domingo, 27 de junho de 2010

Diferenças precoces e persistentes no nível de colesterol entre crianças saudáveis e crianças com sobrepeso

Crianças que estão com sobrepeso, correm um grande risco de terem perfis lipídicos que sinalizem para um alto risco cardiovascular, e que esse risco possa deteriorar-se com a idade de acordo com nova pesquisa apresentada no Pediatric Academic Societies Annual Meeting 2010.

O apresentador do estudo Asheley C. Skinner, professor assistente do Departamento Geral de Pediatria e Medicina Adolescente da Universidade da Carolina do Norte, na Escola de Medicina de Chapel Hill, disse à *Medscape Pediatrics* que crianças com sobrepeso apresentam um perfil lipídico pior do que as crianças com peso normal, considerados todos os componentes lipídicos em todas as idades da infância.

Mais ainda, as diferenças tornam-se piores com o avançar da idade, principalmente em torno da puberdade.

Para chegar a essa conclusão, os pesquisadores analisaram dados compilados do National Health and Nutrition Education Survey (NHANES) de 1999 a 2006.

Colesterol total, lipoproteínas de baixa densidade (LDL), lipoproteínas de alta densidade (HDL), e triglicerídeos foram mensurados em crianças e adolescentes após um período de jejum de pelo menos 8 horas.

Os participantes foram categorizados como sobrepeso com índice de massa corporal que excedia 85º percentil da porcentagem e pacientes saudáveis se o índice de massa corporal variava de 5º a 85º percentis da porcentagem.

O grupo de sobrepeso era formado por 1959 crianças de 3 a 17 anos de idade e o grupo saudável consistia de 3119 pacientes, que foram cruzados.

O grupo do Dr. Skinner construiu curvas de colesterol total, LDL, HDL e triglicerídeos de jejum, cruzando dados de meninos e meninas que estavam sobrepeso com aqueles que apresentavam peso saudável.

Em geral, todas as curvas mostraram o mesmo padrão ondulado, iniciando-se por uma elevação até atingir o pico que, dependendo do lipídio, varia em valor atual e tempo (8 a 11 anos), seguido por variações na curva e, finalmente por variações de subida naqueles de 16 e 17 anos de idade, relatou o Dr. Skinner.

Nas curvas de colesterol total, LDL, e triglicerídeos, o padrão foi similar, com lipídios elevados em crianças com sobrepeso por toda variação de idade, com as diferenças ficando mais acentuadas perto da adolescência.

A situação foi revertida nas curvas de HDL onde os níveis de colesterol bom foram consistentemente mais altos nos pacientes saudáveis, notou o Dr. Skinner.

A situação para triglicerídeos foi, particularmente dramática, com elevações precipitadas em crianças com sobrepeso, em torno de 4 anos de idade. Os níveis foram mantidos produzindo valores mais e mais altos na adolescência.

Os níveis excederam 200 mg/dL nas crianças com sobrepeso na idade em torno de 8 anos de idade e mantiveram o crescimento consistente, atingindo o pico de 250 mg/dL em torno de 16 anos de idade.

O Dr. Skinner concluiu que "esses resultados sugeriram que valores anormais de lipídios podem persistir e se acumular em crianças sobrepeso durante a sua infância”.

Embora os pesquisadores continuem a analisar os dados disponíveis, para a descoberta de fatores mais específicos, um banco de dado maior se faz necessário.

O Dr. McMurray também mostrou que os níveis de colesterol elevado em crianças obesas independem de atividade física. Ele estudou tendências semelhantes na Carolina do Norte, com um estudo mostrando que crianças obesas relatam consumir menos calorias que seus amigos que possuem peso saudável.

Autor: Brian Hoyle
Publicado em 05/13/2010

fonte: MedScape

quarta-feira, 16 de junho de 2010

Estudo Indica que Cozinhas Concentram Mais Bactérias do que Banheiros

Se você tem mania de limpeza, não leia esta matéria, ou será difícil relaxar ao jantar ou tomar banho na casa de algum amigo. Estudo realizado em nove países mostra que cerca de dois terços dos banheiros têm alto nível de contaminação por bactérias nos rejuntamentos (aquele espaço entre os azulejos, ou entre a parede e o chão).

Apesar desse dado, o trabalho revela que o banheiro não é o ambiente mais sujo da casa, como explica o virologista britânico John Oxford, professor da Escola de Medicina e Odontologia Queen Mary, da Universidade de Londres. “As pessoas têm uma preocupação natural com o banheiro, mas é na cozinha que estão as superfícies mais contaminadas”, conta o especialista, que veio ao Brasil esta semana e conversou com o UOL Ciência e Saúde.

Onde, exatamente estão os micróbios? Nos panos de prato, nas esponjas e, acredite, no interior da geladeira.

Oxford é líder do Conselho Global de Higiene (Hygiene Council), um grupo sem fim lucrativo que reúne especialistas de várias partes do mundo e que recebe recursos da Reckitt Benckiser, multinacional que detém algumas marcas de produtos de limpeza.

A pesquisa foi conduzida em nove países (África do Sul, Alemanha, Arábia Saudita, Austrália, Canadá, Estados Unidos, Índia, Malásia, Reino Unido). Em cada um, foram coletadas amostras em vinte domicílios de diferentes classes sociais e presença de crianças.

Apesar do número limitado de amostras analisadas (o grupo pretende ampliar o estudo), Oxford explica que o estudo ajuda a detectar problemas de higiene nos lares e direcionar as recomendações para o público.

Em todos os países, o rejuntamento do banheiro (também conhecido como “rejunte”) foi o campeão de sujeira. Além da E. coli, bactéria causadora de infecções intestinais, a presença de fungos também foi alta - a umidade é perfeita para esses micro-organismos, que ao serem inalados podem provocar alergias respiratórias.

Os países com pior índice de contaminação no rejuntamento do banheiro foram Índia, Malásia, Arábia Saudita, Reino Unido e Austrália, em ordem decrescente. O melhor índice foi encontrado no Canadá, onde a maior parte dos moradores afirmou usar água sanitária e/ou fungicida para limpar o banheiro.

Geladeira
A segunda área das residências com maior quantidade de micro-organismos, de acordo com a pesquisa, foi o interior da geladeira. Os exames acusaram grande quantidade de bactérias e fungos em quase metade dos lares. O problema é consequência do hábito de deixar a comida direto sobre a prateleira e também pela temperatura inadequada – ao abrir a porta com frequência, o ambiente se aquece e as bactérias e fungos se proliferam. A recomendação é limpar as superfícies pelo menos uma vez por mês.

Pano e esponja
Outra fonte de micróbios da casa é o pano de prato: os testes acusaram excesso de bactérias em 36% das amostras. Para piorar, os pesquisadores encontraram E. coli, que tem origem fecal, em 6% delas, e Staphylococcus aureus, que se prolifera na pele e nas narinas, em 5%. Isso significa que muita gente não lava as mãos corretamente e depois utiliza a toalha para enxugar os pratos, contaminando a louça e a comida.

Segundo o Hygiene Council, o ideal é trocar o pano da cozinha todos os dias e lavá-lo com água quente. O aquecimento, aliás, também é útil para lavar a louça. “Mas é uma prática que não é comum em muitos países e, além disso, o cuidado com o meio ambiente tem feito as pessoas usarem mais água fria”, comenta.

Oxford também ressalta que as pessoas devem tomar cuidado com as esponjas na cozinha. Se não for possível trocá-las com frequência, ele recomenda que elas sejam desinfetadas todos os dias após a lavagem da louça.

Gripe
Como nunca é demais lembrar, Oxford enfatiza que é preciso investir tempo, água e sabão para lavar as mãos corretamente, pelo menos ao chegar em casa, antes de comer ou cozinhar e, principalmente, após usar o banheiro.

Por fim, ele lembra que as pessoas devem dobrar os cuidados com a limpeza das mãos e das superfícies (como mesas, controles-remotos, telefones, teclado do computador etc) quando algum morador da casa estiver doente. “O vírus influenza, causador das gripes, sobrevive por cerca de duas horas nas mãos, por até 24 horas nas superfícies de plástico ou aço e até 48 horas na madeira”, ensina Oxford, que é considerado um dos maiores especialistas do mundo em gripe suína, ou H1N1.

Pelo que mostram os estudos, as pessoas ficam mais doentes por problemas de higiene do que se imagina. Mas, para ele, não se trata de desleixo, apenas de não limpar as mãos e a casa da forma mais adequada. “Aparência nem sempre é garantia de limpeza.”

Tatiana Pronin

terça-feira, 15 de junho de 2010

Biscotinhos Crocantes sem Glúten e sem Leite

Ingredientes
90g de açúcar
60g de farinha de arroz
80g de polvilho doce
100g de amido de milho
60g de côco ralado em pacote (de preferência para o que vem úmido)
160g de creme vegetal (margarina, sem leite)
15g de fermento em pó
20 gotas de baunilha

Preparo
Juntar todos os ingredientes numa tigela. Misturar um pouco com uma colher e depois misturar com a mão. Amassar até formar uma massa úmida e macia.

Abrir a massa aos poucos com as mãos ou com o auxílio de um rolo. Usar cortadores para cortar a massa. Pode também modelar com as mãos em bolinhas ou meias-luas.

Observações Importantes
Se modelar ou cortar em pequenos formatos, deixar no forno somente por 7 ou 8 minutos. Caso faça meias-luas ou bolinhas simples ou achatadas, deixar no forno por 15 ou 17 minutos.
Nos pequenos e mais finos formatos, o cozimento se processa mais rápido e nos maiores e mais espessos, o processo é mais lento.
A massa é delicada e cortar com cortadores muito grandes pode quebrar.
Se a forma for de teflon, não é necessário untá-la. Outro tipo de forma deve ser untada levemente com margarina e enfarinhada com farinha de arroz.
O forno deve ser previamente aquecido em temperatura de 250graus por 10 minutos e quando colocar os biscoitinhos, abaixe para 180graus.
Mantenha um relógio de cozinha ligado para anunciar o tempo de conclusão do cozimento. Caso verifique que ainda está branco embaixo, deixe mais um ou dois minutos. Vai depender do forno de cada pessoa.
O biscoito deve ficar levemente dourado por baixo e branquinho por cima
Retire da forma somente quando estiverem mornos para não quebrarem. Guardar em lata ou vidro bem fechado para não amolecer.


sábado, 12 de junho de 2010

Reações Violentas

Está se tornando algo comum as pessoas reagirem com violência ao mal que lhes acontece, ou àquilo que está em desacordo com os seus desejos.

Exatamente como a criança indisciplinada reage, gritando, jogando coisas quando suas vontades não são atendidas, as pessoas estão se permitindo agredir, revidar.
Quando o trânsito está lento há os que xingam a administração pública que não planeja vias melhores para o escoamento rápido dos veículos.
Se a loja informa que o artigo em oferta acabou, há os que se acham no direito de agredir os funcionários, acusando-os de propaganda enganosa.
Se o caixa se engana no troco, logo se afirma que ele é um indivíduo desonesto, desejando engordar o próprio salário.
Se a empregada pede para sair um pouco mais cedo, dizendo que deve levar o filho ao médico, logo alguém diz que ela não deseja trabalhar, que está inventando mentiras.
Se alguém esbarra em outra pessoa na rua, de imediato gritam alguns que o sujeito é mal educado, malcriado. Um abuso!

Em síntese, estamos vivendo uma época de muita agressividade. E nos queixamos da violência que toma conta das ruas, sem atentarmos que nós mesmos, muitas vezes, também agimos com violência.

Conta-se que um grande militar, desejando se espiritualizar, escolheu um sábio religioso e lhe perguntou:
- Onde começa o inferno?
O pensador experiente meditou e falou:
- Por que um homem sem escrúpulos deseja saber onde começa o inferno? Cheio de armas destruidoras de vida, acerca-se de mim para perguntas tolas. O que espera que lhe diga, eu, que sou um homem de paz e justiça?
Antes que continuasse, o militar o interrompeu, levantando a espada e exigindo, cheio de raiva, que o sábio o respeitasse.
Sem qualquer receio, o homem velho esclareceu:
- Aqui começa o inferno: na raiva descontrolada.
O guerreiro compreendeu e num gesto rápido, tornou a colocar na bainha a espada, pedindo desculpas.
O sábio então o esclareceu:
- Homem, nesse seu gesto começa o céu.

***

A raiva pode ser comparada a uma faísca portadora do poder de atear grandes incêndios. Basta uma palavra mal pensada, um gesto imprevisto para a gerar.
Quando solta, desencadeia conflitos inúteis e destruidores.
O homem que alimenta a raiva e se deixa dominar por ela, se torna bruto e violento.
Os antídotos para a raiva são a humildade que leva o indivíduo a reconhecer a própria fragilidade; a paciência, que lhe permite acompanhar o desenvolvimento da questão; a tolerância que entende a dificuldade alheia; enfim, o amor que é abençoada luz em todas as circunstâncias.

Grão-de-bico - Pouco Popular mas Cheio de Virtudes

Pouco popular no nosso prato, o Grão-de-Bico ganhou destaque na mídia nas últimas semanas, isso porque recentes estudos realizados exaltaram as qualidades dos nutrientes encontrados nele.

Mesmo com custo elevado em relação aos outros membros da família das leguminosas, como o feijão, a lentilha e a ervilha, o Grão-de-Bico é saboroso, versátil e vale o investimento. Pesquisas realizadas no Embrapa (Empresa Brasileira dedicada ao estudo e ao desenvolvimento agropecuário) e na USP de Piracicaba, destacaram as excelentes qualidades nutricionais desta leguminosa:

O grão de bico é uma ótima fonte de ferro biodisponível, ou seja, este mineral mesmo em quantidades menores, do que quando comparado a outros minerais presentes, é muito bem aproveitado pelo nosso organismo. Além disso, os carboidratos presentes neste grão, são digeridos e absorvidos lentamente, sendo portanto uma boa opção para compor a alimentação de diabéticos. O grão de bico também é uma boa fonte de zinco, potássio, cálcio e magnésio, é rico em fibras e também possui ácido fólico, indispensável na alimentação de mulheres grávidas, além de regular o intestino. Agora, o grande destaque deste alimento, fica por conta das proteínas. Com alto teor protéico e combinação de aminoácidos, o Grão-de-Bico é rico em TRIPTOFANO. Este aminoácido é usada pelo organismo para a produção de um neurotransmissor chamado serotonina, responsável pela sensação de bem-estar, satisfação e confiança.

Macarrão com Grão de Bico

Ingredientes:
250 gr de macarrão integral;

200 gr de filé de frango em tiras;

1 unidade de cebola picada;

3 unidade(s) de tomate sem pele(s), sem sementes;

1 xícara (chá) de grão-de-bico cozido;

1 unidade de cenoura em tiras;

1 copo de iogurte desnatado;

1 xícara (chá) de agrião;

quanto baste de ervas frescas;

quanto baste de castanha-do-pará;

2 colheres (sopa) de parmesão ralado.

Modo de Preparo:

Refogue o frango em uma panela antiaderente até ficar sequinho. Junte a cebola, o tomate, o grão-de-bico e a cenoura. Junte o macarrão e deixe cozinhar, mexendo sempre e adicionando água se necessário. Quando estiver praticamente seco, junte o agrião e as ervas. Misture o iogurte ao macarrão. Retire, misture e coloque em uma travessa. Salpique com a castanha-do- pará e o queijo parmesão. Sirva a seguir.

Rendimento: 6 porções

Fonte: Equipa da Clínica de Nutrição Especializada Evie Mandelbaum

Dez Coisas que Você Precisa Saber Sobre Anormalidades do Colesterol e suas Frações

As dislipidemias são anormalidades do colesterol total e suas frações. O colesterol total é composto de 3 frações: LDL colesterol (colesterol "ruim", que favorece o depósito de gordura nas artérias), HDL colesterol (colesterol "bom", que evita o depósito de gordura nas artérias) e os triglicerídeos.

Confira, abaixo, as 10 coisas que você precisa saber sobre as dislipidemias:

1- Nos dias atuais – onde predominam o sedentarismo; alimentação rica e abundante em gordura e açúcar livre; a obesidade; o estresse; e o tabagismo – os estudos têm mostrado que as placas de gordura nas artérias (aterosclerose) começam muito cedo. A estimativa é a de que, aos 20 anos, cerca de 20% das pessoas estarão afetadas de alguma forma. Assim, os eventos finais deste processo, infarto do miocárdio e derrame cerebral, são as maiores causas de mortalidade.

2- O risco de aterosclerose coronariana aumenta, significativamente, em pessoas com níveis de colesterol total e LDL colesterol (colesterol "ruim") acima dos patamares da normalidade. Para o colesterol HDL (colesterol "bom"), a relação é inversa: quanto mais elevado seu valor, menor o risco.

3- Níveis de colesterol HDL maiores do que 60 mg/dL caracterizam um fator protetor. Já os níveis de triglicérides maiores do que 150 mg/dL elevam o risco de doença aterosclerótica coronariana (obstrução das artérias do coração por placas de gordura).

4- Algumas formas de dislipidemia, como a elevação excessiva dos triglicerídeos, também podem predispor à pancreatite aguda (inflamação aguda do pâncreas).

5- Existem as dislipidemias primárias e as secundárias. As primárias são de causa genética.

6- As dislipidemias secundárias podem ser provenientes de outros quadros patológicos, como o diabetes, hipotireoidismo e insuficiência renal crônica, mas também podem ser originadas por medicamentos: diuréticos, betabloqueadores e corticosteróides. Outras situações como o alcoolismo e uso de altas doses de anabolizantes também poderão ocasionar as dislipidemias secundárias.

7- O diagnóstico das dislipidemias é feito, laboratorialmente, medindo-se os níveis plasmáticos de colesterol total, LDL, HDL e triglicérideos. É necessário um jejum de 12 até 14 horas para realizar o exame.

8- A obesidade tem influência significativa no metabolismo das gorduras e deve ser encarada como importante fator na sua interpretação e tratamento.

9- Pessoas com diabetes tipo 2 têm maior prevalência de alterações do metabolismo dos lipídios. Assim, o tratamento da dislipidemia nesses pacientes pode reduzir a incidência de eventos coronários fatais, entre outras manifetações de morbimortalidade cardiovascular. Em geral, todo diabético deve tomar uma medicação para combater o colesterol, chamada de vastatina.

10- Uma dieta hipocalórica, pobre em gorduras saturadas e colesterol, é fundamental para o tratamento da dislipidemia. A atividade física moderada, realizada durante 30 minutos, pelo menos quatro vezes por semana, auxilia na perda de peso e na redução dos níveis de colesterol e triglicérides. Mesmo assim, em grande parte dos casos, será necessário a administração de medicamentos.

Fonte: SBEM-Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia.

Principais Características Clínicas do Diabetes Mellitus dos Tipos 1 e 2

Diabetes mellitus do tipo 1
O diabetes tipo 1 (DM1) é uma doença autoimune caracterizada pela destruição das células beta produtoras de insulina. Isso acontece por engano porque o organismo as identifica como corpos estranhos. A sua ação é uma resposta autoimune. Este tipo de reação também ocorre em outras doenças, como esclerose múltipla, lupus e doenças da tireoide.

A DM1 surge quando o organismo deixa de produzir insulina (ou produz apenas uma quantidade muito pequena.) Quando isso acontece, é preciso tomar insulina para viver e se manter saudável. As pessoas precisam de injeções diárias de insulina para regularizar o metabolismo do açúcar. Pois, sem insulina, a glicose não consegue chegar até às células, que precisam dela para queimar e transformá-la em energia. As altas taxas de glicose acumulada no sangue, com o passar do tempo, podem afetar os olhos, rins, nervos ou coração.

A maioria das pessoas com DM1 desenvolve grandes quantidades de autoanticorpos, que circulam na corrente sanguínea algum tempo antes da doença ser diagnosticada. Os anticorpos são proteínas geradas no organismo para destruir germes ou vírus. Autoanticorpos são anticorpos com “mau comportamento” , ou seja, eles atacam os próprios tecidos do corpo de uma pessoa. Nos casos de DM1, os autoanticorpos podem atacar as células que a produzem.

Não se sabe ao certo por que as pessoas desenvolvem o DM1. Sabe-se que há casos em que algumas pessoas nascem com genes que as predispõem à doença. Mas outras têm os mesmos genes e não têm diabetes. Pode ser algo próprio do organismo, ou uma causa externa, como por exemplo, uma perda emocional. Ou também alguma agressão por determinados tipos de vírus. Outro dado é que, no geral, é mais frequente em pessoas com menos de 35 anos, mas vale lembrar que ela pode surgir em qualquer idade.O DM1 responde por menos de 10% dos casos de diabetes mellitus.

Sintomas:
Pessoas com níveis altos ou mal controlados de glicose no sangue podem apresentar:
- Vontade de urinar diversas vezes;
- Fome frequente;
- Sede constante;
- Perda de peso;
- Fraqueza;
- Fadiga;
- Nervosismo;
- Mudanças de humor;
- Náuseas;
- Vômitos.

Diabetes melitus do tipo 2
Sabe-se que o diabetes do tipo 2 possui um fator hereditário maior do que no tipo 1. Além disso, há uma grande relação com a obesidade e o sedentarismo. Estima-se que 60% a 90% dos portadores da doença sejam obesos. A incidência é maior após os 40 anos.

Uma de suas peculiaridades é a contínua produção de insulina pelo pâncreas. O problema está na incapacidade de absorção das células musculares e adiposas. Por muitas razões, suas células não conseguem metabolizar a glicose suficiente da corrente sangüínea. Esta é uma anormalidade chamada de "resistência insulínica".

O diabetes tipo 2 é cerca de 10 vezes mais comum que o tipo 1 e pode responder ao tratamento com dieta e exercício físico. Outras vezes vai necessitar de medicamentos orais e, por fim, a combinação destes com a insulina.

Sintomas:
- Infecções frequentes;
- Alteração visual (visão embaçada);
- Dificuldade na cicatrização de feridas;
- Formigamento nos pés;
- Furunculose.

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes.

Temperar a Carne com Alecrim Pode Reduzir seu Potencial Cancerígeno

O alecrim (Rosmarinus officinalis) é um arbusto comum na região do Mediterrâneo ocorrendo dos 0 a 1500 m de altitude, preferencialmente em solos de origem calcária. Devido ao seu aroma característico, os romanos designavam-no como rosmarinus, que em latim significa orvalho do mar.

Acrescentar alguns temperos, como o alecrim e o açafrão, antes de preparar carnes vermelhas pode ajudar a reduzir os riscos de câncer associados ao consumo desses alimentos, segundo estudo da Universidade do Estado do Kansas, nos Estados Unidos. De acordo com especialistas, temperos como a cúrcuma têm grande quantidade de antioxidantes que ajudam a prevenir a formação de aminas heterocíclicas - compostos cancerígenos que são produzidos quando as carnes são grelhadas, assadas ou fritas.

Em testes em laboratório, os cientistas observaram que a cúrcuma, o alecrim e um tempero chinês retirado de um tubérculo parecido com o gengibre (fingerroot) reduziam em mais de 40% a produção dessas aminas, reduzindo significativamente os riscos associados ao composto, incluindo de câncer colorretal, de estômago, de pulmão, pancreático, de mama e de próstata. E o maior efeito protetor contra a produção dessa amina foi observado no alecrim.

“As carnes de boi assadas tendem a desenvolver mais HCA (aminas heterocíclicas) do que outros tipos de carnes assadas, como porco e frango”, destacou o pesquisador J. Scott Smith. Entretanto, de acordo com o especialista, se os consumidores usarem temperos como o alecrim no preparo dos bifes, pode inibir de 61% a 79% a ação do composto associado ao câncer, principalmente em altas temperaturas, quando aumenta a produção do HCA.

Os pesquisadores planejam, agora, a realização de mais pesquisas para avaliar quais “marinados” e pós podem também reduzir a produção das aminas heterocíclicas. E outras pesquisas devem ser realizadas para confirmar se as carnes marinadas com ervas e pimentas podem efetivamente ser de menor potencial cancerígeno.

Fonte: Food Safety Consortium.

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Torta de Palmito (Falso)

Ingredientes da Massa
2 xícaras (chá) de leite
2 xícaras (chá) de farinha de trigo
3 ovos
1 xícara (chá) de óleo
50 gramas de queijo ralado
1 colher (sopa) de fermento em pó


Ingredientes do Recheio
2 colheres (sopa) de margarina
1 cebola média picada
1 dente de alho picado
1 pimentão verde picado
2 tabletes de caldo de carne
1 Kg de casca de mandioca (só a parte branca) ou mandioca descascada e cozida.
cheiro verde a gosto

Modo de preparo
Recheio: Refogue na margarina a cebola, o alho, o pimentão e o caldo de carne, coloque a casca de mandioca e refogue até ficar macia. Reserve.
Massa: Coloque os ingredientes no liquidificador e bata até formar um creme.
Unte uma forma média e coloque a massa, o recheio e leve ao forno médio por cerca de 40 a 45 minutos.

Instituição social: Lar Madre Regina
Associação Congregação de Santa Catarina
Autora: Maria da Conceição de Jesus
MesaBrasil (SESC-SP)

Mitos e Verdades

Segue uma lista para aqueles que estão sempre se perguntando se...

...Abacaxi queima gordura
Mito Nenhum alimento queima caloria, o que queima é fazer exercício. Isso do abacaxi é a teoria do 'em vez de': se para a sobremesa você tiver duas opções, uma torta e uma fatia de abacaxi, e escolher o abacaxi e depois notar que está emagrecendo, isso aconteceu porque a torta obviamente é mais calórica, e não porque o abacaxi é milagroso.

...O que é diet não engorda
Mito Alimento diet é aquele que algum nutriente não está presente, por exemplo, não contém açúcar. Se a retirada do açúcar não for compensada com outra substância, terá menos calorias. Porém, se você comer uma quantidade muito maior da versão diet do que você comeria do produto normal, vai dar na mesma. Portanto, chocolate diet engorda, sim, tanto quanto o chocolate normal, porque eles têm praticamente a mesma quantidade de calorias. O chocolate diet é feito para diabéticos e não para quem quer emagrecer, a diferença então é que o diet não tem açúcar.

...Mel engorda menos que açúcar
Mito Uma quantidade de mel tem o mesmo número de calorias que a mesma quantidade de açúcar. Como medimos o que engorda através das calorias, os dois engordam igual.

...Suco de fruta não engorda
Mito – A única coisa que não engorda é água. A fruta tem uma quantidade natural de açúcar que é transferida para o suco. Se você diluir o suco ou usar uma quantidade menor para fazer o suco do que o pedaço de fruta que você comeria, vai ter menos açúcar. O suco que engorda menos é o de limão e o que mais engorda é o de laranja. Suco de laranja engorda tanto quanto um refrigerante (100 ml de suco de laranja não adoçado e 100 ml de refrigerante têm 40 calorias). Apesar dos dois 'engordarem' igual, o suco é mais saudável porque o refrigerante, além de ser composto praticamente de açúcar, tem muitos corantes, conservantes, aromatizantes e outros aditivos que não devem ser consumidos em excesso.

...Beber bastante água emagrece. De 2 a 3 litros de água por dia ajuda a prevenir celulite
Mito – Para emagrecer você precisaria beber MUITA água, e gelada. Você bebe a água gelada e faz xixi quente: essa mudança de temperatura consome energia, portanto queima calorias... Mas pouca: 1 miléssimo de caloria por grama, 1 caloria por litro. É preciso beber muito para funcionar. Água melhora a circulação, mas celulite é uma disposição genética de causa não totalmente conhecida, e que alguns fatores podem ajudar a ter menos. A hidratação da pele, por exemplo, é um fator. Nesse sentido, beber água pode ajudar, mas quem tiver tendência genética pode ter celulite, bebendo água ou não. O exercício ajuda a prevenir mais do que a água.

...Bebidas alcoólicas engordam
Verdade –
São 7 calorias por grama de álcool. Bebidas alcoólicas são fontes de energia (isto é, caloria), e você não tem como armazenar álcool. Se você come carboidrato pode armazenar um pouco na forma de glicogênio no músculo. Se você come proteína pode armazenar um pouco na forma de proteína muscular, se você come gordura, armazena gordura, mas se você ingere álcool, não. Por exemplo, se você tomar 1 litro de álcool (7.000 calorias), como você não tem onde armazenar álcool no corpo, essas calorias se transformarão em uma reserva de gordura, sempre. Isso explica o fato de um copo de chope provocar mais barriga do que um copo de suco de laranja, que tem praticamente o mesmo número de calorias. Quanto maior o teor alcoólico da bebida, mais calorias ela terá. E não devemos esquecer que o álcool, além de se transformar em gordura, vicia.

...Uma dieta que elimina totalmente o carboidrato emagrece
Verdade
Emagrece rápido, mas por um prazo muito curto. Toda dieta que elimina totalmente um elemento, seja proteína, gordura ou carboidrato, induz ao emagrecimento rápido. Para quem precisa perder 1 ou 2 quilos num prazo curto, funciona. Mas como tratamento para emagrecer não é aconselhável, porque dietas desequilibradas sempre têm conseqüências metabólicas. Primeiro, porque não induz a uma perda de peso sustentável. Segundo, porque se você fizer por muito tempo vai acabar enfraquecendo por falta de algum nutriente. Esse emagrecimento inicial rápido é resultado de desequilíbrio metabólico. A longo prazo esse tipo de dieta não funciona, e não é recomendado manter o metabolismo em desequlíbrio, comprometendo a saúde.

...Carboidrato à noite engorda
Mito
Engordar depende da quantidade de calorias ingeridas, do gasto de energia e não do relógio. O que importa, do ponto de vista do tipo de alimento, é o total de calorias ingeridas, pouco importa se antes de dormir, de tarde, de dia. A diferença é a eficiência para gastar essa energia que chega ao corpo.

...Comer antes de dormir faz mal
Mito
Ficar deitado não é a melhor posição para fazer a digestão, que fica mais difícil. O ideal seria comer e fazer uma caminhada de meia hora ou 40 minutos, e esperar o estômago esvaziar pelo menos em parte antes de deitar. Assim você evita o refluxo e dorme tranqüila.

...Frango é sempre melhor para quem está de regime
Mito
A carne de frango é indicada para quem está de dieta para emagrecer se for, por exemplo, peito de frango preparado sem muito óleo e sem pele. Assim, terá pouca gordura e, conseqüentemente, menos calorias. O peixe tem carne ótima, magra. Filé mignon também é uma carne magra, e seria equivalente ao frango sem pele, do ponto de vista calórico. Frango à passarinho engorda mais do que filé mignon grelhado e, de todos, o melhor é o peixe, se não for frito.

...A combinação de arroz e feijão não engorda
Mito
Mas essa é uma boa combinação pelos aminoácidos que contém. Aminoácidos são frações das proteínas. Se você come uma certa quantidade de arroz e uma certa quantidade de feijão e substitui essa combinação só por feijão pode até fazer um pouco de diferença: o feijão tem menos caloria do que o arroz (100 g de arroz cozido = 164 calorias e 100 g de feijão cozido = 70 calorias). Feijão e outras leguminosas devem fazer parte da dieta, pois têm muita fibra e vitaminas.

...A cenoura ajuda a manter o bronzeado
Mito
Se você não tiver nada de caroteno no organismo, a cenoura pode até te ajudar, um pouquinho. Quem tem problemas de tireóide metaboliza muito lentamente o caroteno que se deposita na pele, tornando-a amarelada. Quem come exageradamente cenoura pode ficar amarelo, o que é diferente de ficar bronzeado.

...Gema de ovo em excesso eleva o colesterol
Verdade –
A gema de ovo é super-rica em gordura. E, como é derivado animal, ovo tem colesterol. A clara é só proteína. Na verdade, a proteína necessária para uma dieta saudável não é uma coisa exorbitante. Dois bifes ou um copo de leite por dia já são suficientes. Se você come proteína demais, ela vira gordura. A gema de ovo pode ser prejudicial para quem tem colesterol alto ou tendência por ser rica em gorduras.

...Suco de laranja com berinjela emagrece e combate o colesterol
Verdade –
E não apenas a laranja e berinjela, mas todos os legumes e frutas ajudam a diminuir a absorção de gordura e colesterol dos alimentos. Porém, não o suficiente para substituir e dispensar os remédios.

...Gelatina fortalece as unhas
Mito
A origem do mito é a seguinte: suponha que você está com falta EXTREMA de proteínas - o que não é comum -, sobrevivendo só à base de frutas, por exemplo (que têm vitaminas, mas pouquíssima proteína; menos de 1%). Como o organismo é capaz de se adaptar, ele não vai gastar reservas para manter o cabelo vistoso e as unhas fortes. Dará preferência à manutenção do coração e do cérebro. Se nesse caso extremo você toma um 'choque' de proteína, chupando tutano, por exemplo, as unhas podem melhorar. Mas, em situações normais, comer gelatina (que é proteína) não tem efeito significativo.

...É melhor fazer seis pequenas refeições do que apenas uma, reforçada
Verdade
Se você ingere 1.000 calorias de uma vez e fica sem comer o dia todo, a tendência é ganhar mais peso e guardar mais energia do que se distribuísse a mesma quantidade de calorias ao longo do dia. Depois de um período muito longo de jejum, seu corpo 'deduz' que não há comida disponível e lança mão de mecanismos para que você funcione com um desperdício mínimo de energia. Por exemplo, o organismo esfria um pouco a sua pele, para você não perder calor para o ambiente. Depois de oito horas de jejum, você estará com os mecanismos de economia de energia no máximo, isto é, queimando poucas calorias. Se você oferece as mesmas calorias de forma racional, o corpo não vê a necessidade de desacelerar o metabolismo e economizar. Você vai 'queimar' mais eficientemente o que ingerir, não passa fome e pode perder peso.

...Água com gás e refrigerante causam celulite
Mito
Água com gás não tem caloria, nem gordura. Água tônica diet e refrigerante diet também não. O que causa celulite é a predisposição genética. Na verdade, o ingrediente 'bandido' dos refrigerantes é o açúcar e não o gás.

...Margarina é sempre melhor do que manteiga para a saúde
Mito –
Apenas os alimentos de origem animal têm colesterol, e a margarina não é. Ela contém a gordura chamada 'ácidos graxos trans', que pode ser tão prejudicial quanto a gordura saturada ou o colesterol. Não se sabe se é pior comer manteiga ou margarina. Use o bom senso: coma pouco das duas.

...Amendoim e chocolate causam espinhas
Mito –
Não é comum ver senhoras de meia-idade com espinhas porque comeram muito chocolate e amendoim. Acontece que dietas ricas em gordura favorecem o aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Amendoim e chocolate são alimentos gordurosos, mas não são eles a causa de espinhas.

...Chocolate vicia e é afrodisíaco
Mito–
O chocolate, como todos os doces, causa bem-estar. Há quem diga que o chocolate tem uma substância que, em quantidades gigantescas, produz efeito similar ao da anfetamina. As circunstâncias e as companhias são mais afrodisíacas do que as comidas. Ostras com champanha, boa música, ótima companhia: é difícil medir em laboratório qual das variáveis teve efeito afrodisíaco.

...Beber qualquer líquido durante a refeição dá barriga e atrapalha a digestão
Mito
Isso é história da década de 30, quando, ao descobrir as papilas gustativas e que elas eram responsáveis pela sensação de gosto, se deduziu que delas vinha a sensação de saciedade. O raciocínio era: já que a papila 'sente' o salgado, doce, amargo, azedo, se você beber água durante a refeição 'lavará' a papila, diminuindo o contato dela com o alimento. Isso, teoricamente, faria diminuir a sensação de saciedade e portanto você comeria mais. E engordaria. Hoje já se sabe que a papila gustativa não tem nada a ver com a saciedade. Beber 1 litro de água durante a refeição vai fazer você sentir-se mal e vai retardar a digestão. Numa refeição habitual, o fato de você beber água com moderação não provoca barriga, não engorda nem atrapalha a digestão. A não ser que você parta para o exagero à beira do bizarro: existe uma condição chamada intoxicação aquosa. Você pode correr esse risco se tomar mais de 18 litros de água em um dia.

...Beber água durante a refeição dilui sucos gástricos
Mito
Há um sistema de transporte de água na parede do aparelho digestivo: se você beber muita água, muita água é absorvida. Se beber pouca, e portanto houver pouca água disponível no sistema, o corpo compensa 'jogando' água para dentro de você. É essa a causa da diarréia e da desidratação. O corpo só absorve o alimento numa condição de isotonicidade. Isto é, quando a concentração das partículas das substâncias que estão no sistema digestivo está numa proporção mais ou menos semelhante às partículas que estão no sangue: o que estiver muito diluído ou muito concentrado não é absorvido até que as concentrações se aproximem.

...Chá de alho cura gripe
Mito
Nenhum chá cura gripe. Chá hidrata, a hidratação torna a secreção mais fluida e facilita a expectoração. Tomando chá a pessoa se sente mais confortável.

...Tomar chá ou café à noite tira o sono. Chá acalma
Mito
Depende da quantidade e do hábito da pessoa. Quem está acostumado a tomar café não perde o sono, quem não está acostumado fica superestimulado. Chá de camomila, erva-doce e outros chás brancos são os melhores para acalmar. Chá-mate e os chamados chás pretos provocam efeito parecido com o da cafeína, portanto não acalmam. Já o açúcar aumenta a produção de serotonina no cérebro, e acalma.

...Carne vermelha e de porco sempre fazem mal à saúde
Mito
Depende da carne. Se você comparar lombo de porco magro, assado, e frango frito com pele, o lombo de porco é melhor. A carne vermelha em geral tem mais gordura do que a de peixe. Mas é só comer com moderação e variar o tipo de carne da dieta.

...Quem tem problemas gástricos deve tomar leite em vez de suco de laranja
Verdade –
O leite pode ser bom em pequenas quantidades. Em excesso, pode piorar o problema, já que demora para ser digerido. Quando a proteína do leite fica muito tempo no estômago, mais ácido clorídrico é liberado para fazer a digestão. Como o leite é alcalino, num primeiro momento pode aliviar, neutralizando o ácido; mas não cura. Quem está bebendo muito leite para curar gastrite deve procurar o médico. Existe remédio para esse problema. Já o suco de laranja não piora a gastrite, porque é bem menos ácido do que o ácido clorídrico do estômago. O ácido da laranja é muito fraco e acaba até funcionando como uma substância alcalina, porque você mistura um ácido forte com um ácido fraco e diminui a acidez. O que pode fazer mal é o excesso do suco de laranja ou de leite.

...Leite é indicado para desintoxicação
Verdade
O leite tem muita proteína e muitas das drogas venenosas têm ligação protéica, isto é, são capazes de se ligar à proteína. A proteína do leite retardará a absorção do veneno; mas é claro que o veneno ainda estará no corpo.

...Mamão e ameixa soltam o intestino
Verdade
Frutas tem muitas fibras e são as fibras que fazem o instestino funcionar. Se você comer um prato de salada, om efeito será o mesmo, já que as folhas tembém têm fibras.

...Alface e maracujá são calmantes
Sobre a alface é Mito. A alface é praticamente água. Sobre o maracujá, é Verdade. O maracujá contém substância calmante. Mas você precisaria comer muito maracujá para ingerir a substância em quantidade suficiente para se acalmar. Um suquinho de maracujá não acalma, é psicológico. O açúcar sim, acalma: aumenta a produção de serotonina no cérebro.

Mazel Tov...מזל טוב