em torno de 0,5-0,8 casos por 100.000 indivíduos.

Etiologia

A etiologia é ainda oficialmente desconhecida. No entanto supõe-se que seja resultado de hiperactividade intestinal do sistema imunitário digestivo por acção de factores ambientais com tendência genética.

Julga-se que esse factor ambiental será provavelmente um vírus ou bactéria que desencadeia uma reacção inflamatória descontrolada e inapropriada nas paredes do intestino, que se torna depois independente do agente inicial. A doença cursa com formação de granulomas, uma forma de defesa especifica do sistema imunitário contra algumas bactérias intracelulares ou fungos.

Estuda-se também uma possível relação entre a doença e fatores de fundo psicológico (já que o indivíduo possui o problema, mas pode manifestá-lo ou não).

Fonte: Wikipédia e Tratado de Nutrição Moderna na Saúde e na Doença, 9a. Ed.

Agora deixo as conclusões por conta de quem lê este artigo.

Um comentário:

Anônimo disse...

Sei... acredito... é por isso que milhares de cariocas que vão às praias todos os dias sofrem deste mesmo problema... Se eu estive presente quando esta moça fez esta declaração diria a ela: Como diria o Rei da Espanha, Juan Carlos de Bórbon: "Por que não te calas?"

Acredito que esta senhora teve um diagnóstico errado, o problema dela é: dor de cotovelo!!!!