sexta-feira, 3 de junho de 2016

CHOCOLATE AMARGO

Veja alguns benefícios de se consumir o Chocolate Amargo.

O que é o chocolate amargo?

O chocolate é considerado amargo quando apresenta mais de 50% de cacau em sua composição. O chocolate do tipo amargo é feito com grãos de cacau torrados, pouco açúcar e nada de leite. Quanto maior a concentração de cacau, menor o teor de açúcar do alimento.

Os tipos de chocolate amargo mais comuns são os de 60 e 70%, mas atualmente já é possível encontrar barras de chocolate amargo com até 99% de cacau em sua composição.

Qual o melhor tipo?

Em tese, o chocolate amargo deveria conter somente massa de cacau, manteiga de cacau e açúcar. E nada de leite. Algumas marcas, no entanto, acrescentam leite e uma quantidade exagerada de açúcar ao produto, quase que anulando os benefícios do chocolate amargo.

Como regra geral, portanto, quanto maior o teor de cacau do chocolate, menor será a quantidade de açúcar e maiores serão seus benefícios. Uma revisão das principais pesquisas sobre os tipos e benefícios do chocolate amargo para a saúde concluiu que os chocolates com 60% e 70% de cacau são os mais indicados para consumo diário, pois contêm pouco açúcar e uma quantidade maior de antioxidantes.


Propriedades do Chocolate Amargo

Já vimos que ele se destaca pelo menor teor de açúcar que o chocolate tradicional – e também por uma quantidade maior de cacau e muito pouco – ou praticamente nada – de leite.
Veja então os demais valores nutricionais do chocolate amargo (porção de 25 g com 60% cacau, marca Lindt):
  • Calorias: 157 kcal
  • Gorduras: 13 g
  • Carboidratos: 8,4 g
  • Proteínas: 1,2 g
  • Fibras: 1,6 g

O chocolate amargo é também uma ótima fonte de magnésio, cobre, ferro e manganês. Potássio, zinco e selênio também estão presentes em menores quantidades no chocolate amargo.

Benefícios do Chocolate Amargo

Apesar de calórico e rico em gorduras, o chocolate amargo pode sim fazer parte da sua dieta, pois é rico substâncias benéficas para a saúde, como os já conhecidos antioxidantes.
Saiba então para que serve o chocolate amargo e qual a quantidade ideal do alimento que você pode consumir todos os dias sem ganhar peso.

MELHORA O METABOLISMO

Este é um dos maiores benefícios do chocolate amargo e também um dos mais desconhecidos: o aumento do metabolismo. O consumo de chocolate amargo poder aumentar a quantidade de calorias que o organismo utiliza para realizar suas atividades diárias (ou seja, o chocolate amargo queima gordura).

Isso pode ocorrer por dois motivos: de acordo com o Journal of Proteome Research, o chocolate amargo contém gorduras monoinsaturadas que têm a capacidade de estimular o organismo a utilizar mais energia proveniente dos estoques de gordura. Assim, se você mantiver uma dieta equilibrada seu corpo será obrigado a mobilizar os estoques de gordura para serem convertidos em combustível para as células.

Já um estudo divulgado pela Universidade Queen Margareth, da Grã-Bretanha, revelou que o chocolate amargo tem um grande impacto na maneira como o organismo sintetiza os ácidos graxos (gorduras), pois tem o poder de reduzir a digestão e absorção de gorduras e carboidratos.

Para obter esses benefícios do chocolate amargo os pesquisadores recomendam o consumo de 2 a 3 quadradinhos (quantidade que não deve ultrapassar 30g ao dia) de chocolate amargo com 70% de teor de cacau.

DIMINUI O APETITE

Além de melhorar o metabolismo, o chocolate amargo serve para controlar o apetite. Parece bom demais para ser verdade? E isso ocorre por diversos motivos.

Ao retardar a digestão, o chocolate amargo aumenta a sensação de saciedade, impedindo que você tenha fome mesmo tendo acabado de comer;

Os flavonoides (substâncias antioxidantes) do chocolate ajudam a diminuir a resistência à insulina, o que por sua vez controla as variações de açúcar no sangue e impede aquela fome absurda que normalmente aparece imediatamente após o consumo de açúcar;

Além de reduzir a resistência à insulina, o chocolate amargo também diminui a liberação de grelina, um hormônio que tem como função aumentar o apetite. E para isso não é preciso sequer consumi-lo!

Em uma pesquisa realizada na Holanda, cientistas analisaram o efeito do chocolate amargo sobre os níveis de grelina na circulação sanguínea de 12 participantes. Na primeira parte do estudo, as 12 mulheres consumiram durante 60 minutos 100 g de uma mistura contendo 85% de cacau e 12,5 g de açúcar. Já na segunda etapa, metade das voluntárias somente cheirou o chocolate durante 60 minutos, enquanto a outra metade não recebeu nada.

As mulheres que cheiraram o chocolate apresentaram saciedade e uma redução nos níveis de grelina semelhante à primeira parte do estudo, quando puderam consumir o chocolate. Já as participantes que não puderam sentir o cheiro não apresentaram nenhuma diminuição do apetite ou dos níveis de grelina.

AUMENTA A SENSAÇÃO DE BEM ESTAR

Não é toa que, em uma pesquisa feita na Inglaterra, mais da metade das mulheres disseram preferir chocolate ao sexo. Ainda que a afirmação seja de fato estranha, o chocolate amargo contém substâncias que podem aumentar a sensação de bem estar, melhorando a disposição e o humor (sensação que em tese também deveria ocorrer após as relações sexuais).

O chocolate amargo pode alterar o mecanismo de funcionamento cerebral através do estímulo para a liberação de alguns neurotransmissores (substâncias que transmitem sinais entre as células nervosas, ou neurônios). Serotonina, endorfina, anandamida e teobromina são alguns dessas substâncias que atuam diretamente na sensação de bem estar, reduzindo o estresse e levando à sensação de bem estar e euforia.

Enquanto a endorfina diminui a sensação de dor e reduz o estresse, a serotonina é um potente antidepressivo. E um dos compostos químicos que estimulam a liberação de serotonina é o triptofano, um tipo de aminoácido que está presente no chocolate amargo.

Já a anandamida é um tipo de ácido graxo conhecido pelos pesquisadores como “substância da felicidade”, graças às suas propriedades ansiolíticas, antidepressivas e até mesmo analgésicas. Apesar de ser naturalmente produzida pelo cérebro, a anandamida é rapidamente degradada, motivo pelo qual seu efeito dura pouco. Alguns benefícios do chocolate amargo são, portanto, através do aumento da concentração da substância no cérebro, prolongar a sensação de paz interna e bem estar.

Além do evidente benefício de sentir-se bem, a diminuição da ansiedade pode ser bastante útil para quem costuma descontar na comida (sobretudo nos doces) durante situações difíceis e estressantes.

Por isso, o consumo de um pequeno pedaço de chocolate (que em tese poderia engordar) pode na verdade ajudar a controlar o consumo de uma quantidade muito maior de alimentos pouco saudáveis e calóricos – afinal, quem é que ataca um pé de alface quando está estressado?

ESTABILIZA OS NÍVEIS DE GLICOSE

O consumo regular de chocolate amargo ajuda a controlar a quantidade de glicose na circulação sanguínea, evitando uma liberação excessiva de insulina, hormônio que está associado a inflamações e ao acúmulo de gordura abdominal.

Em um estudo realizado pela University of L’Aquila, na Itália, participantes que consumiram uma barra pequena de chocolate amargo durante 15 dias seguidos apresentaram uma diminuição de quase 50% na resistência à insulina. E como já vimos, uma variação menor da glicose também significa menos fome – e portanto uma ingestão menor de calorias.

Para os autores do estudo, além da atuação dos flavonoides do cacau, estes benefícios do chocolate amargo também podem ser atribuídos à presença das gorduras do chocolate, que retardam a absorção do açúcar na corrente sanguínea e previnem os temidos picos de insulina.

CONTROLA A PRESSÃO ARTERIAL

Cientistas suecos descobriram que o chocolate amargo pode reduzir a pressão arterial. Isso porque o cacau, que está presente em maior concentração neste tipo de chocolate, é rico em catequinas e procianidinas, dois potentes antioxidantes que inibem uma enzima conhecida por elevar a pressão sanguínea.

Outro efeito do chocolate amargo na pressão arterial se dá através da atuação dos flavonoides, que estimulam produção de óxido nítrico (NO). Uma das funções do NO é enviar sinais para as artérias relaxarem, o que por sua vez diminui a resistência do fluxo sanguíneo e reduz a pressão arterial.

MELHORA OS NÍVEIS DE COLESTEROL

O chocolate amargo contém um alto teor de gordura saturada que pede um consumo moderado, mas vale lembrar que hoje já se sabe que nem todas as gorduras saturadas são prejudiciais à saúde.

No caso do chocolate amargo são três as gorduras que entram em sua composição – ácido oleico, ácido esteárico e ácido palmítico. Embora este último esteja diretamente ligado a um aumento nos níveis de colesterol, acredita-se que, quando combinado com o ácido oleico e o ácido esteárico, o ácido palmítico não tenha um efeito significativo nos níveis de LDL (colesterol ruim).

Cientistas afirmam, inclusive, que o consumo de chocolate com alto teor de cacau pode aumentar as taxas de HDL (bom colesterol) ao mesmo tempo em que diminui os níveis de LDL.

Para os pesquisadores, esse efeito do chocolate amargo sobre o colesterol ruim se daria pela atuação das catequinas, substâncias estimulantes presentes no cacau e que inibiriam a oxidação do LDL, impedindo sua deposição na parede das artérias e facilitando sua eliminação pelo organismo.

PROTEGE O CORAÇÃO

Ao contribuir para a redução das taxas de LDL e aumento do colesterol bom (HDL) e atuar na redução da pressão sanguínea, automaticamente a proteção contra obstruções arteriais e infarto é mais um dos benefícios do chocolate amargo.

Além disso, o chocolate amargo é fonte de antioxidantes, que previnem e combatem inflamações e ainda por cima lutam contra os radicais livres. 

Segundo uma pesquisa realizada na Suécia, o consumo de chocolate amargo duas vezes por semana resultou em uma chance 66% menor de morte por complicações cardíacas. O mesmo estudo revelou ainda que consumir uma pequena porção de chocolate amargo uma vez por semana pode reduzir em até 50% as chances de morte por complicações cardíacas.

É RICO EM ANTIOXIDANTES

Ao se falar dos alimentos com maior potencial antioxidante, o chocolate amargo é um dos grandes candidatos às primeiras posições.Há algum tempo os cientistas desenvolveram uma maneira de medir a capacidade que uma substância tem de combater os radicais livres. Chamada de Capacidade de Absorção do Radical Oxigênio (ORAC, na sigla em inglês), a medida serve exatamente para quantificar a atividade antioxidante de cada alimento diante de uma série de radicais livres.

E de acordo com essa medida, grãos de cacau que ainda não passaram por processamento podem ser considerados um dos alimentos com maior potencial para combater os radicais livres. Um estudo publicado no Chemistry Central Journal demonstrou inclusive que o cacau contém mais antioxidantes que o açaí e o mirtilo (blueberry), duas das frutas com maior potencial antioxidante de que se tem notícia.

Entre os antioxidantes do chocolate estão os flavonóides procianidinas, catequinas e epicatequinas.

Quantidade ideal de chocolate

Se há tantos benefícios do chocolate amargo, isso significa que você pode consumi-lo à vontade? Infelizmente, não. O chocolate ainda é uma fonte significativa de calorias e gorduras saturadas, que devem ser consumidas com moderação para não trazerem o efeito oposto ao que você procura.

Uma porção de 25 a 30 gramas por dia é mais do que suficiente para você obter todos os benefícios do chocolate amargo sem ficar com peso na consciência e sem atrapalhar a dieta.

E não se esqueça de incluir as calorias do chocolate amargo na soma de todas as calorias que você consome ao longo do dia. Ainda que você saiba que o chocolate amargo ajuda a emagrecer, nunca é demais lembrar que esse efeito só irá ocorrer se você mantiver uma dieta hipocalórica. Ou seja, para perder peso você deverá consumir menos calorias do que gasta com seu metabolismo e com a atividade física.

Autora: Patrícia Leite

Para agendar:
(24)3365-5739 (ANGRA DOS REIS)/ 3371-2198 (PARATY)
(24) 99877-1248

(24) 99295-8194 (WhatsApp)

Nenhum comentário: