sábado, 20 de março de 2010

Retarde o Envelhecimento Comendo 1 (Uma) Castanha Por Dia

O nome em inglês da castanha-do-pará, Brazil nut, já revela tudo sobre a origem dessa semente, que saiu da Floresta Amazônica para conquistar o mundo. A castanha-do-pará é uma fruta oleaginosa, composta em boa parte de gorduras benéficas, que ajudam a evitar o colesterol alto e protegem o coração. Além disso, é rica em proteínas e nutrientes: ácido fólico, vitamina E, cálcio e potássio.

Mas sua grande riqueza é o selênio, um mineral antioxidante, que combate os radicais livres, fortalece o sistema imunológico e, segundo pesquisas, ajuda a evitar tumores.

Agora o melhor: 1 castanha por dia...
...não mais do que isso, garante as doses de selênio de que seu corpo precisa para preservar cada célula,botar para fora possíveis substâncias tóxicas e viver mais. A quantidade de selênio na castanha-do-pará é tão grande que apenas uma unidade diária supre as necessidades do corpo.


Um estudo da Universidade de Otago, na Nova Zelândia, atesta que a ingestão diária de duas castanhas-do-pará recentemente rebatizadas castanhas-do- brasil eleva em 65% o teor de selênio no sangue. Mas provavelmente os neozelandeses não usaram o legítimo produto brasileiro. Ora, nós somos sortudos. É que as castanhas cultivadas no Norte e no Nordeste do país são tão ricas em selênio que bastaria uma unidade para tirar o mesmo proveito. A recomendação é de que um adulto consuma, no mínimo, 55 microgramas por dia, diz a nutricionista Bárbara Rita Cardoso, pesquisadora do Laboratório de Minerais da Universidade de São Paulo. E com uma unidade da nossa castanha já é possível encontrar bem mais do que isso de 200 a 400 microgramas do bendito selênio. Aliás, o limite de consumo diário do mineral é de 400 microgramas, portanto, não vá com muita fome ao pote. No caso de uma criança, meia castanha seria suficiente, afirma Silvia Cozzolino, presidenta da Sociedade Brasileira de Alimentação e Nutrição.

E por que toda essa fama do selênio? Ele é essencial para acionar enzimas que combatem os radicais livres, responde Christine Thomson, a pesquisadora neozelandesa que investigou as propriedades da castanha. O selênio se liga a algumas proteínas já existentes em nosso corpo para formar essas enzimas antioxidantes, descreve, completando, Bárbara Cardoso. Na ausência dele, as tais enzimas fi cam sem atividade e, então, deixam de combater os radicais e ainda desguarnecem as defesas do organismo.

O mineral da castanha também teria um papel especial na proteção do cérebro. É que, com essa capacidade de acabar com a farra dos radicais livres, as células nervosas seriam preservadas, evitando o surgimento de doenças neurodegenerativas com a idade. Justamente por isso, a pesquisadora Bárbara Rita Cardoso começa a estudar os possíveis benefícios do selênio em portadores do mal de Alzheimer. A gente desconfia que nesses pacientes os radicais façam maiores estragos, diz ela.

A tireóide também funciona melhor na presença do selênio, acrescenta Christine Thomson. Isso porque, se não houver esse elemento, ela não consegue produzir direito seus célebres hormônios. O mineral também está intimamente associado à capacidade de o organismo se livrar de substâncias tóxicas, ajudando-o inclusive a expulsar possíveis metais pesados que se alojam nas células.

Dicas: a castanha-do-pará pode ser consumida in natura, como outras frutas secas, em receitas doces e salgadas, ou ainda em forma de farinha e óleo, comuns na região amazônica.
Apesar de todos os seus benefícios, ela não deve ser consumida em excesso, pois é muito calórica, composta por mais de 60% de gorduras.

Em breve estarei postando receitas com esta castanha.

Nenhum comentário: