sexta-feira, 2 de abril de 2010

Crianças Muito Ativas e Futuros Campeões Merecem Cuidados Especiais

Crianças que sonham em ser estrelas do esporte nacional, muitas delas com vista nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro, devem se preparar desde cedo.

Um bom condicionamento físico depende de uma alimentação balanceada e adequada, visando ao melhor desempenho do atleta. Para tirar dúvidas sobre o tema.


Leia mais na entrevista do Nutritotal com a nutricionista Potira Morena, especialista em Tecnologia de Alimentos e consultora no Programa Nacional de Alimentação (PNAE). A especialista revela verdades e mentiras sobre um tema muito discutido na atualidade, que merece atenção e interessa tanto aos jovens e crianças que praticam esportes, quanto pais e responsáveis. Confira.

A maioria das crianças costuma não gostar de alimentos saudáveis, como verduras e legumes. Você acha que a vontade de ser um atleta muda os hábitos alimentares?
Bons hábitos alimentares são uma questão de qualidade de vida e promoção de saúde. É algo com que os pais devem se preocupar o tempo todo, independentemente da criança sonhar em ser um atleta ou não. Alimentar-se corretamente é uma garantia que temos para uma vida de qualidade e saúde.

Como os pais podem incentivar os bons hábitos destas crianças?
A infância é a época mais fértil para construirmos bons hábitos alimentares. O que aprendemos na infância nos acompanha por toda a vida, principalmente se foi aprendido em um ambiente afetivo, lúdico e prazeroso. O alerta que fica para os pais é o fato da criança “copiar” o adulto. Por exemplo, se em casa a ofertado é de refrigerante e guloseimas em geral, como argumentar com esta criança que não são alimentos saudáveis? Não falo que vamos formar crianças sem vida social, o importante é dar o exemplo no seio familiar e formar hábitos corretos. O aprendizado começa em casa.

O que muda na alimentação de uma criança que pratica esportes?
Não existe uma fórmula padrão. Deve haver uma orientação individualizada, a fim de se respeitar todas as características da criança, quer seja fisiológicas (relacionadas a algumas restrições alimentares, ao peso, idade, sexo ou até patologias) ou de hábitos já existentes. A melhor opção é ter profissionais, como nutricionistas e educadores físicos, que acompanhem todo este processo, pois só assim todas as necessidades nutricionais poderão ser atendidas de acordo com a demanda de exercícios desta criança.

Como deve ser a hidratação da criança antes, durante e após os exercícios? Isotônicos são recomendados?
Somente com uma avaliação nutricional individual podemos optar por incluir isotônicos ou qualquer outra suplementação à dieta da criança. Como a própria demanda nutricional da criança já é grande, por todo o contexto de estar na fase de crescimento e desenvolvimento, torna-se essencial um acompanhamento do futuro atleta. Lembro, no entanto, que a hidratação deve acontecer em todas as etapas da vida e depende, também, da modalidade de exercício que a criança pratica, a fim de ter o melhor momento para esta hidratação.

Há algum tipo de alimento recomendado para ingestão antes e depois do treino físico?
Quando se fala de treino físico, a maior demanda que se tem é de energia em termos de calorias. Para um melhor balanço do gasto energético, temos os alimentos à base de carboidratos que poderão ser despendidos de maneira mais rápida para a necessidade física. As recomendações estarão dentro de todo o conjunto alimentar proposto individualmente para cada futuro atleta. Mas há algumas orientações básicas em termos de grupos de alimentos que devemos adotar para toda a vida, que são:
a. Uso preferencial de produtos in natura, favorecendo as frutas e hortaliças
b. Não uso de produtos industrializados, por conterem muita “química”, como os conservantes, por exemplo
c. Restrição de açúcar simples e de gorduras de origem animal

Existem casos em que a suplementação vitamínica é necessária? Em caso afirmativo, quais as principais carências?
Momentos necessários de suplementação podem aparecer, mas individualizados, pois temos que conhecer a realidade de saúde, hábitos e vida em geral para que as suplementações aconteçam sem risco à saúde. Como o próprio nome diz, suplementação é algo a mais que se oferece, não podendo incorrer no risco de sobrecarregar ou até mesmo “intoxicar” o organismo.

Existem maneiras de estimar o gasto energético infantil?
Existem fórmulas específicas para cálculos de requerimentos energéticos, que variam de acordo com o sexo, idade, altura e tipo de atividade física. Os fatores de multiplicação de algumas fórmulas variam entre: atividade muito leve (sentado, escrevendo), atividade leve (andando devagar, passeando de bicicleta) e atividade moderada e intensa (andando depressa, correndo, andando de bicicleta), havendo variação de requerimentos de acordo com todas as variáveis ditas acima.

Há uma idade certa para o início de atividades físicas regulares? Quais as atividades mais recomendadas em cada fase?
Uma questão a ser considerada é que atividade física também está vinculada à vida saudável. Porém, no caso da infância, a preocupação é de que o treinamento intenso em idade precoce possa alterar o desenvolvimento normal da puberdade em atletas. Daí surge a necessidade de acompanhamento de profissionais da área de saúde, com atenção às medidas e composição corporal (peso e estatura), acompanhamento cardiovascular, manutenção sexual e evidências de estresse emocional.

Uma má alimentação pode acarretar que tipos de problemas de saúde? Como isto pode interferir na vida adulta?
O conjunto de formação e desenvolvimento físico e emocional do ser humano está diretamente ligado aos hábitos alimentares e vitais. Vários pontos podem ser atingidos quando os excessos ou carências acontecem, como obesidade e doenças cardiovasculares ou emocionais. Em crianças, a preocupação é em termos de peso e altura, pois são os indicadores mais básicos. Para tanto, a ingestão de cálcio, ferro e demais nutrientes deve ser monitorada de perto, a fim da garantia de uma vida adulta saudável.

Quais as maiores fontes de energia na alimentação infantil?
As maiores fontes de energia são os carboidratos, mas não os simples, como o açúcar, e sim frutas e hortaliças. No caso de dispêndios maiores de energia, fazer uso dos pães, mas dando sempre preferência aos integrais e observando se a criança não tem intolerância ao glúten.

Há alguma dica a ser dada aos pais e aos próprios pequenos, para um bom desenvolvimento físico?
A maior dica é que seja tudo feito com muita orientação. A informação é a base do sucesso para qualquer meta de qualidade de vida. Assim, usando das informações que os profissionais da área de saúde podem nos dar de maneira individual, teremos a maior possibilidade de saúde e bem-estar. Acredito que a educação de nossos filhos é um processo em construção e que a sociedade como um todo tem atuação. Em especial, vejo o papel da família e da escola como essencial para se garantir uma alimentação saudável e uma vida cada dia melhor.

Nenhum comentário: