sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Acelere Seu Metabolismo

Para entender melhor, imagine que, enquanto você lê este post, seu organismo está trabalhando a pleno vapor, em inúmeras tarefas, simultaneamente. Todas elas bastante pesadas: gerar energia para as nossas atividades a partir das substâncias obtidas dos alimentos, sintetizar hormônios e enzimas, destruir células velhas e criar outras novinhas em folha para substituí-las, entre outras inúmeras funções que certamente tomariam toda esta página para serem detalhadas. Cansou só de pensar? Pois é justamente o metabolismo o responsável por todas essas reações bioquímicas essenciais à nossa sobrevivência.
Do total de energia gasto por uma pessoa em um dia, cerca de 60% é usada para a manutenção das atividades vitais, como respirar e manter os batimentos cardíacos.
Abaixo, algumas dicas para você acelerar seu metabolismo e emagrecer com mais facilidade:

Saia do sedentarismo
A prática de qualquer atividade física, já aumenta o gasto energético. Mas as vantagens de sair do sofá e assumir uma vida mais ativa não param por aí, porque o exercício regular ajuda a manter o metabolismo funcionando continuamente. Além disso, auxilia na transformação da glicose e da gordura em energia, sem a necessidade de produzir o hormônio insulina, que ajuda a engordar. Você provavelmente já ouviu isso antes, mas, vale trocar o elevador pelas escadas, descer do ônibus um ponto antes ou ir a pé até a padaria, todos os dias pela manhã. Já é o suficiente para dar um empurrãozinho no seu metabolismo.

Praticar musculação
Qualquer exercício físico traz benefícios à saúde, porém a musculação maximiza os resultados e aumenta também o metabolismo. Ela aumenta o volume do músculo e esse ganho, por si só, é capaz de impactar de forma positiva o ritmo natural do nosso corpo. O músculo precisa de mais energia para se manter vivo, ao contrário do tecido gorduroso. Por isso, é capaz de queimar calorias até quando estamos em repouso. Por isso, quando aumentamos a massa muscular, aceleramos a taxa metabólica, que tem a ver com o gasto de energia diário. Quem não tem indicação para musculação, pode entrar nas aulas de ginástica localizada que é uma excelente opção. Para quem nunca praticou, a dica é começar o mais rápido possível, pois, em qualquer idade, é possível perder tecido gorduroso, substituindo-o por músculos. Para quem já pratica, a ideia é aumentar o peso gradativamente, experimentando novos exercícios e permitindo que o metabolismo seja frequentemente estimulado.

Invista nas fibras
Já ouvir falar em termogênicos? São alimentos de digestão mais difícil e que, por isso mesmo, obrigam o organismo a gastar mais energia no momento de processá-los. Alimentos muito processados são de digestão mais fácil e normalmente oferecem mais calorias. Já os alimentos ricos em fibras, que exigem maior esforço em todo o processo de digestão, desde a mastigação, auxiliam no emagrecimento, pois o gasto energético envolvido nesse processo é muito maior. Quanto mais difícil a digestão, maior o valor termogênico do alimento e, consequentemente, o gasto calórico para processá-lo, o que gera um aumento e aceleração do metabolismo. Os chás, ricos em substâncias estimulantes, pimenta-vermelha e do gengibre, entre outros alimentos são produtos termogênicos.

Consumir carboidratos regularmente
Os carboidratos fornecem a matéria prima que, transformada em energia, permite que o corpo realize todas as suas atividades normais. Além disso, são eles que dão combustível aos músculos. Os carboidratos são fundamentais para que a gordura seja decomposta e metabolizada e o indivíduo emagreça. O segredo para manter a saúde e não engordar é acertar na quantidade e na qualidade dos carboidratos que consome. Nesse sentido, os feitos de grãos integrais – arroz e pães, por exemplo – e os alimentos de origem vegetal não refinados – legumes, frutas e verduras – são, de longe, as melhores pedidas.

Não corte proteínas e gorduras da dieta
Não adianta só colocar a quantidade certa de carboidratos e você não contar com os benefícios de outros grupos de alimentos. A melhor dieta é aquela que combina todos os tipos de nutrientes, em porções adequadas. Dietas restritivas, que sugerem cortar por completo o consumo de carboidratos, proteínas ou mesmo gorduras certamente vão trazer prejuízos à saúde. A ingestão de proteínas, por exemplo, diminui a velocidade da digestão dos carboidratos, quando o consumo das duas substâncias é associado, prolongando a energia e o metabolismo por mais tempo. As melhores proteínas são as magras, obtidas a partir do consumo da carne de peixe, feijão e derivados da soja, entre outros. No grupo das gorduras, fique com as insaturadas, que estão presentes, por exemplo, no abacate, na azeitona, nas nozes e nos grãos de soja.Quando as proteínas/gorduras estão acompanhadas dos carboidratos, elas ajudam a estabilizar o nível de glicose no sangue, aumentando a sensação de saciedade e impedindo que você coma mais do que precisa e, consequentemente, engorde.

Fazer mais refeições por dia
Em primeiro lugar, é preciso ter em mente que a função primordial do organismo é a manutenção da vida. E o organismo se adapta à diversas situações rapidamente, o que explica que após um intervalo grande nas refeições, ele dá um jeitinho de fazer uma reserva de combustível, prevendo uma emergência. O jejum prolongado é sempre interpretado pelo organismo como um período de escassez de alimentos, uma ameaça à sobrevivência. Por isso, o ideal é fazer refeições menores e mais frequentes, alimentando-se a cada três horas. É justamente o fornecimento contínuo de nutrientes que permite ao metabolismo manter-se acelerado o dia inteiro.

Coma sempre nos mesmos horários
Mesmo que não consiga fazer mais do que três paradas diárias para se alimentar, tente, pelo menos, estabelecer horários para isso. Defina, por exemplo, que almoçará todos os dias entre 12h e 13h. E tente perseguir essa meta, como um desafio pessoal dos mais importantes. O princípio aqui é que o corpo saberá mais ou menos quando receberá um aporte extra de energia e não fará tantas reservas. Se sua rotina for extremamente desregrada, é muito provável que o organismo dê uma desacelerada total para impedir que falte combustível para as atividades essenciais.

Dormir bem
Passar oito horas por dia na cama parece uma tremenda perda de tempo? Pois saiba que esse cuidado é fundamental para manter todo o organismo funcionando com 100% da capacidade. O sono atrasado interfere na função do corpo de metabolizar os carboidratos e, por isso, você já acorda sem energia, o que diminui muito a disposição para todas as atividades. Sem seu principal combustível, o metabolismo entra em marcha lenta. A falta de uma boa noite de descanso, que proporcione sono profundo, influencia ainda a produção do hormônio do crescimento que, na fase adulta, ajuda a regular a proporção entre massa magra e gordura, auxiliando na constituição dos músculos. Sem esses hormônios, você perde massa magra e o metabolismo fica drasticamente prejudicado.

Beba muita água
Todas as nossas células contêm água e, da mesma forma, as reações químicas do corpo dependem dela. Ela é, portanto, fundamental para a nossa sobrevivência, para a queima de calorias e para garantir que o metabolismo continue funcionando 100%. Além disso, se estivermos desidratados, nossa disposição e o vigor com que realizamos as atividades físicas também diminuem muito. Assim como é importante manter uma dieta balanceada, a água é fundamental para um melhor aproveitamento de carboidratos, gorduras e proteínas, que são o combustível do nosso metabolismo.

Quais as Diferenças Entre os Leites A, B e C?


Os leites dos tipo A, B e C possuem praticamente a mesma composição nutricional. A diferença entre eles está no tipo de rebanho, ordenha, processo de obtenção e número de bactérias presentes após pasteurização.

A Instrução Normativa no 51, de 18/09/2002, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, contém os regulamentos técnicos de produção, identidade e qualidade dos diferentes tipos de leites, descritas a seguir:

O leite tipo A é obtido de um único rebanho e não há contato manual com o leite em nenhuma fase do processo, ou seja, a ordenha é mecânica e o leite segue por tubulações diretamente para o compartimento onde sofre pasteurização, homogeneização e envase. O número máximo de bactérias permitido para este leite é de 500/ml.

O leite tipo B é obtido de rebanhos diferentes e sua ordenha pode ser realizada mecânica ou manualmente. O leite deve ser refrigerado no próprio local da ordenha (propriedade rural) por até 48 horas em temperatura igual ou inferior a 4ºC e transportado em tanques até o local apropriado, onde será processado. O número máximo de bactérias permitido para este leite é de 40.000/ml.

O leite tipo C tem a mesma origem e tipo de ordenha do leite tipo B. Entretanto, não é refrigerado na fazenda leiteira. Após a ordenha, o leite é transportado em tanques até um local apropriado (estabelecimento industrial) até as 10:00 h do dia de sua obtenção, onde só então é processado, seguindo os prazos estipulados por lei. Este processo eleva bastante o número de bactérias presentes no leite, que pode chegar, por determinação da lei, a 100.000/ml.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Universo Masculino...Uma Abordagem sobre a Anorexia


De tempos em tempos, posto aqui algo sobre anorexia. Acho relevante tratar do assunto porque a cada dia o número de casos aumenta mais, e agora, com um agravante, tem crescido entre homens. E, pensando no "universo masculino", que hoje venho tratar do assunto mais uma vez.

Ela age silenciosamente, mas os danos que provocam ao organismo são intensos. Distúrbio alimentar grave, a anorexia traz sérias complicações ao organismo quando não é tratada a tempo. A doença pode comprometer diversas funções vitais, tais como o funcionamento do intestino e do estômago, anemia, problemas cardíacos e, em casos mais graves, pode levar à morte. “As consequências da anorexia nervosa no organismo dependem dos meios que o paciente usa para alcançar seu objetivo de perder peso. Se a pessoa toma muito laxante, terá problemas no intestino ou se faz exercícios em excesso, pode perder massa muscular. Tudo vai depender de como ela faz para eliminar a gordura que acredita ter“, explica Adriano Segal, Diretor de Psiquiatria de Transtorno Alimentar da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

Mas se engana quem pensa que o problema atinge apenas as mulheres. Embora seja mais comum entre elas, cresce o número de casos de homens com anorexia. O Ambulatório de Transtornos Alimentares (Ambulim), do Hospital das Clínicas (São Paulo), recebe 25 novos casos de homens por mês e cerca de 70 de mulheres. Desses homens, 50% tiveram problemas de obesidade na infância. A maior incidência da anorexia em homens ocorre entre 14 e 18 anos e os sintomas são muito semelhantes aos que acometem as mulheres. “Os sintomas da doença em homens e mulheres são basicamente os mesmos“, explica Roberto Barcellos Betti, endocrinologista do Hospital Oswaldo Cruz.

Segundo Adriano Segal, a cada 10 pacientes anoréxicos, um é homem. Porém, apesar deste número ser considerado pequeno, a situação é preocupante, pois a doença – diagnosticada quando a pessoa está com um IMC (Índice de Massa Corpórea) inferior a 15 – leva a óbito cerca de 10% das pessoas que a possuem. “Como é uma doença, em geral, relacionada às mulheres, alguns homens têm dificuldade em aceitar e assumir que estão passando pelo problema, mas isso não é uma regra. É uma questão cultural também“, explica Adriano.

A questão da estética não é a principal causa da doença e sim um fator desencadeante.

A falta de alimentação é um problema para qualquer organismo. O corpo fica sem combustível para executar suas atividades. “A diferença é que nas mulheres há a ausência do ciclo menstrual em função da desnutrição e nos homens isso não acontece“, explica Adriano.

Causas
As causas ainda são desconhecidas. “Acredita-se que a anorexia nervosa é motivada por fatores genéticos associados a fatores como pressão social, problemas emocionais e motivações estéticas“, explica Adriano Segal. “Porém, deve-se frisar que a questão da estética, ao contrário do que se divulga, não é a principal causa da doença e sim um fator desencadeante em pessoas com pré- disposição genética ou outros problemas emocionais“, alerta ele.

Por que a doença atinge mais os jovens?
Cerca de 90% dos casos de anorexia atingem os adolescentes. “Normalmente, são jovens que têm um histórico de obesidade, de baixa auto-estima, timidez ou sofrem algum tipo de repressão de pais e familiares“, diz o diretor de psiquiatria da Abeso.

“Os jovens são mais suscetíveis às pressões externas e se sentem na obrigação de agradar. Como vivemos em um a sociedade que valoriza a estética, o corpo faz toda a diferença na hora de se relacionar socialmente, daí o aumento do número de casos“, alerta Roberto Barcellos Betti. “Além disso, é nesta fase da vida que os conflitos emocionais se manifestam com maior intensidade, contribuindo para o desenvolvimento da doença“, continua.

Ele chegou a pesar 25 kg em dois meses O ator Fabrizio Lopes, 23 anos, que chegou a perder 25 quilos em dois meses, após um regime feito por conta própria, foi uma vítima da anorexia. “Sabe aquela coisa de preciso ser magro para agradar a todos? Era assim que eu me sentia quando ouvia as piadas no almoço de domingo“, conta.

Gordinho desde a infância, Fabrizio conta que nunca quis seguir o padrão “sou magro”, mas as pressões dos amigos e familiares o levaram a começar o regime. “Eu não queria engordar e vomitava tudo o que comia, fiz isso por dois anos. E ainda usava laxantes e diuréticos. Melhorei quando comecei a namorar, porque daí tive que readaptar minha rotina a uma outra pessoa e não dava para continuar do jeito que eu estava“, finaliza Fabrizio.

Fabrizio se encaixava no perfil dos homens que apresentam a doença. “No início ou meio da adolescência, o jovem começa a fazer algum tipo de dieta e emagrece muito. Depois, começa a ter um comportamento obsessivo com sua alimentação. Daí vem a imagem distorcida de seu próprio corpo e a vontade incessante de se manter cada vez mais magro, que o impede de perceber a gravidade do problema“, explica Adriano.

Anorexia x bulimia
Outro distúrbio que está associado à anorexia é a bulimia. Apesar de não ser tão grave quanto a anorexia, a bulimia também é um preocupante transtorno alimentar que vêm atingindo os homens. Caracterizado pelos vômitos após as refeições e pela alternância entre dias de comilança e dias sem comer nada para compensar os excessos dos dias anteriores, a bulimia pode provocar um tipo de anorexia mais difícil de ser detectada já que há períodos em que o paciente consome alimentos. “A doença pode desencadear um quadro anoréxico e um paciente pode ter os dois distúrbios ao mesmo tempo, mas isso não é uma particularidade da anorexia em homens“, diz o especialista da Abeso.

Tratamento
Para Adriano, o tratamento é complexo, mas, em linhas gerais, tem bom resultado e a maioria consegue se livrar do problema sem grandes sequelas. O médico ainda aconselha aos familiares e doentes a procurarem ajuda para se orientarem sobre o tratamento, que é multidisciplinar, pois necessita de psiquiatra, nutricionista e clínico geral.

Ele acredita ainda que é fundamental para a superação da doença trabalhar a autoestima e recuperar o peso normal: “quando a paciente está fora do peso, não processa direito informações e tende a diminuir sua percepção das coisas. Recuperar o peso e a autoestima é fundamental para salvar estes pacientes“, finaliza Adriano Segal.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Quais as Estratégias para Prevenção das Doenças Cardiovasculares?

As doenças cardiovasculares (DCV) são as maiores causas de morte no mundo ocidental e contribuem largamente com o aumento dos gastos para a rede de saúde. Na grande maioria das vezes, a morte por DCV ocorre de maneira súbita, e não apenas em indivíduos com presença de fatores de risco elevados, mas também naqueles que apresentam riscos baixos ou moderados. Este cenário pode ser modificado por meio da prevenção e educação da população pelos profissionais da área da saúde, uma vez que a maioria dos casos de DCV está diretamente relacionada com maus hábitos de vida e fatores bioquímicos e fisiológicos modificáveis.

As estratégias necessárias para se alcançar um nível ótimo de saúde cardiovascular são:

* Evitar o consumo de tabaco

* Atividade física (ao menos 30 minutos diários em intensidade moderada)

* Dieta saudável

* Ausência de sobrepeso (IMC menor que 25 kg/m2)

* Circunferência da cintura ≤ 94 cm para homens e ≤ 80 cm para mulheres

* Pressão arterial menor que 140/90 mmHg

* Colesterol total menor que 200 mg/dL

* Lipoproteína de baixa densidade (LDL) menor que 130 mg/dl

* Glicose sanguínea menor que 110 mg/dl

Entende-se como parte de uma dieta saudável a redução das gorduras totais e saturadas, que não devem exceder 30% e 10% da ingestão calórica diária, respectivamente. A ingestão de gorduras trans deve ser a menor possível, sendo ideal eliminá-la da dieta. Os ácidos graxos poliinsaturados devem corresponder a 10% das calorias diárias totais e os ácidos graxos monoinsaturados de 10% a 15%. A ingestão excessiva de sal e álcool deve ser desencorajada. Recomenda-se o consumo de frutas e vegetais (mínimo de 400 g por dia), assim como grãos integrais e leguminosas.

sábado, 19 de dezembro de 2009

Conheça os Riscos de Seguir as Dietas da Moda


Muitos radicalizam para conquistar um corpo esbelto, apostando em dietas extremas ou jejum prolongado. E o resultado é a saúde em risco por falta de nutrientes. "Dietas sem orientação médica deixam o organismo mais suscetível a doenças por deficiência no consumo de minerais. Num déficit vitamínico, o corpo fica em estado de fadiga", destaca a médica ortomolecular Luciana Granja.

Algumas das consequências mais comuns dos regimes radicais são: tonturas, fraqueza, anemia, queda de cabelo, irritabilidade e desmaios. Arritmias cardíacas e lesões neurológicas, como perda de memória, também podem ocorrer, assim como transtornos alimentares (anorexia, bulimia, compulsão e ortorexia).

"Pessoas com esses transtornos buscam uma imagem de beleza inatingível, e mesmo aqueles que estão na faixa ou abaixo do peso ideal, se sentem gordos. Esses transtornos devem ser tratados por equipe multidisciplinar, incluindo médicos, psicólogos e nutricionistas", diz o psiquiatra Ervin Cotrik, do Instituto de Psiquiatria da UFRJ.

Segundo a nutricionista Patrícia Bertoni, da RioGastro, o tratamento para emagrecimento deve ser de médio a longo prazo. "Um programa de reeducação alimentar, levando em conta o estilo de vida, é fundamental. Com um regime que se adapte ao organismo da pessoa, ela perderá peso sem perder a saúde", avisa.

Para ajudar pacientes com o problema, o Frozen Spa, em Itaipava, criou o "personal diet", consultoria nutricional que, além da reeducação alimentar, inclui o acompanhamento do nutricionista nas compras no supermercado.

Dicas para o processo de emagrecimento não virar doença

O que faz bem

- Seja numa dieta hipo ou hipercalórica, deve-se consumir fontes de vitaminas e minerais para o organismo funcionar bem: ferro, cálcio, zinco, magnésio e potássio.

- Consuma frutas, verduras e legumes, grãos e cereais integrais (aveia, centeio, gérmem de trigo, granola), leite e derivados.

- Opte por carnes magras, peixes e frutos do mar. Prepare-os assados, grelhados e, no caso de carne de aves, retire a pele.

- A alimentação diária deve ser dividida em três refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e lanches leves intermediários, sempre em horários regulares. O ideal é alimentar-se a cada três horas.

- Comece as refeições pela salada crua, que reduz a sensação de fome.

- Alterne os legumes cozidos com os legumes crus.

- Pratique exercícios físicos para acelerar a sua queima de gordura e não deixe de controlar seu peso regularmente.

O que deve ser evitado

- Alimentos fritos.

- Grande uso de sal e açúcar.

- Queijos amarelos (queijo prato, provolone, muzzarela). Prefira os queijos magros (ricota, queijo branco).

- Consumo de bebidas alcoólicas, refrigerantes e doces. Invista em sucos naturais e opte por frutas frescas em vez de doces.

Fonte: Portal Terra

domingo, 13 de dezembro de 2009

Delícias de Verão que Cabem na Sua Alimentação

Costumo, em minhas orientações, preservar os hábitos que cada paciente possui, evitando assim não somente uma dieta restritiva, mas principalmente, que o mesmo a abandone. Respeitar a individualidade é a chave.
E, agora chegou o verão e muitos ficam com dúvidas e receios do que podem ou devem comer. A dica é: aproveite a temporada de verão para deixar a dieta muito mais refrescante e convidativa. Assim, você não passa vontade, come sem peso na consciência e evita que o ponteiro da balança suba.
"O ideal é consumir alimentos leves e saborosos"
A seguir, você confere como tirar o melhor proveito de alimentos com a cara da estação quente e que podem sim entrar para a turma dos aliados da boa forma.

1. Gelatina
Leve, fresquinha, fácil de fazer e com diversas opções de sabores. A dica para deixar a sobremesa mais gostosa é adicionar pedaços de frutas. Acrescente pedaços de maçã e abacaxi picados, antes de levar à geladeira, quando ela não estiver quente. Mas as combinações que levam leite condensado são um perigo para quem está de regime.

2. Frutos do mar
Verão chama um prato de petiscos à beira da praia, mas é preciso atenção ao seu preparo. É importante que as preparações sejam feitas com pouca gordura e que não sejam fritas. Os frutos do mar são fontes de proteínas e de minerais, como ferro, fósforo, magnésio, iodo, selênio e zinco. Porém, atenção à quantidade das porções. Marisco e mexilhão estão entre os mais calóricos.

3. Suco de frutas
Quando o assunto é se refrescar, os sucos gelados e de frutas são aliados. Laranja, mamão, acerola, banana, kiwi e manga estão na lista das frutas que prometem espantar o calor durante o verão. Porém, é preciso ficar cuidado: é natural comer mais, quando a refeição é acompanhada da ingestão de líquidos. Isso porque, a bebida ajuda a dilatar o estômago, promovendo uma distensão das paredes e fazendo com que caiba mais comida. Além disso, o consumo excessivo de líquidos durante a refeição pode diluir o suco gástrico, o que também dificulta a digestão.

4. Sorvete
Feito à base de água, a melhor opção para quem segue uma dieta é o picolé de frutas. A variedade de sabores é bem vasta e as calorias são mais magras do que a versão à base de leite. Mas, atenção à quantidade, inclusive se o sorvete de massas for o escolhido. A quantidade vai depender da quantidade consumida durante o dia. O ideal é não exagerar em nada.

5. Água de coco
Geladinha, a água de coco é uma ótima pedida para hidratar e refrescar por possuir grandes quantidades de potássio e sódio, que evitam a desidratação e o aumento de suor. Mas, mesmo com todas as qualidades, a água de coco não deve substituir totalmente a água natural.

6. Vitamina de frutas
Em temperaturas frescas, a combinação de leite com frutas leva o calor embora, além de possibilitar diversas misturas com mamão, banana, morango e maçã. Outra opção é misturar as frutas com leite de soja. As vitaminas são ótimas opções para complementar o café da manhã ou o lanche da tarde.

7. Salada
Claro que dá para fugir da combinação tradicional que leva alface e tomate. A dica é apostar em todos os vegetais, mesmo os que precisam ser cozidos, como brócolis e berinjela. Já na parte dos molhos, apostar em iogurte e até molhos como o de mostarda e o de limão. Outra opção é montar pratos únicos, que já contenham, por exemplo, vegetais, carboidrato e proteína.

Um bom exemplo é a combinação de salada de macarrão penne integral com abobrinha e tomate, além do frango desfiado. Já molhos à base de maionese, creme de leite, batata palha ou queijo parmesão ralado deixam a salada muito calórica por conta da quantidade de gordura.

8. Frutas
Aposte nas frutas in natura nesse verão. Além de saudáveis, as frutas podem ser colocadas em saladas. Ao contrário das frutas secas, elas mantém todas as propriedades nutricionais da fruta. Vale também apostar na salada de frutas. Ela é nutritiva, saborosa, tem grande quantidade de água e baixo valor calórico.

Eles também são aliados no verão (e do regime!)
- Água: a falta dela pode causar desidratação. Muita gente também confunde a falta de água no organismo com fome, consumindo calorias desnecessárias.

- Legumes e verduras: ricos em fibras, vitaminas, minerais e água, esses alimentos aumentam a sensação de saciedade, estendendo o tempo até o corpo sentir fome novamente. Além de serem pouco calóricos, de fácil digestão e de ampla variedade para consumo. Podem ser incluídos em: saladas, cozidos no vapor, em pratos únicos, acompanhados por uma fonte de proteína, misturados com arroz ou massas.