domingo, 8 de agosto de 2010

Universo Masculino...Uma Abordagem sobre a Anorexia


De tempos em tempos, posto aqui algo sobre anorexia. Acho relevante tratar do assunto porque a cada dia o número de casos aumenta mais, e agora, com um agravante, tem crescido entre homens. E, pensando no "universo masculino", que hoje venho tratar do assunto mais uma vez.

Ela age silenciosamente, mas os danos que provocam ao organismo são intensos. Distúrbio alimentar grave, a anorexia traz sérias complicações ao organismo quando não é tratada a tempo. A doença pode comprometer diversas funções vitais, tais como o funcionamento do intestino e do estômago, anemia, problemas cardíacos e, em casos mais graves, pode levar à morte. “As consequências da anorexia nervosa no organismo dependem dos meios que o paciente usa para alcançar seu objetivo de perder peso. Se a pessoa toma muito laxante, terá problemas no intestino ou se faz exercícios em excesso, pode perder massa muscular. Tudo vai depender de como ela faz para eliminar a gordura que acredita ter“, explica Adriano Segal, Diretor de Psiquiatria de Transtorno Alimentar da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica (Abeso).

Mas se engana quem pensa que o problema atinge apenas as mulheres. Embora seja mais comum entre elas, cresce o número de casos de homens com anorexia. O Ambulatório de Transtornos Alimentares (Ambulim), do Hospital das Clínicas (São Paulo), recebe 25 novos casos de homens por mês e cerca de 70 de mulheres. Desses homens, 50% tiveram problemas de obesidade na infância. A maior incidência da anorexia em homens ocorre entre 14 e 18 anos e os sintomas são muito semelhantes aos que acometem as mulheres. “Os sintomas da doença em homens e mulheres são basicamente os mesmos“, explica Roberto Barcellos Betti, endocrinologista do Hospital Oswaldo Cruz.

Segundo Adriano Segal, a cada 10 pacientes anoréxicos, um é homem. Porém, apesar deste número ser considerado pequeno, a situação é preocupante, pois a doença – diagnosticada quando a pessoa está com um IMC (Índice de Massa Corpórea) inferior a 15 – leva a óbito cerca de 10% das pessoas que a possuem. “Como é uma doença, em geral, relacionada às mulheres, alguns homens têm dificuldade em aceitar e assumir que estão passando pelo problema, mas isso não é uma regra. É uma questão cultural também“, explica Adriano.

A questão da estética não é a principal causa da doença e sim um fator desencadeante.

A falta de alimentação é um problema para qualquer organismo. O corpo fica sem combustível para executar suas atividades. “A diferença é que nas mulheres há a ausência do ciclo menstrual em função da desnutrição e nos homens isso não acontece“, explica Adriano.

Causas
As causas ainda são desconhecidas. “Acredita-se que a anorexia nervosa é motivada por fatores genéticos associados a fatores como pressão social, problemas emocionais e motivações estéticas“, explica Adriano Segal. “Porém, deve-se frisar que a questão da estética, ao contrário do que se divulga, não é a principal causa da doença e sim um fator desencadeante em pessoas com pré- disposição genética ou outros problemas emocionais“, alerta ele.

Por que a doença atinge mais os jovens?
Cerca de 90% dos casos de anorexia atingem os adolescentes. “Normalmente, são jovens que têm um histórico de obesidade, de baixa auto-estima, timidez ou sofrem algum tipo de repressão de pais e familiares“, diz o diretor de psiquiatria da Abeso.

“Os jovens são mais suscetíveis às pressões externas e se sentem na obrigação de agradar. Como vivemos em um a sociedade que valoriza a estética, o corpo faz toda a diferença na hora de se relacionar socialmente, daí o aumento do número de casos“, alerta Roberto Barcellos Betti. “Além disso, é nesta fase da vida que os conflitos emocionais se manifestam com maior intensidade, contribuindo para o desenvolvimento da doença“, continua.

Ele chegou a pesar 25 kg em dois meses O ator Fabrizio Lopes, 23 anos, que chegou a perder 25 quilos em dois meses, após um regime feito por conta própria, foi uma vítima da anorexia. “Sabe aquela coisa de preciso ser magro para agradar a todos? Era assim que eu me sentia quando ouvia as piadas no almoço de domingo“, conta.

Gordinho desde a infância, Fabrizio conta que nunca quis seguir o padrão “sou magro”, mas as pressões dos amigos e familiares o levaram a começar o regime. “Eu não queria engordar e vomitava tudo o que comia, fiz isso por dois anos. E ainda usava laxantes e diuréticos. Melhorei quando comecei a namorar, porque daí tive que readaptar minha rotina a uma outra pessoa e não dava para continuar do jeito que eu estava“, finaliza Fabrizio.

Fabrizio se encaixava no perfil dos homens que apresentam a doença. “No início ou meio da adolescência, o jovem começa a fazer algum tipo de dieta e emagrece muito. Depois, começa a ter um comportamento obsessivo com sua alimentação. Daí vem a imagem distorcida de seu próprio corpo e a vontade incessante de se manter cada vez mais magro, que o impede de perceber a gravidade do problema“, explica Adriano.

Anorexia x bulimia
Outro distúrbio que está associado à anorexia é a bulimia. Apesar de não ser tão grave quanto a anorexia, a bulimia também é um preocupante transtorno alimentar que vêm atingindo os homens. Caracterizado pelos vômitos após as refeições e pela alternância entre dias de comilança e dias sem comer nada para compensar os excessos dos dias anteriores, a bulimia pode provocar um tipo de anorexia mais difícil de ser detectada já que há períodos em que o paciente consome alimentos. “A doença pode desencadear um quadro anoréxico e um paciente pode ter os dois distúrbios ao mesmo tempo, mas isso não é uma particularidade da anorexia em homens“, diz o especialista da Abeso.

Tratamento
Para Adriano, o tratamento é complexo, mas, em linhas gerais, tem bom resultado e a maioria consegue se livrar do problema sem grandes sequelas. O médico ainda aconselha aos familiares e doentes a procurarem ajuda para se orientarem sobre o tratamento, que é multidisciplinar, pois necessita de psiquiatra, nutricionista e clínico geral.

Ele acredita ainda que é fundamental para a superação da doença trabalhar a autoestima e recuperar o peso normal: “quando a paciente está fora do peso, não processa direito informações e tende a diminuir sua percepção das coisas. Recuperar o peso e a autoestima é fundamental para salvar estes pacientes“, finaliza Adriano Segal.

Um comentário:

Rosana Arruda disse...

Oi Rodrigo,
Parabéns pelo blog! Com tantos mitos e informações erradas na mídia sobre alimentação e o culto ao corpo excessivamente magro, cabe a nós nutricionistas levarmos a informação correta à população.
Estou te seguindo!
Até mais.