quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Por que Comer de 3 em 3 Horas?

Aumenta o teu metabolismo:
Metabolismo é a quantidade de calorias que queimamos por dia. Se o nosso metabolismo for baixo, queimamos poucas calorias, se for alto queimamos muitas calorias. Então porque razão comer de 3 em 3 horas aumenta o teu metabolismo? Porque, cada vez que ingeres um alimento, o teu organismo terá de gastar energia para o digerir. Por essa razão cada vez que comes estás a queimar calorias.

Evita ataques de fome:
Isto porque quando ficas muitas horas sem comer, ficas cheio de fome, e a única coisa que queres fazer é comer, sem te importares se é comida saudável ou não. O que muitas vezes acontece é que acabas por comer doces ou comidas com muita gordura (que é o que geralmente grande parte dos cafés e bares tem para te vender).

Mantém os teus níveis de energia altos:
No caso das pessoas que ficam muitas horas sem comer, elas verificam muitas vezes situações de moleza e cansaço. Isto acontece porque os seus corpos ficaram privados de energia durante muito tempo. A importância da alimentação no nosso corpo funciona mais ou menos como a importância do combustível para o automóvel, se não lhe damos combustível ele não anda e se lhe pomos um bom combustível ele fica mais potente. Por essa razão, para nos sentirmos com mais energia no nosso dia-a-dia, é importante comermos de 3 em 3 horas e dar ênfase a comida saudável.

Evita a destruição dos músculos:
O nosso corpo precisa de estar constantemente a receber aminoácidos (blocos construtores das proteínas), ou provenientes da alimentação ou dos nossos músculos. Quando se come de 3 em 3 horas, o organismo está constantemente a receber nutrientes (aminoácidos) para os músculos, mantendo assim a nossa massa muscular. Ficando muitas horas sem comer o nosso organismo fica privado de receber os aminoácidos dos alimentos, então vai buscá-los aos nossos músculos, o nosso organismo entra assim no estado de catabolismo, ou seja, destruição muscular. As consequências que advêm disso são : um corpo flácido e um metabolismo baixo.

Melhor utilização dos nutrientes por parte do organismo:
Ao alimentar constantemente o nosso corpo, provocamos um fluxo constante de nutrientes em doses mais pequenas no nosso organismo, comparando por exemplo com o programa habitual de 3 refeições ao dia. Isto porque desta forma ( fazer 3 refeições ao dia) cada vez que comemos, comemos em exagero (devido a grande fome que temos), e consumimos mais energia do que a que precisamos, então como tal o organismo vai armazená-los. Essa energia a mais vai ser armazenada sobre a forma de gordura. Se comermos mais regularmente ao longo do dia, isso já não acontece.

Diminui a armazenamento de gordura:
Comer de 3 em 3 horas vai evitar que o teu corpo desencadeie o mecanismo de sobrevivência, que vai provocar armazenamento de gordura. Para além disso comer frequentemente, faz diminuir a quantidade de calorias que se consome em cada uma das refeições, fazendo com que o organismo utilize toda a comida como energia, para continuar o dia, ao contrário do que acontece quando comemos poucas vezes ao dia. Quando ficamos muitas horas sem comer, depois temos tendência a comer mais do que o nosso corpo precisa, então o nosso organismo vai armazenar parte dessa comida sobre a forma de gordura, para quando mais tarde precisar.

sábado, 5 de outubro de 2013

Carioca corta refrigerante da refeição e elimina 50 kg: 'bebia 2 litros por dia'

Há cerca de um ano, o carioca Marcelo Eduardo da Costa França fugia do espelho – na época com 140 kg, o vendedor diz que tinha vontade “de se esconder do mundo” por causa do peso. “Era sedentário e bebia 2 litros de refrigerante por dia, era um vício mesmo”, lembra.
Decidido a fazer as pazes com a própria imagem, Marcelo começou então a fazer pequenas mudanças na alimentação e no seu dia a dia. “Fui reduzindo gradativamente as besteiras, o que ajudou bastante”, conta.
Porém, a separação do refrigerante não foi tão fácil assim – a bebida, que fazia parte do café da manhã, almoço e jantar, foi aos poucos ficando de lado até que desapareceu das refeições do carioca. “Cheguei a ficar em crise de abstinência no início, minhas mãos até tremiam”, lembra. Além do refrigerante, Marcelo começou a se separar aos poucos de outros velhos amigos, como os biscoitos, o sorvete, as tortas, as pizzas e os salgadinhos. “Só de diminuir essas coisas, perdi 5 kg no primeiro mês”, conta.
Depois dos primeiros 30 dias, o vendedor decidiu então que era hora de entrar na academia. “O impacto no começo não foi tão grande porque já tinha feito exercício quando era mais novo. O problema é que a academia era cheia de espelhos e eu tentava sempre fugir”, lembra.
Mesmo assim, ele se manteve no exercício físico e ficava cerca de 2 a 3 horas fazendo atividades aeróbicas. “Nessa época, comecei uma dieta mais intensa e perdia de 2 a 3 kg por semana”, diz.
Foi então que Marcelo finalmente cortou todas as besteiras definitivamente da alimentação, inclusive o refrigerante. “Uma pessoa viciada em refrigerante e pizza jamais imagina que consegue comer legumes com prazer, mas hoje quando entro no supermercado, vou direto na sessão dos alimentos saudáveis”, conta satisfeito. Com um cardápio rico em brócolis, repolho, chuchu, peito de frango e frutas, por exemplo, ele conseguiu chegar aos 83 kg. “Fiquei muito magro, aí comecei a fazer musculação e ganhei 7 kg de massa magra”, diz o carioca, que agora comemora os 90 kg e o corpo mais desenhado.
Atualmente, ele faz menos exercícios aeróbicos e foca no ganho de massa muscular. “Continuo indo na academia, de segunda a sexta-feira. Mas agora tudo ficou mais fácil porque não tenho mais aquele peso nas costas. Quando caminhava rápido, sentia dor nas canelas e hoje se ando 5 ou 10 quilômetros, é indiferente”, conta.
Marcelo celebra ainda não só o fato de ter perdido peso, mas também medidas – ele passou do número 50 de calça para o número 40. “Sempre fui vaidoso, mas hoje chego a ser exagerado. Aprendi a me cuidar mais e não tenho mais vontade de me esconder como tinha antes. Hoje sou viciado em espelho”, brinca o carioca.
O segredo, segundo ele, foi traçar uma meta e ter um foco. “Isso deixa tudo mais fácil. Meu foco foi a vaidade porque era difícil ser vaidoso e não poder se olhar no espelho”, lembra. Por esse e outros motivos, Marcelo diz que era muito triste, mesmo sendo um rapaz brincalhão e comunicativo. “As pessoas sentem que minha autoestima melhorou e hoje sou visivelmente uma pessoa mais feliz”, conclui, satisfeito.
Autora: Mariana Palma

quarta-feira, 2 de outubro de 2013

COMUNICADO

Caros(as) amigos(as)
venho por meio deste comunicar a todos os funcionários da Brasfels que são por mim atendidos no consultório que, em virtude da recente mudança do Plano de Saúde da empresa, não estarei atendendo-os por convênio, já que não sou credenciado junto a Unimed.
Assim, para aqueles que desejem dar continuidade ao tratamento, segue a Resolução da ANS (Agência Nacional de Saúde), Artigo Complementar n° 11413, que consta a seguinte informação:

Livre Escolha de Prestador de Serviços de Saúde
Direito do usuário, previsto em determinados contratos, em que ele pode optar por receber atendimento de profissionais não credenciados e receber, da operadora, o reembolso do valor pago pelo serviço prestado, ou parte desse valor, de acordo com a tabela também prevista no contrato.

Assim, aqueles que desejarem iniciar ou dar continuidade ao tratamento nutricional poderão solicitar a UNIMED o reembolso das consultas e acompanhamento feitos pelo Nutricionista Rodrigo Fontes da Silva.

Esta resolução é válida para qualquer usuário, de qualquer plano de saúde diferente dos citados abaixo e que deseje fazer suas consultas com o profissional em questão.

Planos de Saúde Conveniados: Bradesco Saúde, Amil, DiX (verificar carência), MediService, Petrobras, Cassi, Intermédica, OneHealth.